Posts com Tag ‘aids’

Onde fazer exames de DST?

Onde podemos fazer os exames de DST de graça?

Anônimo, via Formspring

Olá Anônimo, pelo teor da sua pergunta ‘alguém’ andou transando sem camisinha, né? Que coisa menino! O uso de preservativo é essencial em TODAS as nossas transas, já que nos protegem de qualquer tipo de DST, inclusive a AIDS, Sífilis e alguns tipos de hepatite.

Muitas pessoas acham chato parar tudo para colocar o preservativo, mas esquecem que em tudo podemos usar a imaginação e fazer desse momento algo bacana e interessante! Colocar a camisinha no parceiro, ou deixar que a coloquem em você pode ser divertido! A pessoa pode colocar com a boca e aproveitar e já fazer um sexo oral gostoso!

O governo federal disponibiliza em todos os estados e regiões do país os Centros de Testagem e Aconselhamento [CTA] e ainda em diversas unidades das redes públicas de saúde locais para os testes que pode ser feitos de forma anônima e gratuita.

Quer saber onde tem um CTA perto de você? Você pode ligar o o Disque Saúde através do número 136 ou consultar o site do governo que mostra um mapa o mais próximo, divididos por região. Se joga aqui, bee!

Porque usar camisinha?
A camisinha é o método mais eficaz para se prevenir contra muitas doenças sexualmente transmissíveis DSTs, como a AIDS, alguns tipos de hepatites e a sífilis, por exemplo.
O preservativo não deve ser uma opção somente para quem não se infectou com o HIV. Além de evitar a transmissão de outras doenças, que podem prejudicar ainda mais o sistema imunológico, previne contra a reinfecção pelo vírus causador da aids, o que pode agravar ainda mais a saúde da pessoa.
Sem falar que os preservativos são distribuídos em toda rede pública gratuitamente!

Querido Anônimo, use camisinha SEMPRE! Diga NÃO ao Bareback!

Aids é uma doença predominantemente gay diz pastor Marco FelicianoO Pastor e dePUTAdo Marco Feliciano [aquele que faz a sobrancelha, alisa, tinge e use laquê] disse em uma de suas pregações que há um espécie de conspiração que envolve militantes gays e o governo para impor a homossexualidade à população e que isso fere a moral cristã e termina falando [merda] que a AIDS é uma doença predominantemente gay.

Jean Wyllys <3, Deputado Federal, respondeu ao pastor em seu site que Marco Feliciano é o deputado do ódio e da mentira e que seu discurso é fundamentalista e fascista! Jean está certo! Só que o pastor não se conteve e respondeu:

– ‘O senhor Jean Wyllys demonstra ser um parlapatão, pois fica deblaterando sobre um assunto que ele desconhece, acusando a multidão que me ouviu de incultos e incautos, e a mim de um mentiroso homofóbico desprovido de intelectualidade, simplesmente por ter lembrado a eles e aborrecido a este sobre o assunto da perversão sexual, da imoralidade e da doutrinação imposta pela comunidade GLBT à nossa geração. Ao deputado Jean Wyllys explico, o púlpito de uma igreja não é lugar para demonstração de intelectualidade nem desfile de títulos honoríficos‘ disse o dePUTAdo.

E de acordo com o pastor: ‘A chamada AIDS pode atingir qualquer pessoa independente de preferência sexual, mas a própria ciência revela o predomínio de infecção por esta doença em pessoas manifestamente homossexuais‘.

Claro que o dePUTAdo e pastor está errado e ainda colocou a ciência no meio da jogada. A AIDS, em seu princípio, foi considerada epidemia gay porque os primeiros casos foram diagnosticados em homossexuais, o que levou a falsa ideia de que apenas gays a contraiam, mas estudos posteriores mostraram que o HIV infecta qualquer pessoa, seja ela gay, lésbica, hetero, bi, pansexual… Não é uma doença de algum grupo de risco, mas sim de um comportamento de risco que é o não uso do preservativo.

Para finalizar o pastor termina com: ‘Todos os dias da minha vida pregarei o que diz a Palavra, que a prática do ato íntimo entre dois homens ou duas mulheres é e continuará sendo pecado e ponto. Não discuto o que é pregado no púlpito fora do momento da pregação‘.

Um beijo pra quem lê apenas o que interessa na Bíblia!

Paris Hilton diz: Gays são nojentos e maioria deve ter AIDS

Pare o mundo que eu quero descer! Paris Hilton, a mimada filha do poderoso dono da rede de hotéis Hilton teve uma declaração sua gravada por um taxista em New York onde diz a seguinte frase: ‘Homens gays são as pessoas mais excitadas do mundo… Eles são nojentos. Cara, a maioria deles provavelmente tem Aids‘.

De acordo com o site TMZ, ela conversa com um amigo [gay inclusive] e falavam sobre um famoso app para celular de encontro gays que usa geolocalização para achar os gays mais próximos de onde está e que também tenho o tal app.

A assessoria de imprensa da pobre menina rycah diz que: ‘Os comentários dela pretendiam expressar que é perigoso para qualquer pessoa fazer sexo sem proteção, que pode levar a doenças que ameaçam a vida’, dizem os representantes. Eles acrescentam que o taxista gravou apenas uma parte da conversa e que‘não foi a intenção dela fazer comentários que denigrem os homossexuais‘.

Concordo que transar sem camisinha realmente leva a várias doenças, entre elas a AIDS, mas fazer esse tipo de comentário é ofensivo demais! Por mais que um gay use tal app não quer dizer que ele tenha o vírus HIV ou qualquer outra DST, mostrando que dinheiro não compra inteligência, né?

Beijos Paris, a próxima notícia que veremos sua será sobre sua próxima prisão.

Sempre falamos sobre a importância do uso de preservativo em nosso blog. É com ele que nos protegemos de DST/AIDS durante o sexo e sempre que podemos publicamos algo sobre isso. Essa vídeo [voltado para o publico gay] é uma produção israelense e um dos astros principais é o ator pornô gay Jonathan Agassi! Imperdível!

Gostou do vídeo? Que tal compartilhar para seus amigos?

O outro ponto de vista sobre a AIDS

Publicado: 10/07/2012 por @peagapenalvez em Go Health
Tags:, , , , ,

De acordo com entrevista no site TAPS [Temas Atuais na Promoção da Saúde] com o Dr. Roberto Giraldo, Presidente do Grupo para a Reavaliação Científica da AIDS, a AIDS não é uma doença infecciosa; não é causada por vírus e não se transmite por via sexual.

Há um crescente aumento no grupo de cientistas que veêm a AIDS de outra maneira. O caso é que até o momento, não foi possível isolar o vírus do HIV e que a ‘doença AIDS‘ é uma junção de fatores que agridem o sistema imunológico humano como: problemas sanitários e que uma política justa, ética e solidária pode acabar com esse grande mal.

O Dr. Roberto inclusive ataca a indústria farmacêutica e governo por esconder [e ganhar dinheiro] com a doença que pode acabar com a humanidade.

Aí nos perguntamos: Se eles estão corretos, qual a verdadeira origem do HIV/AIDS?
Cientistas apontam que a AIDS é uma degeneração generalizada do sistema imunológico e que diversos fatores contribuem para que a doença se manifeste, entre elas: drogas, contaminação ambiental, antibióticos, radiação, campos magnéticos de aparelhos, vacinas, stress, problemas nutricionais e muitos outros. Resumo: A vida como levamos tem papel fundamental no desenvolvimento da doença.

Só gostaria de salientar que ninguém tem certeza absoluta sobre o vírus da AIDS, já que há detalhes que até hoje não são comprovados, mas nem por isso devemos deixar de lado o uso de camisinha e sexo seguro. A AIDS é uma doença relativamente nova, e muito trabalho será necessário ainda para que cientistas cheguem a uma conclusão mas enquanto isso é MELHOR PREVENIR QUE REMEDIAR.

[Espero que todos que leêm esse post não saiam por aí ensandecidamente transando sem camisinha. Gostaria de deixar claro que a criação desse post é apenas a de mostrar que existe outro ponto de vista sobre a AIDS, mas que ainda não foi comprovado ou tido como verdade. O intuito do blog é informar nossos leitores sobre o que acontece e mostrar que há outros pontos de vista quanto a doença. Por isso, não me crucifiquem. Já li algumas matérias sobre isso, e prometo em breve um texto mais detalhado sobre o assunto]

Confira a entrevista completa no site do TAPS, clicando AQUI.

Cinema Porno - Do Que Os Gays Gostam

Há tempos queria escrever uma matéria mais investigativa sobre o reduto do sexo fácil que são os cinemas pornôs do centro da maior cidade do Brasil. Tive que tomar muita coragem, contar até três e entrar, porque não é o tipo de lugar que eu gostaria de frequentar, mas como vocês leitores merecem matérias interessantes, lá fui num dos famosos cinemões.

Desci uma escadaria mal iluminada que dá em um grande salão, vi alguns frequentadores que circulavam entrando e saindo das salas de exibição dos filmes. Ao fundo dá para escutar alguns gemidos vindos dos alto-falantes, que exibem filmes pornôs, em sua maioria heteros.

O público é diversificado. Vi todo tipo de pessoa ali dentro, desde jovens e idosos até homens engravatados que parecem que iam para casa encontrar suas esposas logo que gozassem com alguém. Vi algumas travestis também circulando pelo local.

Tomei coragem e entrei em uma das salas. Uma mulher gemia feito louca gritando ‘Yes, Yes‘ no filme pornô. Algumas pessoas estavam sentadas nas poltronas, mas diversas andavam pelos corredores, ou se juntavam nos cantos onde a iluminação do projetor não era tão forte.

Na parte do fundo, vários homens se masturbavam enquanto assistiam ao filme. Alguns ‘casais‘ também se pegavam em meio a escuridão. Conforme eu ia passando alguns caras vinham tentar me abordar, e isso me deixou muito apreensivo, mas não sentaria naquelas poltronas nem que eu tivesse levado álcool gel para desinfetar.

Parei num canto onde não havia ninguém, queria ver como as coisas aconteciam, mas não tive muito sossego. Em instantes vários caras vieram se aproximando, parando ao meu lado. Alguns já com seus pênis para fora, como se aquilo fosse um convite. Aham, Claudia, você ~acha~ que eu pegaria nesse pau sujo??? ACORDA ALICE!!!

Sai logo dali e fui conhecer as outras salas do estabelecimento, mas em todas as salas as cenas eram iguais. Homens circulavam atrás de sexo fácil com desconhecidos. Não vi nenhum aviso no local sobre DST /AIDS, nem ao menos um local onde se pudesse pegar algumas camisinhas. Espero que os frequentadores levem as suas de casa, porque com certeza é possível contrair muitas doenças no local.

O banheirão é um dos points da galere. Homens encostados nas paredes esperando o convite para entrar em um dos reservados, que naquele momento estavam ocupados. O cheiro do banheiro consegue ser pior do que no resto do local, é complicado permanecer ali por muito tempo. Até porque, aquele povo te encarando como se você fosse um copo d’água em meio ao deserto do Mojave é desconcertante e me perturbou um pouco.

O mais engraçado disso tudo é que um cara veio conversar comigo ali dentro. Não perguntei o nome, mas ele se dizia catarinense, veio a São Paulo por causa da Parada Gay. O namorado dele estava em casa enquanto ele se divertia ali. Outro rapaz também veio puxar conversa. Aparentemente tinha uns 18 anos, e veio logo dizendo que era a primeira vez naquele tipo de ambiente.

Sinceramente, não é o tipo de lugar para o qual pretendo voltar. Não curti a abordagem, o local, a limpeza [ou melhor, a falta de limpeza]. Espero que tenham gostado da matéria porque, do cinema pornô, particularmente, eu não gostei.

Truvada, a primeira pílula preventiva contra AIDS

O FDA, agência que regula os alimentos e medicamentos norte-americanos, aprovou a utilização da pílula Truvada, a primeira pílula preventiva contra AIDS onde estudos comprovam a eficária do medicamento em pessoas saudáveis.

O medicamento está disponível desde 2004 para o tratamento de soropositivos que, juntamente com outras drogas antirretrovirais, ajudam a diminuir a proliferação do vírus no organismo, o medicamento agora será usado para prevenir o contágio pelo HIV, inclusive para pessoas que namoram soropositivos, evitando assim possíveis riscos de contágio pelo vírus.

Diversos estudos mostraram que a droga aumentou a capacidade do organismo em prevenir que homens gays, que infelizmente ainda adotam comportamentos de risco durante o sexo, se contaminem. A droga é cara, cerca de 14 mil dólares por ano, e ainda tem alguns efeitos colaterais, como: diarreia, tontura, náusea e vômito e em casos mais sérios houve  intoxicação do fígado, problemas nos rins e enfraquecimento dos ossos. Alguns críticos afirmam que testes clínicos não comprovam sua eficácia no mundo real.

O pior de todos os riscos não são os efeitos colaterais, mas sim o contágio pelo vírus por pessoas que se julguem 100% protegidas pelo uso do medicamento. Não é porque há uma nova droga que ajuda na prevenção que o uso da camisinha deve ser deixado de lado. O HIV é um vírus que se adapta rapidamente a medicamentos e pode se tornar resistente a Truvada.

Por isso queridos leitores, mesmo que descubram a cura da Aids, é imprescindível o uso de camisinha em TODAS as relações sexuais, até porque previne não apenas o HIV, mas todas as outras doenças sexualmente transmissíveis.