Posts com Tag ‘kit anti homofobia’

Nunca vi um gay feliz

Esse é o retrato da política brasileira, ouvir de um vereador eleito nessa última eleição que: ‘Ser gay não é bom pra ninguém (…) Nunca vi um gay feliz‘. Quem disse isso foi o vereador Conte Lopes em entrevista para o Estadão onde falava sobre o Kit anti homofobia, vetado pela presidente Dilma Rousseff, que na ápoca disse que se tratava de ‘propaganda de opção sexual‘.

Para piorar mais as asneiras que falou completa com: ‘Todo cidadão quer ter um filho homem jogando bola, uma filha mulher brincando de boneca, casando, gerando filhos… O natural é isso! Eu acho que os psicólogos deveriam analisar isso aí‘.

Não sei até que ponto o vereador leu sobre o kit anti homofobia, mas pelo que sei, ele foi sim elaborado não apenas com as informações de ONGs e militantes LGBTs, mas com a ajuda de psicólogos e pedagogos. Na realidade o que ele quis dizer nas entrelinhas é que quer psicólogos da sua laia, ou até mesmo psicólogos cristãos como vejo muitos por aí que prometem curar a homossexualidade.

A felicidade é subjetiva, não posso dizer o que faz uma pessoa feliz ou não. Se gays não são felizes eu não sei, posso falar apenas por mim, mas pelo que observo [há anos] somos tão felizes quantos os heterossexuais, nem mais nem menos. Não entendo como as pessoas gostam de nos colocar como todos iguais e homogêneos, levando em consideração que somos tão únicos quantos os heterossexuais. Será que fazemos parte de uma outra espécie e não sabemos? Creio que não, né?

Os mesmos problemas que afligem qualquer pessoa no mundo também nos fazem mal. Sofremos por amor, queremos casar e ter filhos, ficamos doentes, temos problemas com nossos pais, chefes, amigos… O que nos faz mais tristes que o restante da população? Só se os heterossexuais vivem a base de fluoxetina e não sabemos, né?

Quem é esse vereador para julgar o que nossos pais querem de nossas vidas? E se eles querem algo, o que isso interfere em nossas decisões, se somos indivíduos únicos que temos gostos pessoais e livre arbítrio para fazer o que bem quisermos?

Porque tanto machismo com homens que brincam de boneca ou mulheres que jogam bola? Quer dizer que um homem que brincar boneca é gay e uma mulher que joga bola é lésbica? Hum… o que dizer de um homem que brinca de boneca e quando adulto, através dessas mesmas brincadeiras, se torna um pai exemplar que sabe como cuidar de uma criança? Ou uma mulher que quando adulta torna-se uma esportista e através do futebol cresce como profissionalmente e emocionalmente? Eles são gays/lésbicas por conta de um detalhe desses?

Complicado quando esses novos vereadores querem fertilizar nossos ouvidos com tanta merda que sai de suas bocas, né?

Assista o vídeo com a entrevista:

Plano contra violência e homofobia nas escolas - Gays Gostam

O Ministro da Educação, Aloízio Mercadante, e o presidente do Conselho Federal de Psicologia, Humberto Verona, assinaram um convênio para a criação de um plano contra a violência e homofobia nas escolas brasileiras. A parceria foi firmada durante a cerimônia de abertura da 2º Mostra Nacional de Práticas em Psicologia, em São Paulo.

Esperamos com esse convênio um trabalho intenso em toda a rede, comtrabalho de campo, para o desenvolvimento de políticas para uma escola acolhedora, uma cultura de paz, tolerância, convívio com as diferenças, com a pluralidade sexual, racial, religiosa, que enfrente o preconceito e a discriminação e coloque a escola pública em outro patamar e prepare o país para essa nova era do conhecimento‘, disse o ministro

Ano passado, por conta da pressão de líderes religiosos, o governo recuou quanto ao lançamento do Kit Anti Homofobia e era composto por vídeos, imagens, cadernos de orientação aos docentes entre outras coisas mas a presidente Dilma Roussef disse que não gostou de um dos vídeos elaborados e cancelou seu lançamento. Na realidade eu acho que ela realmente ficou com medo da bancada evangélica, mas ao que tudo indica será lançado realmente algo que proteja nossos jovens gays nas escolas.

O Ministro completa: ‘Precisamos fazer uma pesquisa mais aprofundada e cuidadosa sobre como construir  um diálogo que respeite a diversidade em todas as suas formas, a pluralidade. Vamos ter que estudar mais a fundo a homofobia e como dialogar [com os setores da sociedade], porque o enfrentamento direto, eu acho que não vai ajudar. Simplesmente lançar um material didático, produzir um vídeo e lançar na escola, isso não vai resolver‘.

Realmente só isso não acabará com a homofobia no país, até porque os fanáticos religiosos não deixarão que isso aconteça e continuarão a disseminar seu ódio e intolerância contra nós, mas já é um passo para que pelo menos as gerações futuras possam aprender que ser gay é tão natural quanto ser hetero.