Arquivo da categoria ‘Dica Cultural’

Dica Cultural: Amigas, pero no mucho

Publicado: 26/10/2012 por @peagapenalvez em Dica Cultural
Tags:, , , ,

Teatro Amigas pero no mucho

Essa semana nosso blog foi convidado a assistir a peça Amigas, pero no mucho e quer saber da verdade? É simplesmente demais! De forma descontraída a apresentação mostra a vida de 4 amigas que se amam e odeiam ao mesmo tempo, mostrando que o mundo das amizades também é repleto de conflito e competição em uma relação afetuoso e ao mesmo tempo complicada de amizade.

As meninas são interpretadas perfeitamente por 4 homens, Elias Andreato, Norival Rizzo, Nilton Bicudo, Alex Gruli em um texto cheio de humor caustico, com direito a lavar a roupa suja, brigas, traições e muito mais!

Teatro Amigas pero no muchoNorival Rizzo é Debora, 40 anos – Divorciada, sem filhos. Inteligente, perspicaz, irônica, mas tipo dona da verdade. Sempre tem uma consideração a fazer, tentando que sua opinião prevaleça. Idealiza o amor. Come compulsivamente.

Elias Andreato é Fram, 50 anos – Divorciada, dois filhos que moram com o pai. É a mais velha das quatro amigas. Já passou dos 50 anos, mas quer parecer 30. Ninfomaníaca. Fala muito palavrão quando está sozinha, em público jamais. Faz meditação, mas quando está com raiva, tem tiques nervosos.

Nilton Bicudo é Olívia, 40 anos – Casada com filhos. Foi rica, não é mais. Tem que dirigir sua VAN que leva crianças para a escola. Julga-se sempre perseguida. Está sempre perguntando: O que vocês estão falando de mim? Exalta o marido, Alfredo, para as amigas.

Alex Gruli é Sara, 35 anos – Solteira. Executiva. A mais reservada. Parece ser fria, mas esconde grande esperança. Fuma descontroladamente. Não perdoa as amigas, mas pouco se importa com a opinião dos outros. Desconfiada. Odeia as hipocrisias de Fram.

Aposto que você verá muitas amigas e parentes personificadas nessas adoráveis personagens. Eu mesmo identifiquei muitas, e porque não muitos, amigos e parentes nessas personagens.

Que tal sair um pouco do circuíto baladas e correr para o teatro? Você não irá se arrepender!

| Serviço | Amigas, pero no mucho
| Onde? | Teatro Frei Caneca – São Paulo
| Quando? | Terca-feira – 21 h
| Quanto? | R$ 50 inteira

Festival Boys & Girls - Gays Gostam

Gays gostam também de festivais de cultura voltados para o universo gay, e para isso A Associação Cultural Dynamite criou o Festival Boys & Girls que é um evento de artes integradas voltado ao público LGBT que durante três dias, entre 02 a 04 de novembro de 2012, vai oferecer à população apresentações gratuitas de DJs, bandas, artistas plásticos e performáticos, feira cultural, oficinas e, ainda, um espaço de conscientização.

A entrada é um quilo de alimento não perecível. Vale tudo, menos sal! {deixa de ser mão de vaca] e todo alimento arrecadado será doado para a Casa de Apoio Brenda Lee que presta suporte a portadores do vírus HIV. [Já falamos de outra campanha que também apoia a casa, leia aqui]

Se você não quer apenas comparecer ao festival também pode participar preenchendo a ficha de inscrição no site do Boys & Girls e apresentar seu trabalho como DJ, músico, artes plásticas, performer, etc.

A curadoria do Festival Boys & Girls será realizada pelo produtor cultural Hanilton Scofield que, entre outros trabalhos, realizou a curadoria dos seguintes projetos e eventos: Festival Mix Music, X Feira Cultural LGBT, Tenda LGBT no Vale da Participação e Parceria e Mostra do Prêmio Dynamite de Música Independente entre outros.

O Festival Boys & Girls é um projeto realizado com apoio do Governo do Estado de São Paulo, Secretaria de Estado da Cultura – ProAC Programa de Ação Cultural 2012.

| SERVIÇO INSCRIÇÕES | Festival Boys & Girls
| ATÉ QUANDO? | 23:59hs do dia 20 de outubro de 2012
| ONDEwww.boysandgirls.com.br

| SERVIÇOS FESTIVAL | BOYS & GIRLS
| QUANDO? | 2 a 4 de novembro
| ONDE? | Associação Cultural Dynamite, na Rua 13 de Maio, n° 363
| QUANTO? | 1KG alimento não perecível

| MAIS INFORMAÇÕES |
Hanilton Scofieldhanilton@gmail.com
Telefone 11 7721-1115 / Nextel ID 55*54*12690

Feira do Livro LGBT - Gays Gostam

Dia 25 de agosto na Casa das Rosas na Avenida Paulista acontece a Feira do Livro LGBT e Sarau, promovido pela Editora Brejeira Malagueta, voltada para as meninas que amam meninas. O evento tem apoio da Secretaria do Estado da Cultura e Assessoria de Cultura para Gêneros e Etnias e faz parte da comemoração de 4 anos da editora.

A feira abre espaço para participação de poetas e escritores que queiram ler trechos de seus trabalhos. Serão mais de trinta escritores e poetas gayslésbicasbissexuais simpatizantes que falarão sobre suas obras, que estarão à venda nos salões da Casa das Rosas. Nomes como: Vange Leonel, Rita Moreira, Anna Roxo, Bertha Solares, Lara Lunna, Karina Dias, Drikka Silva, Léa Carvalho estão entre as mulheres que participarão.

Outras editoras independentes também confirmaram presença, entre elas: Não Editora, Fábrica de Leitura, Azougue, Cassará, Apicuri, Terceiro Nome, Livro Falante e Tarja Editorial, e ainda haverá venda de livros de editoras especializadas no público gay: Metanoia, Edições GLS e Escândalo. A cantora Érica Pinna terminará o dia com um pocket show!

Essa pauta foi sugerida por Sergio Viula, autor do livro Em Busca de Mim Mesmo que conta um pouco da sua história e como enfrentou a ‘reversão sexual‘ ou ‘cura gay’. O autor estudou teologia, foi pastor batista, missionário e professor de seminário, casou-se e teve 2 filhos mas percebeu o quanto é complicado viver uma vida que não é sua. Separou-se, deixou de ser pastor, assumiu sua homossexualidade e escreveu esse livro para contar suas experiências. Quer ler o livro dele? Passa no stand da Editora Malagueta que lá terá! Tô pronto para comprar um pra mim! \o/

Sou um leitor voraz de diversos assuntos, entre eles publicações voltadas para o universo gay, já que tenho um blogay o ~mínimo~ que tenho que fazer é ler a respeito, né? Encontro vocês lá!

|SERVIÇOFeira do Livro LGBT e Sarau das Brejeiras
|Quando| 25 de agosto – 14h às 22h
|Onde| Casa das Rosas – Avenida Paulista, 37, São Paulo

Festival Outcasts Contra Cultura Gay - Gays Gostam

Coletivo Outcasts promove festival de contra cultura gay nesse fim de semana. Quebrando o esteriótipo de que gays curtem apenas Lady Gaga e Madonna, o quarteto formado por Peete Netto, Rafael Cocchini, Cairo Braga e Marcello Nicolussi, idealizadores do festival, mostram que somos mais que isso.

A ideia é um encontro onde possam ser discutidos os mais variados temas que envolvem o universo gay, e além disso leva ao Dynamite Pub, espaço do meu querido amigo André Pomba, DJs, performers, bandas, exposições midiáticas, debates e entrevistas.

Confira a programação:

Dia 3 de agosto
Freneticos, Molhados & Croquettes: O grupo se inspira em grandes momentos da cultura LGBT brasileira dos anos 60 a 80.
Alisson Gothz: Artista performático, multimidiático, conhecido por seus números ousados e um pouco agressivos.
Xerxes: Host, DJ, e performer
+ Djs: Felipe Abe + Gah Junqueira, Pandex, Attrack Queens, Equipe Outcasts.

Dia 4 de agosto
Elisa Ares: Cantora, musicista. Suas composições mesclam pop, rock, soul, folk e jazz, sendo uma revelação do mundo musical LGBT.
Cesar Munhoz: Cantor, compositor, artista performático e multimídia. Já expôs fora do Brasil e é considerado um dos grandes representantes da cultura LGBT no ambiente artístico.
Apêndice Urbano: Grupo de teatro idealizado por Caio Nasser e Priscila Labronici, que faz apresentações em ambientes alternativos.
Debates: O ambiente familiar de um LGBT. A cultura underground gay. A política Arco-íris.

|SERVIÇO OUTCASTS|
|ONDE| Dynamite Pub – Rua 13 de maio, 363 – Bixiga
|QUANDO| 3 de agosto | 23h às 6h | Entrada: R$ 5
| 4 de agosto | 15h às 21h | Entrada: Franca
|INFO| EMAIL | |FACEBOOK|

Miranda Otto e Gloria Pires | Foto: Divulgação

Glória Pires, a eterna Ruth e Raquel de Mulheres de Areia, viverá sua primeira personagem lésbica e será nos cinemas. Seu début será com a atriz australiana Miranda Otto, no filme ‘Flores Raras’ e suas gravações começam agora, no dia 11, no Rio de Janeiro.

O  O romance acontece na década de 50 e conta a história do amor entre a arquiteta Lota Macedo de Soares e a poeta americana Elizabeth Bishop, e foi inspirado na obra ‘Flores Raras e Banalíssimas’, de Carmem Lucia de Oliveira.

Para mim, é difícil fazer as cenas de sexo gay. Nunca fiz uma cena dessas. Pelo que já filmei de sexo, depende muito da confiança no ator. É diferente de você se apaixonar realmente por uma pessoa e se envolver com ela. Ali, você está em um momento que não deixa de ser íntimo, porque está exposto, mas onde existem um monte de questões técnicas que precisam ser seguidas‘, conta Gloria.

Só que há um grande problema, a dificuldade em captar patrocínio e até escalação de atores e atrizes. Ainda esbarramos no preconceito, até no cinema. É incrível como as empresas são relutantes em investir capital no público gay. Sei do que falo porque passamos pelas mesmas coisas aqui no blog. Nenhuma agência sequer entra em contato conosco. #mimimi

É loucura, ainda hoje, as pessoas estarem preocupadas com isso. Ouvi falar de uma menina que não pôde fazer o teste porque a mãe não deixou, achou que não seria bom para a garota. Só que a menina não presenciaria nada. É uma inabilidade da mãe em tratar do assunto‘, disse a atriz.

Espero que a produção do longo consiga o capital para produzir o filme e que ele seja um GRANDE SUCESSO!!! Sabemos do potencial do Pink Money, e o quanto gastamos e geramos de receita para as empresas no Brasil e no mundo.

 

Foto: Daniel Nicoletta

Museu LGBT de São Francisco

Geraldo Alckmin, governador de São paulo, assinou dia 25 o decreto 58.075 para a criação do Primeiro Museu LGBT da América Latina, O Centro de Cultura, Memória e Estudos da Diversidade Sexual do Estado de São Paulo, que será no bairro da República.

O museu terá dois espaços, com uma área total de 150m², e será integrado a estação de metrô República, no centro de São Paulo. A escolha do bairro/estação não é a toa, há 12 anos o adestrador de cães, Edson Neri foi assassinado na Praça da República, e conhecida por diversas casas noturnas e bares, sem falar que o local é palco para diversas manifestações LGBTs ao longo da história. Essa atitude equipara a cidade de São Paulo a duas cidades do mundo com um museu desses: São Francisco e Berlim.

O Centro de Memória LGBT tem como objetivo principal resgatar memórias, ser referência na de busca auxílio cidadão e expor peças que remontem a história do movimento.

A primeira ação dos organizadores de todo o acervo deve acontecer no mês que vem, próximo à 16ª edição da Parada Gay. ‘Será uma exposição de estampas e camisetas‘, antecipa Franco Reinaudo, coordenador geral da CADS [Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual].

A Secretaria da Cultura fará um mapeamento de tudo que existe para compor o acervo do museu. Além disso, gravará depoimentos de gays que se assumiram há décadas, como a drag queen Kaká Dipoli que se jogou no chão da Avenida Paulista na primeira Parada Gay, em 1997. Celso Curi também dará depoimento, falando como foi ser a primeira personalidade a se assumir gay em plena ditadura militar.
Há 20 anos se assumir gay ou lésbica era praticamente impossível, quanto mais lutar pelos nossos direitos‘, fala Heloísa Gama Alves, da Secretaria da Justiça. ‘O centro cultural fará a população refletir e conhecer as dificuldades do movimento‘.

~NOSSO museu~ não será comum, é o que prometem os organizadores!!!

Livro Espartanos - Do Que Os Gays Gostam

Lançado pelo amigo Lenin Foxx, o livro Espartanos conta a história de 4 amigos: Alceu, Iolau, Heleno e Clício que se tornam guerreiros de Esparta que deixam suas posições de crianças para traçarem sua trajetória rumo à glória de servir sua cidade, em seus ínfimos sete anos de idade.

Personagens são inserido com maestria pelo autor, conforme os meninos tornam-se  homens, culminado na guerra entre Esparta e Atenas. Apenas os fortes sobrevivem para que haja ‘liberdade para os gregos!’.

O livro transporta o leitor à Antiguidade Clássica, contrastando com os dias atuais e abrindo espaço para assuntos que vão de política, relações familiares, amor, até as vestimentas, tudo dentro de uma descrição minuciosa e embebedada pelo homoerotismo.

Em uma conversa rápida com o autor, ele nos diz que ‘as personagens não são gays, para isso eles precisavam ter nascido no século XX, mas há desejos homoeróticos / homoafetivos entre eles, além de desejo sexual, claro!!!‘.

A ideia do livro surgiu quando Lenin tentava explicar como o relacionamento homoerótico é diferente de ser gay naquela época. Como historiador, o autor consegue entender a diferença mas achou que a melhor forma de explicar foi contando uma estória fictícia e demonstrar a realidade da época.

Fiz a seguinte pergunta para Lenin: É difícil lançar um livro com temática gay no Brasil? As editoras investem em nosso seguimento, ou basicamente é preciso investimento próprio?

Prontamente me respondeu que ‘Na verdade é difícil lançar um livro no Brasil de qualquer forma. Quando não é um escritor conhecido, não existe abertura no mercado das editoras para receberem novos manuscritos. Sobre livros com temática LGBT há sim editoras especializadas nisso, porém o mesmo problema acontece. É difícil que aceitem novos escritores’.

Foxx nos contou que tem sim muitas cenas de sexo, já que a sexualidade faz parte das pessoas, inclusive muitas das passagens sexuais do livro são inspiradas nas experiências pessoas dele. WOW!!!

O melhor de tudo isso é que o Lenin já prepara novos livros. Um será auto-biográfico chamado ‘A Vida de Heitor Renard‘ e outro também será ambientado em outra época, mas dessa vez será em Roma e contará a história de um prostituto, o nome provisório desse livro é ‘Pornéia Memmorablia‘.

Enquanto aguardamos o lançamento dos novos livros, que tal ler Espartanos??? Ele está com preço bem bacana no Clube dos Autores, dá até para escolher se quer a versão impressa ou em PDF. Se joga, bee que dá até para ler as primeiras páginas nesse site!!!

|SERVIÇO| Livro Espartanos | Edição 1 – 2012|
Detalhes: 396 páginas, formato A5 [148×210], acabamento em brochura com orelha.
Versão Impressa: R$ 45,08 – Versão PDF: R$ 18,09