Posts com Tag ‘Sair do armário’

Para quem não lembra, no final do ano passado o jogador de futebol, David Testo saiu do armário e desde que seu contrato venceu ele nunca mais pisou nos gramados como profissional. Assumir-se gay complicou sua carreira no esporte, e hoje se dedica a ensinar Yoga.

David Testo não se arrepende de sair do armário, como falou ao jornal espanhol Marca, e diz: ‘Quando saí do armário, não sabia se iria jogar de novo, mas sabia que não poderia continuar a jogar daquela maneira‘.

Hoje, além das aulas de yoga, se dedica a campanha You Can Play, que luta contra a homofobia no esporte. Uma atitude muito bacana, já que a sexualidade não interfere em nada. Até porque gays gostam de esportes também!

Assista ao vídeo da equipe masculina de Hockey de Connecticut que defendem atletas gays. [em inglês]

Boxeador Orlando Cruz assume que é gay

O campeão latino da OMB, o boxeador Orlando Cruz assume que é gay! É o primeiro a assumir sua homossexualidade enquanto ainda está nos ringues. ‘Tenho orgulho de ser gay‘, disse ao jornal USA Today.

Na década de 90, outro boxeador assumir que era LGBT, o bissexual Emile Griffith disse a Sports Illustrated que curtia homens e mulheres, mas até então ele já estava aposentado e esperou isso para finalmente sair do armário.

Tento ser bom um exemplo para as crianças, que vejam o boxe como um esporte e uma profissão. Estou lutando há mais de 24 anos, quero continuar crescendo e preciso ser fiel comigo mesmo‘, disse o boxeador.

Sempre falo sobre a importância de figuras públicas de peso assumirem sua homossexualidade. É através de exemplos de sucesso profissional e pessoal que muitos gays e lésbicas passam a ver sua própria diversidade sexual como mais uma característica natural no gênero humano.

Pessoas como Ricky Martin, PinkIan McKellen, Billie Joe Armstrong, o jogador de futebol David Testo, o jogador de rugby Gareth Thomas e tantos outros são exemplos que devemos tomar em nossas vidas. Pessoas reais que não se escondem atrás de uma falsa heterossexualidade, mas assumem para si e para o mundo seu verdadeiro eu.

E ae, vai chamar o boxeador de ‘viadinho’?

[Sugestão da linda a @AnaVanolli do Sexo, Rock ‘N Roll]

Virei Lésbica

Assuma que você sempre gostou de mulheres sua MENTIROSA!

Vikki Salmon passou 16 dias em coma, após seu apartamento em Brinnington ser incendiado e quando acordou no hospital com queimaduras pelo corpo, pulmões e intoxicação provocada pela fumaça diz: ‘Virei Lésbica‘.

Isso me lembra a história do jogador de rugby que após um AVC também ‘acordou’ gay. Minha opinião não mudou desde então: Odeio pessoas que inventam histórias mirabolantes para sair do armário. Tem necessidade de mentir e colocar a culpa da sua sexualidade em acidentes? Não! Apesar da ciência ainda não ter um veredito final quanto a homossexualidade acredito que nascemos gays.

Eu costumava ser meio maluca e estava em um encontro na noite do acidente. Mas desde que acordei do coma não fui capaz de sair com homens. Eu nunca tive qualquer tendência homossexual antes, mas de repente me tornei uma lésbica. Deve ter sido o incêndio, não consigo achar outra explicação‘ disse a ‘nova’ lésbica.

Após o acidente reencontrou Julie Smith, e se apaixonou. Há 7 meses o casal mora junto: ‘Gostaríamos de nos casar, mas precisamos de mais um tempo para isso. Nós éramos amigas antes e agora nos tornamos amantes‘.

Eu acredito que ela já tinha/teve um caso com essa Julie há tempos e só agora tomou coragem de assumir que gosta de chupar grelo! Absurdo mesmo é as pessoas acreditarem nessa baboseira infundada.

Olá meninos do blog!!! Sou leitor assíduo do DQOGG a mais ou menos uns dois anos, quando tive minha primeira experiência com um garoto e buscando achar algumas respostas as minhas duvidas encontrei vocês, e desde esse dia não deixei de acompanha-los. Enviei uma vez uma pergunta a vocês e a opinião que me deram me ajudou muito em meu problema.

Mas agora, preciso de mais algumas dicas, pq o assunto é família… gosto muito de sair e recentemente comecei a namorar um cara maravilhoso que está me fazendo muito feliz. Gosto muito de sair pra boates e casa de amigos e com certa frequência durmo fora de casa. Agora, namorando… durmo mais fora ainda, pq fico na companhia do meu amor.

O que acontece é que minha familia não sabe da minha sexualidade (ou pelo menos finge não saber), e sempre que tenho q sair acabo contando alguma história e não falo realmente o que acontece e pra onde vou. Isso está me deixando muito chateado pq nao gosto de mentir pros meus pais e queria muito falar sobre meu namorado e sobre meus amigos, que são amizades muito saudáveis.

Resolvi que semana que vem trago meu namorado aqui em casa pra ver se acalmo meus pais (vou apresentá-lo como amigo), pois eles sempre falam q não conhecem esses meus amigos e acho q por isso eles se preocupam tanto. Alguns dias depois de conhecerem o meu amor e verem q ele é bacana, pretendo bater a real e falar que sou gay e que aquele rapaz que veio a nossa casa outro dia é meu namorado.

Eu sinceramente não acho que minha família irá me bater ou expulsar de casa ou fazer essas outras coisas horrorosas que outras familias malucas fazem, mas tenho medo pq sei que meu pai ficará muito triste. E mesmo que algo de ruim aconteça… ainda assim posso me virar pois tenho emprego, embora não ganhe bem e não possa dizer que sou independente, eu consigo me virar .

O que queria era uma ajuda de como vocês acham que devo conduzir esse assunto, aqui em casa certos assuntos como  homossexualidade por exemplo não são muito comuns.

Aqui não é programa da Xuxa mas eu quero mandar um beijo pra vocês do blog, um pra Xuxa outro pra Sasha e um especial pro meu amor que eu gentilmente apelidei de Deby Neto.

Obrigado!!!

Leandro, 21, Goiânia/GO

Mãe, eu sou gay!

Assumir pra família é geralmente complicado, porque sempre temos medo da  reação deles quanto a nossa sexualidade, mas pelo que você nos conta não será tanto problema e forma como você pensa em sair do armário é uma das mais adequadas: preparar antes de assumir. Talvez você seja uma ferramenta para que o assunto homossexualidade seja mais discutido e aceito por seus familiares. Até porque você mesmo nos diz que eles já devem saber que você é gay.

É ruim quando temos que nos esconder e mentir para as pessoas que amamos com quem namoramos ou para onde vamos. A família deve ser aquela que nos ajuda e apoia em tudo que fazemos, nos dá as broncas quando estamos errados e conselhos quando estamos perdidos e viver mentindo realmente quebra um pouco esse relacionamento. Entendo seu lado.

Faça como falou: apresente seu namorado como seu amigo no começo e depois, com o tempo, eles vão entender que vocês não são apenas amigos, porque as pessoas não são bobas [as mães muito menos] e com certeza notarão a forma como se olham, agem e se tocam… é diferente com um amigo.

Se eles tocarem no assunto respire funde e conte. Aconteceu isso comigo, vou contar:

Quando tinha 16 anos namorava um cara pouco mais velho que eu, e fazíamos tudo juntos. Vira e mexe ele dormia na minha casa e como não tinha uma cama de casal ele dormia comigo na minha cama de solteiro. Foram alguns meses assim, apresentando ele como amigo e quase todos os dias ele passava em casa de carro e dávamos um volta [pra transar, claro]. Quando terminamos fiquei arrasado e minha mãe percebeu que estava triste e o meu ex não aparecia mais em casa. Ela veio me perguntar o que tinha acontecido e disse que havíamos brigado. Minha mãe que não era boba emendou a pergunta bombástica: ‘Ele é só seu amigo?‘ Na mesma hora eu disse que éramos namorados e comecei a chorar. Ela com toda a tranquilidade do mundo disse que me amava de qualquer jeito e que ‘quem sabe um dia não voltaríamos na namorar‘, ‘Que brigas nos relacionamentos acontecem‘ e mais um monte de coisas. Não voltei com meu namorado, mas pelo menos contei que sou gay e não me arrependendo porque alguns meses depois ela morreu de leucemia e ficaria arrasado se ela não soubesse que sou gay’.

Oi, meu nome é Rayan, sou gay mas não sou assumido. Na minha família todos são preconceituosos, principalmente minha mãe. Como posso contar isso pra ela? O que eu faço?

Rayan, via e-mail

Olá Rayan,

Assumir para a família na maioria das vezes é complicado, nem todos estão preparados ou conhecem a homossexualidade e tem uma ideia errônea de como as coisas são na realidade, mas não se preocupe porque você é novo e tem tempo para prepará-los.

Sei que temos a necessidade de dividir essa parte de nossas vidas com nossos familiares. Quando não somos assumidos para eles parece que somos mentirosos, mas isso não significa que devemos sair do armário quando bem achamos, antes é preciso preparar a família para a ~notícia~ ainda mais quando se tem uma família preconceituosa, como você mesmo disse.

Outra coisa que devemos ter em mente é: O que farei se não respeitarem a minha sexualidade? Quais serão os problemas que enfrentarei? Sempre digo que antes de assumir é preciso se armar com garantias de continuar a ter uma vida plena e feliz caso a família seja problemática em assumir. Sou da opinião que antes de assumir precisamos ser independentes financeiramente, ou pelo menos, quase independentes caso tudo dê errado e a situação fique insustentável em casa.

Uma boa forma de prepará-los é conversando de vez em quando sobre homossexualidade de uma forma despreocupada e sem neuras. Sei lá, se estiver passando algo sobre gays na tv, comente algo sobre e veja qual a reação deles. Isso não é garantia mas é um termômetro de como eles veem a homossexualidade e assim você pode se preparar. Faço isso com seus pais, irmãos, irmãs, tios, tias, primos, primas, cachorro, papagaio… e descubra alguém em quem você possa contar.

Tudo é questão de preparar uma boa estratégia para mostrar que ter um filho gay não é um bicho de 7 cabeças e que ser gay não é desvio mental, espiritual ou de caráter… e outra, vai que eles te aceitam numa boa? Nunca se sabe!

Boa sorte e espero que tudo dê certo querido.

Galera, venho mais uma vez aqui encher o saco de vocês seus lindos, que educadíssimos falarão que não é incômodo e tals. Vocês são anjos de asas cor de arco-íris (que gaaaaay) uaheuaheuaheuaheaa! [‘Até eu ri’]

To no terceiro ano do Ensino Médio e, se Deus quiser, passo direto pra faculdade. Penso entre algumas cidades: Campinas, São Carlos, Juiz de Fora, Itajuba… Só que eu tô querendo sair do armário sabe, quero dizer, ser gay sem medo de ser feliz. Só que to num dilema: cidade grande x pequena.

Cidade pequena é maneiro porque você faz relacionamentos mais fortes, não é tão caro o custo de vida, as festas são loucas, porém tenho receio de continuar vivendo no ”armário”.

Por outro lado temos as metrópoles com super festas direcionada ao público GLS, cada um cuida da sua vida, diversidade de coisas pra fazer, entretanto tenho receio de não fazer amizades, e eu sem amigo não sou NADA!

Essa é a deixa: Grande ou pequena? Vocês conhecem alguma dessas cidades pra me falar como o sistema rola mano?

Obrigado pelo carinho e a atençao, Max me pega de jeito

*-*. Ateewwnn

Pedro, via e-mail

Cidade Grande x Cidade Pequena - Gays Gostam

Olá Pedro. Olha, quando falamos que não é incômodo nenhum responder e-mails não falamos por educação, mas porque realmente AMAMOS o que fazemos em nosso blogay! É uma satisfação ~enorme~ quando recebemos elogios. Hoje mesmo um amigo que pensei que nem lia o blog me ligou para parabenizar o trabalho que fazemos. Fiquei super feliz! Portanto não se acanhe me enviar suas perguntas!

Ambos os tipos de cidade tem seu lado bom! Nas pequenas a qualidade de vida é bem melhor, menos agitada e estressante e a qualidade de vida é melhor. O problema é que boa parte das pessoas se conhecem e qualquer coisa que você faça cai nos ouvidos da cidade inteira. Nas grandes tudo acontece 24 por dia, tem todo tipo de coisa pra fazer, muita gente pra conhecer e muito fervo pra ir [de segunda a segunda].

Não tenho vontade de mudar de São Paulo. AMO minha cidade, apesar de odiar o trânsito, a frieza das pessoas, a falta de educação, o aluguel caro… mas não saio daqui nem amarrado! Gosto de ter a diversidade cultural a meus pés, para conhecer o mundo inteiro sem sair de São Paulo. Alguns estudiosos dizem que somos uma população flutuante, ou seja, tem tanta pessoa aqui que dificilmente você cruzará com uma pessoa várias vezes na vida. [Exceto se você pega o busão para o trabalho/facul todo dia no mesmo horário. Eu pego o meu com um boy magia que NOSSA SENHORA DA EREÇÃO!

Cidade Grande x Cidade Pequena - Gays Gostam

Apesar das pessoas da cidade grande terem fama de frias e distantes, posso te afirmar que as coisas não são assim na realidade. Nós paulistas não somos frios, mas sim atarefados demais, estressados demais e ATRASADOS DEMAIS por causa do trânsito!

Como em toda cidade há pessoas boas e ruins, não adianta mentir pra você, mas em compensação há uma quantidade tão grande de pessoas vivendo por aqui que a probabilidade de você não fazer amigos é quase NULA! Há diversos pensamentos e estilos de vida e basta você ser receptivo e persistente que você arrumará amigos facilmente!

Dica de AMIGO: Não se deslumbre com a vida na cidade grande. Muitos saem de suas cidades e se perdem na vida atribulada, agitada e livre dos grandes centros. A liberdade é tão grande que para se desviar de nosso trajeto de vida basta piscar.

Espero que você tenha MUITA sorte com a escolha da cidade. Das que você falou conheço Campinas e São Carlos, ambas boas de se viver, apesar de não serem ~tão~ grandes como São Paulo. Sim, eu AMO isso aqui!

Significa Compras Gays Gostam

Sair do armário deixou de ser um bicho de 7 cabeças, mas muitos ainda preferem enrustir a ter uma vida de mentiras casados com mulheres. Essa é uma das piores opções que uma pessoa pode tomar, porque a felicidade em questão não é apenas a do enrustido, mas entra também pelo ralo a felicidade da esposa, que muitas vezes nem desconfia de nada e vive ao lado de seu príncipe encantado, ou melhor, Cinderela!

Semana passada falamos sobre os gostos musicais desses pitbulls lassies, e essa semana abordaremos mais uma dica para as mulheres se ligarem!

Sair do armário não é fácil, ainda mais quando está lotado de Prada, Dolce & Gabbana, Ermenegildo Zegna e outras marcas maravilhosas, e é justamente esse armário que dá dicas para você mulher. Diversos homens curtem produtos de qualidade, mas usar um look completo com etiquetas famosas além de brega é um pouco demais você não acha, gatcheeenha?

Deixo claro que não apenas gays gostam de marcas famosas, mas é um bom indicativo! Comece a desconfiar se o guarda-roupa dele é mais [e melhor] abastecido que o seu.

Significa Compras Gays Gostam

Seu boy magia, peguete, namorado, noivo, marido curte uma liquidação mais do que você? Abra os bem os olhos, porque pesquisas mostram que a maioria esmagadora dos homens aguenta pouco um passeio no shopping para compras. A média varia entre 1  e 2 horas! Por isso os homens heteros são péssimos companheiros para bater perna e olha vitrines. O bom mesmo são os amigos gays, que além de manjarem bastante de moda passam hoooooras zanzando com as amigues, experimentando roupas e dando aquela dica sincera se aquele vestidinho caiu bem ou não.

O casal adora planejar viagens para Paris, Milão e New York esperando a época de liquidações das principais lojas? Dificilmente um homem [na média] planejaria tal viagem, no máximo para agradar a esposa. Se eles não aguentam nem 3 horas num shopping o que dirá compras na Champs Élysées.

Agora a derrapada master do maridão é se você chegar em casa com um sapato novo e além de elogiar, ainda saber o designer e a temporada que foi lançado! Lembra do filme Legalmente Loira? Quando a Elle Woods tem um insight sobre o caso no tribunal quando o limpador de piscinas comenta sobre o sapato dela? Pois é, é real!

Corre que esse picanha é carpaccio!