Posts com Tag ‘Diversidade sexual’

heteronormatividade

Edmundo, o eterno Animal do futebol brasileiro é pai de Alexandre Mortágua, filho gay do relacionamento entre o jogador e a ex-modelo Cristina Mortágua. Houve até problemas com sua mãe que o agrediu e foi parar na delegacia, mas o caso aqui é outro.

Edmundo que já assumiu que comeu muito gay por aí foi entrevistado pela maravilhosa Marília Gabriela no De Frente com Gabi e entre futebol e profissão de comentarista a apresentadora pergunta ao jogador sobre a homossexualidade de Alexandre:

Eu vejo de forma tranquila a sexualidade dele. O que me importa é comportamento e eu já falei isso pra ele. Eu acho que ele tem que ter um comportamento natural na sociedade, de roupa, trejeitos… que condizem com o que ele é‘.

O jogador completa a pergunta, após Marília Gabriela perguntar se isso não é preconceituoso: ‘Nosso país, o mundo, é preconceituoso. Por mais que hoje a gente conviva com mais facilidade com isso, eu acho que se você tem sua opção [AFF] entre 4 paredes, você tem mais facilidade de ser feliz do que quando você tem essa opção [AFF] exposta a todos‘.

Até que ponto essa afirmação sobre o filho é preconceito disfarçado de aceitação? Porque gays másculos são aceitos e os efeminados tem que ‘virar homem‘? A heteronormatividade é preconceito disfarçado de aceitação, pura e simplesmente.

Para quem não conhece o termo heteronormatividade ele significa que tudo que for diferente da heterossexualidade é errado, já que qualquer tipo de sexualidade, identidade de gênero ou papel social que fuja dessa regra imposta é considerado errado sendo a heterossexualidade considerado com a única sexualidade normal.

O que dizer de um menino que desde pequeno se mostra delicado e sensível, ou um menina que demonstra ser masculinizada? Eles estão fora dos padrões de normalidade já que beiram a identidade de gênero ou papel social.

Não precisamos nos encaixar nos moldes que a sociedade nos impõe. A diversidade sexual é rica e há milhares e milhares de nuances entre as pessoas, mostrando que não há ninguém igual nesse planeta. Sou a favor de cada um assumir e ser aquilo que realmente é: másculo, delicado, sensível… o que quer que seja, desde que seja sincero, não com os outros, mas consigo!

Assista a entrevista com Edmundo no De Frente com Gabi. A parte onde ele fala sobre seu filho gay começa por volta de 7:20min

Boxeador Orlando Cruz assume que é gay

O campeão latino da OMB, o boxeador Orlando Cruz assume que é gay! É o primeiro a assumir sua homossexualidade enquanto ainda está nos ringues. ‘Tenho orgulho de ser gay‘, disse ao jornal USA Today.

Na década de 90, outro boxeador assumir que era LGBT, o bissexual Emile Griffith disse a Sports Illustrated que curtia homens e mulheres, mas até então ele já estava aposentado e esperou isso para finalmente sair do armário.

Tento ser bom um exemplo para as crianças, que vejam o boxe como um esporte e uma profissão. Estou lutando há mais de 24 anos, quero continuar crescendo e preciso ser fiel comigo mesmo‘, disse o boxeador.

Sempre falo sobre a importância de figuras públicas de peso assumirem sua homossexualidade. É através de exemplos de sucesso profissional e pessoal que muitos gays e lésbicas passam a ver sua própria diversidade sexual como mais uma característica natural no gênero humano.

Pessoas como Ricky Martin, PinkIan McKellen, Billie Joe Armstrong, o jogador de futebol David Testo, o jogador de rugby Gareth Thomas e tantos outros são exemplos que devemos tomar em nossas vidas. Pessoas reais que não se escondem atrás de uma falsa heterossexualidade, mas assumem para si e para o mundo seu verdadeiro eu.

E ae, vai chamar o boxeador de ‘viadinho’?

[Sugestão da linda a @AnaVanolli do Sexo, Rock ‘N Roll]

Rainbow Links #19

Publicado: 28/09/2012 por @peagapenalvez em Rainbow Links
Tags:, , , , ,

Chegou a hora dos links que os gays gostam! Só tem coisa interessante!

A Verdade Nua e Crua – Tá sabendo da novidade?

Cintura Larga – De batom verelho

Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual

Amanhã acontecerá no auditório da Secretaria Participação e Parceria de a eleição dos novos integrantes do Conselho Municipal de Atenção a Diversidade Sexual de São Paulo.

Os candidatos puderam se inscrever e foram aceitos gays e lésbicas acima dos 18 anos de idade e residentes no município por pelo menos dois anos e podiam se candidatar em um segmento LGBT ao qual pertence. Serão escolhidos 3 representantes de cada segmento [2 titulares e 1 suplente]. Cada candidato precisou mostrar que faz parte de algum tipo de militância gay.

Para votar, os eleitores deverão morar em São Paulo ou possuir título de eleitor emitido na capital, apresentar à comissão eleitoral comprovante de residência original e nominal. Poderão votar, uma única vez, em apenas um candidato referente à vaga de um segmento distinto.

A eleição será decidida em turno único. Caso haja empate, a decisão do cargo será tomada através de sorteio. Se nenhum candidato atingir o número mínimo de votos [05] a vaga não será preenchida.

A contagem dos votos será feita, no mesmo dia, ao fim da votação em lugar visível e diante de quem estiver presente. Os resultados serão divulgados em um prazo de até trinta dias pelo Diário Oficial.

Tá afim de escolher seu representante no Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual? Bora encher o auditório e mostrar que não somos apenas um rostinho bonito! Aviso que não me candidatei porque minha vida anda muito atribulada, mas daqui 2 anos, quando mudar a galera estarei lá e precisarei do voto de todos vocês.

| SERVIÇO |
| QUANDO? | 22 de setembro
| ONDE? | Rua Líbero Badaró, 119
| QUE HORAS? | das 9h00 às 19h00.

Estatuto da Diversidade Sexual - Gays Gostam

O Anteprojeto do Estatuto da Diversidade Sexual foi elaborado por diversas pessoas e contou com a participação de 60 Comissões da Diversidade Sexual das Seccionais e Subseções da OAB, apesar da redação do texto final não finalizado, foram ouvidos diversos movimentos sociais e encaminhadas mais de duzentas propostas e sugestões.

O Projeto foi elaborado no formato de microssistema, como deve ser a legislação voltada aos segmentos vulneráveis. Conta com 109 artigos distribuídos em 18 sessões.

Estatuto da Diversidade Sexual - Gays GostamAlém de consagrar princípios, traz regras de direito de família, sucessório e previdenciário e criminaliza a homofobia. Aponta políticas públicas a serem adotadas nas esferas federal, estadual e municipal, além de propor nova redação dos dispositivos da legislação infraconstitucional que precisam ser alterados.

Art. 1º – O presente Estatuto da Diversidade Sexual visa a promover a inclusão de todos, combater a discriminação e a intolerância por orientação sexual ou identidade de gênero e criminalizar a homofobia, de modo a garantir a efetivação da igualdade de oportunidades, a defesa dos direitos individuais, coletivos e difusos.

Se interessou? Se Joga AQUI que tem o Estatuto da Diversidade Sexual completo!

Já aderiu a Campanha? Acesse a petição pública e assine: http://bit.ly/IYDpuG

As transexuais alemãs têm muito o que comemorar. Em decisão única no tribunal alemão ganham o direito a implante de silicone custeado pelo seguro saúde mas apenas os casos onde o tratamento por hormônio não surta efeito ou alcance o tamanho de uma lingerie. Não para por aí! As transexuais também podem incluir no tratamento procedimentos cirúrgicos em órgãos [mesmo que saudáveis] para evitar algum sofrimento psicológico.

Não sei como é ser uma transexual, mas sinceramente tento me colocar no lugar delas e entender o tipo de sofrimento que é viver em um corpo que não condiz com seu gênero. Imagine olhar todo dia ao espelho e ver algo que desagrada? Não falo de probleminhas bobos como gordura localizada, espinha, estrias, etc… falo de algo ~muito~ mais complexo. Já viu o post da coluna TRANSformando dessa semana? Lá tem um vídeo incrível com a Maitê Schneider e sua luta para readequação de gênero.

Tudo iniciou com uma transex de 62 anos que teve o tratamento hormonal e cirurgia de mudança de sexo paga pelo plano de saúde, porém seus seios não cresceram em proporções femininas e a empresa se negou a pagar um implante de silicone.

A companhia perdeu a causa, abrindo precedentes para outras transexuais realizarem o implante de silicone caso o tratamento hormonal não dê certo.

E viva a diversidade sexual!

FRee São Paulo Revista Homofóbica

Ano de eleições é uma verdadeira guerra entre fanatismo religioso e liberdade. Tivemos dois casos de jornais que comprovam que algumas mídias brasileiras deixaram seu lado informativo e imparcial para atacar gays e lésbicas baseados em seus dogmas religiosos, como o caso de Joinville e também de Pernambuco, ferindo os direitos gays.

Agora chegou a vez da revista Free São Paulo mostrar seu lado mais obscuro e doente com uma matéria de capa onde mostra porque não votar em determinados candidatos a prefeitura de São Paulo. Entre os motivos citados pela revista para não votar nos candidatos está o apoio a diversidade sexual.

Eu chamo essa matéria de perigosa e irresponsável. Se apoiar direitos iguais é motivo para não votar em alguém, qual seria um motivo plausível para se votar? Se pensarmos como esse folhetim de 5ª categoria devemos votar em candidatos que lutem pela caça aos judeus, escravização de negros, esterilização de deficientes mentais, a volta da ditadura ou a Inquisição!

Essa matéria lastimável é um retrocesso na luta pelos direitos iguais, sejam eles gays ou de qualquer outro grupo minoritário no Brasil que busca respeito.

Casamento Igualitário - Gays Gostam

O Governo do Estado de São Paulo, com iniciativa da Secretaria da Justiça e Defesa da Cidadania e o CADS [Coordenadoria da Diversidade Sexual] realizará um casamento igualitário coletivo gratuito no dia 28 de setembro, e contará com 50 casais. Inclusive os casais poderão escolher em qual regime desejam oficializar a união estável: parcial, total ou separação total de bens.

Se você se pensa em em oficializar sua união estável, basta se inscrever até o dia 24 de agosto, mas no dia 25 haverá uma palestra oferecida pela Secretaria de Justiça para tirar dúvidas dos inscritos sobre como são os registros e também para conversão da união estável em casamento civil, tendo como apoio a Defensoria Pública do Estado.

Casamento Igualitário - Gays GostamA cerimômia será realizada no dia 28 de setembro às 19h no Centro de Tradições Nordestinas no bairro do Limão. Se interessou?

|SERVIÇO|

Inscrições 
|Data| até 24 de agosto, de 2ª à 6ª feira, das 10h às 16h
|Local| Sec. da Justiça e da Defesa da Cidadania – Coord. da Diversidade Sexual
|End| Pátio do Colégio, 148 – Centro | Contato: 3291-2700

|Local| CIC Norte, de 2ª à 6ª feira, das 10h às 16h
|End| Rua Ari da Rocha Miranda, 36 – Jova Rural/Jaçanã | Contato: 2249-5384

|Local| Centro de Tradições Nordestinas
|End| Rua Jacofér, 615 – Bairro do Limão | Contato: 3488-9400

Documentos Necessários
Cópias – CPF, RG, comprovante de residência atualizada; certidão de nascimento atualizada; certidão de averbação de divórcio (para aqueles que já foram casados); certidão de óbito (para aqueles que já foram casados e o cônjuge tenha falecido). Os casais deverão indicar duas testemunhas e apresentar cópia do CPF, RG e comprovante de residência destas.

Ele tem nojo de si mesmo por ficar com homens Gays Gostam

Oi Peagá, meu nome é Felipe e quero te contar uma história que aconteceu comigo na faculdade.

Desde o começo do ano acho um cara muito bonito, mas sempre trocávamos olhares. O adicionei no Facebook, mas não conversamos até pouco tempo atrás. Numa das conversas ele disse que estava afim de sair, mas estava cansado. Não havia contado que sou gay pra ele.

Durante a conversa ele disse que morava no mesmo bairro que eu, inclusive bem perto de casa. Fiquei super feliz e o chamei pra beber alguma coisa na porta de casa. Ele não topou porque estava muito frio. Ele me chamou pra tomar algo na casa dele, já que ele estava sozinho em casa. Começamos a beber, conversar, mexer no Facebook e demos muitas risadas.

Eu não tirava os olhos dele e nem ele de mim. Fomos ficando cada vez mais perto e nos beijamos. Me realizei! Ele me chamou para ir ao quarto dele e começou a tirar a minha roupa, mas disse que não queria transar porque queria ir com calma. Claro que as coisas começaram a esquentar e fizemos sexo oral um no outro, mas não houve penetração. Tomamos banho juntos.

Ele confessou que foi o primeiro beijo e relação com outro homem e que adorou os carinhos que fiz nele. Nem preciso dizer que estou completamente apaixonado por ele, né? Só de ter estado ali, poder ter abraçado ele e o beijado.. nossa foi inesquecível pra mim. Teve um momento que eu disse que ele era muito especial pra mim e que eu estava apaixonado (não sei se fui precipitado). Mas, eu falei !

Na faculdade conversamos de boa, e logo ele perguntou se havia contado pra alguém já que ninguém sabe que ele é gay. Claro que não contei pra ninguém. Depois disso ele sumiu, entrava e saia do Facebook mas e comecei a achar algo errado e fui atrás dele numa boa.

Ele falou que se arrependeu do que aconteceu, que não queria essa vida pra ele, que sentiu nojo de si mesmo e só transou comigo porque queria experimentar tudo na vida e que nunca mais iria acontecer. Disse que pensa na mãe dele e etc. Não estou com raiva dele, só me sentindo péssimo com isso.

Acredito que ele não se aceita e está confuso. Se for mesmo verdade que ele nunca transou como homem eu posso até entender, mas como eu fico?

Será que ele sentiu nojo de mim? Será que eu fiz algo de errado? Será que ele gosta de mim e não quer admitir? Pode estar envergonhado com medo do que os outros vão pensar?

O que eu faço?

Felipe, via E-mail

Ele tem nojo de si mesmo por ficar com homens Gays Gostam

Olá Felipe, que situação hein? Vamos por partes para ficar mais fácil?

Ele:
Pelo que você falou, ele curtiu ficar com você sim. Até porque ele te chamou para ir na casa dele quando não tinha ninguém [já tramando de ficar com você]. Algumas pessoas quando extravasam sua homossexualidade se sentem culpadas por isso, porque acham que ser gay é errado. Religião, Medo, Preconceito, Formação familiar… tudo isso influencia na aceitação de nossa sexualidade. Não é fácil descobrir-se gay para a maioria das pessoas. Ficamos com medo que as pessoas nos odeiem, principalmente nossa família. Talvez por isso ele tenha pensando na mãe dele.

O melhor a se fazer nesse caso é tentar conversar com ele algum dia desses e falar um pouco sobre a homossexualidade, como ser diferente não é errado. Mostrar que ser gay é tão normal quanto ser hetero, somos apenas um número menor de pessoas na sociedade, mas a homossexualidade existe e é apenas mais uma forma da diversidade sexual.

Você:
Ele não sentiu nojo de você, do contrário não teria nem te beijado pra começar, né? O que ele sentiu foi TESÃO e MEDO do que aconteceu. Por isso não se sinta culpado por isso, já que você não forçou ele a fazer nada que não queira. Se ele fez é porque sentiu vontade.

Se ele gosta de você é difícil dizer, mas uma coisa posso dizer: ‘Ele sente atração por você!‘. Se você sente vontade de investir no cara primeiramente converse sobre sexualidade [como disse anteriormente]. Ele precisa se entender antes de mais nada, depois aceitar a si mesmo e só depois ele se sentirá seguro para ter algo mais sério com alguém, e espero que seja você.

Nessas horas o mais importante é ajudá-lo a não se odiar, porque daí para problemas mais sérios é um passo.

Força que você consegue!

Converta União Estável Casamento Civil Gays Gostam

Você que tem um relacionamento e já fez o contrato de união estável pode converte-lo em casamento civil, para isso o governo do Estado do Rio de Janeiro, através da Defensoria Pública do Estado, pelo Núcleo de Defesa da Diversidade Sexual e Direitos Homoafetivos – realizarão atendimentos nos dias 07, 08, 13, 14 e 15 de agosto, das 13h às 18h, para solicitações de conversões das uniões estáveis.

Para isso, os casais deverão entrar em contato com o Disque Cidadania LGBT [0800 023 4567] e marcar o dia e o horário do atendimento, até o dia 06 de agosto, às 13h.

Homofobia na CPTM - Do Que Os Gays Gostam

Foto: Divulgação

A homofobia chega cada vez mais perto de mim. Ontem recebi com tristeza o relato de um grande amigo e irmão, Iran Fernandes, onde me conta como foi tratado por um funcionário da CPTM. O fato aconteceu faz um tempo e até agora a empresa não se manifestou quanto ao assunto. Isso só mostra o quanto até a CPTM não está preparada para respeitar a diversidade sexual.

Iran, um amigo e mais um casal formado por dois rapazes voltavam de um dia de trabalho, e como sempre usavam o Terminal Barra Funda para voltar para casa. Enquanto se despediam, o casal que dava seu último beijo ouviram ao longe funcionários da CPTM os xingarem.

Um dos rapazes disse: ‘Nossa é pra mim, porque to passando mal com a homofobia‘, porém o maior espanto foi o funcionário da CPTM levantar seu cassetete e ameaçar agredí-los. Iran também foi tirar satisfações com o funcionário que também o destratou, mas nessa hora [esperto meu irmão] conseguiu ver o nome do agressor.

Agora pergunto: A CPTM não é um orgão do governo que deveria tratar TODOS os usuários com respeito, e principalmente, sem agredi-los fisicamente ou moralmente? Que raios de cidade vivemos onde as pessoas nos tratam como deliquentes e doentes apenas por expressar nosso AMOR e CARINHO?

Será que não podemos nem mais usar os transportes públicos que somos alvos de pessoas intolerantes? Fico pensando que tipo de funcionários são contratados para servir a população e como será o treinamento deles, porque sinceramente, no quesito respeito esses não passaram.

Adoraria que a CPTM entrasse em contato e tomasse as devidas providências contra o funcionário em questão. Ainda não sei como meu amigo Iran fará com tal caso, mas já indiquei um advogado amigo meu para ajudá-los da melhor forma possível.

Recebemos a seguinte mensagem no twitter do blog, e até o momento não recebemos um e-mail de contato para enviar os dados solicitados.

 

Foto: Daniel Nicoletta

Museu LGBT de São Francisco

Geraldo Alckmin, governador de São paulo, assinou dia 25 o decreto 58.075 para a criação do Primeiro Museu LGBT da América Latina, O Centro de Cultura, Memória e Estudos da Diversidade Sexual do Estado de São Paulo, que será no bairro da República.

O museu terá dois espaços, com uma área total de 150m², e será integrado a estação de metrô República, no centro de São Paulo. A escolha do bairro/estação não é a toa, há 12 anos o adestrador de cães, Edson Neri foi assassinado na Praça da República, e conhecida por diversas casas noturnas e bares, sem falar que o local é palco para diversas manifestações LGBTs ao longo da história. Essa atitude equipara a cidade de São Paulo a duas cidades do mundo com um museu desses: São Francisco e Berlim.

O Centro de Memória LGBT tem como objetivo principal resgatar memórias, ser referência na de busca auxílio cidadão e expor peças que remontem a história do movimento.

A primeira ação dos organizadores de todo o acervo deve acontecer no mês que vem, próximo à 16ª edição da Parada Gay. ‘Será uma exposição de estampas e camisetas‘, antecipa Franco Reinaudo, coordenador geral da CADS [Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual].

A Secretaria da Cultura fará um mapeamento de tudo que existe para compor o acervo do museu. Além disso, gravará depoimentos de gays que se assumiram há décadas, como a drag queen Kaká Dipoli que se jogou no chão da Avenida Paulista na primeira Parada Gay, em 1997. Celso Curi também dará depoimento, falando como foi ser a primeira personalidade a se assumir gay em plena ditadura militar.
Há 20 anos se assumir gay ou lésbica era praticamente impossível, quanto mais lutar pelos nossos direitos‘, fala Heloísa Gama Alves, da Secretaria da Justiça. ‘O centro cultural fará a população refletir e conhecer as dificuldades do movimento‘.

~NOSSO museu~ não será comum, é o que prometem os organizadores!!!

OAB - Encontro Diversidade Sexual - Do Que Os Gays Gostam

A OAB/SP realizou hoje o  1º Encontro Estadual dos Direitos da Diversidade Sexual, no Teatro Gazeta, e posso dizer que foi incrivelmente ÉPICO!!! Para começar, a cantora e travesti Renata Peron abriu o encontro cantando uma versão mais dançantes do Hino Nacional Brasileiro, e logo depois mandou uma música de Noel Rosa.

Na platéia diversos advogados, estudantes, gays, lésbicas, travestis e transexuais ouviam atentos o que era falado.Acho importante a OAB/SP realizar um evento para discutir com seus membros um pouco de sua visão sobre os direitos gays no Brasil. Nada como aprender com quem entende sobre o assunto.

OAB - Encontro Diversidade Sexual - Do Que Os Gays Gostam

Renata Peron, cantora e travesti deu um show!!!

O Desembargador Caetano Lagrasta deu um show de oratória, levando o público presente não só a pensar, mas às gargalhadas com sua forma franca e direta de se expressar. Uma das frases que me chamou atenção foi: ‘No Brasil os juízes não costumam usar as decisões internacionais como parâmetros, não sei se por burrice ou inveja‘.

No Brasil ainda engatinhamos nos direitos LGBTs se comparado com outros países como Portugal e Inglaterra, que há anos já garantiram os direitos de muitos gays e lésbicas que recorreram aos tribunais para resolver impasses.

O caminho é íngrime, pedregoso e difícil‘, disse Lagrasta sobre a luta por direitos iguais no país enfatizando a importância do voto consciente para que mudanças aconteçam.

Já o Dr. Fernando Henrique Pinto, o primeiro juiz a autorizar a conversão de uma união homo afetiva em casamento civil no Brasil, nos contou como interpretou a lacuna na lei vigente: ‘Existe uma frase que funciona como escada para transformar a união homo afetiva em casamento, que é a seguinte: A lei facilitará a conversão da união estável em casamento‘. Resumindo: se o Estado deve facilitar a conversão de união estável [seja ela hetero ou gay] em casamento, LGBTs também tem o direito de se beneficiar desse direito.

O depoimento de Lula Ramires, coordenador da ONG Corsa, foi emocionante. Nos contou como foi ser o primeiro a transformar sua união estável em casamento. Em um relacionamento com Guilherme há mais de 8 anos, falou sobre como é importante criarmos espécies de moldes para nossos casamentos.

Não entendeu??? Eu explico!!! A concepção que temos de casamento é que homens e mulheres tem responsabilidades pré-estabelecidas [mulheres cuidam dos filhos, o homem é o provedor]. Por outro lado, nós gays não temos essa divisão, até porque são dois homens [ou duas mulheres] convivendo e todas as concepções caem por água abaixo. Aos poucos teremos mais e mais exemplos de casamentos bem sucedidos, e poderemos tirar uma base para seguir por esse tão sonhado caminho.

Agradeço a OAB pelo convite, aprendi muito sobre a Ordem dos Advogados, e admirei ainda mais o trabalho feito por nós gays.

Ontem a Coordenadoria de Assuntos da Diversidade Sexual, ou CADS, lançou em evento organizado na Câmara Municipal de São Paulo uma video-aula sobre a Diversidade Sexual, tendo como homenageados: onde serão homenageados os participantes dos vídeos: Laura Bacellar, Tais Souza, Dindry Buck, Charles Bordin, Eduardo Piza e Beto de Jesus.

Nesta vídeo aula, ativistas do movimento LGBT e profissionais de diversas áreas apresentam conceitos sobre sexualidade, direitos e legislação, falam sobre homofobia e práticas de atendimento ao público LGBT. Depoimentos pessoais também fazem parte do material com a intenção de sensibilizar a sociedade para com as questões de gênero e diversidade sexual.

Segue um depoimento de Dindry Buck, umas das homenageadas no evento:

Foto: AllOut

Sergey  Kondrashov, hetero, casado há 16 anos, foi preso na Rússia por defender a amiga lésbica usando um cartaz como forma de protesto em São Petesburgo [segunda maior cidade do país] com os seguintes dizeres: ‘Uma querida amiga é lésbica.A minha esposa e eu a amamos e a respeitamos,e a família dela é exatamente igual a nossa‘.

Isso tudo se deve a legislação russa, que impede qualquer tipo de manifestação sobre a homossexualidade, porque afirma que ser ‘propaganda gay‘. Tanto que as autoridades do país buscam ampliar ainda mais a liberdade de expressão para os LGBTs.

Quase a mesma coisa que o nosso dePUTAdo Jair Homofóbico Bolsonaro fala sobre o kit anti homofobia aqui no Brasil. Os russo alegam que é uma forma de defender as crianças de qualquer tipo de influência, mas esquecem [não sabem ou fingem não saber] que a homossexualidade faz parte da pessoa e não pode ser adquirida ou ensinado.

O ápice do problema será se a lei for aprovada pelo DUMA [Corpo Legislativo Federal] tornando esse abuso algo nacional, ferindo diversos tratados internacionais de direitos humanos que a Rússia assinou.

O Ouvidor de Direitos Humanos da Rússia e o Conselho Presidencial de Direitos Humanos luta para que essa lei não seja aprovada, e cada vez mais pessoas estão levantando sua voz para dizer a Rússia como esta lei é uma violação descarada dos direitos humanos. Ela está sendo contestada nos tribunais, e está perdendo popularidade, pois remete a uma parte obscura da nossa história, quando as pessoas foram silenciadas – ou pior – foram impedidas de falar o que pensavam.

Quer ajudar??? Basta assinar esse abaixo assinado: