OAB/SP realiza 1º Encontro Estadual dos Direitos da Diversidade Sexual

Publicado: 19/05/2012 por @peagapenalvez em Direitos
Tags:, , , , , , , , , ,

OAB - Encontro Diversidade Sexual - Do Que Os Gays Gostam

A OAB/SP realizou hoje o  1º Encontro Estadual dos Direitos da Diversidade Sexual, no Teatro Gazeta, e posso dizer que foi incrivelmente ÉPICO!!! Para começar, a cantora e travesti Renata Peron abriu o encontro cantando uma versão mais dançantes do Hino Nacional Brasileiro, e logo depois mandou uma música de Noel Rosa.

Na platéia diversos advogados, estudantes, gays, lésbicas, travestis e transexuais ouviam atentos o que era falado.Acho importante a OAB/SP realizar um evento para discutir com seus membros um pouco de sua visão sobre os direitos gays no Brasil. Nada como aprender com quem entende sobre o assunto.

OAB - Encontro Diversidade Sexual - Do Que Os Gays Gostam

Renata Peron, cantora e travesti deu um show!!!

O Desembargador Caetano Lagrasta deu um show de oratória, levando o público presente não só a pensar, mas às gargalhadas com sua forma franca e direta de se expressar. Uma das frases que me chamou atenção foi: ‘No Brasil os juízes não costumam usar as decisões internacionais como parâmetros, não sei se por burrice ou inveja‘.

No Brasil ainda engatinhamos nos direitos LGBTs se comparado com outros países como Portugal e Inglaterra, que há anos já garantiram os direitos de muitos gays e lésbicas que recorreram aos tribunais para resolver impasses.

O caminho é íngrime, pedregoso e difícil‘, disse Lagrasta sobre a luta por direitos iguais no país enfatizando a importância do voto consciente para que mudanças aconteçam.

Já o Dr. Fernando Henrique Pinto, o primeiro juiz a autorizar a conversão de uma união homo afetiva em casamento civil no Brasil, nos contou como interpretou a lacuna na lei vigente: ‘Existe uma frase que funciona como escada para transformar a união homo afetiva em casamento, que é a seguinte: A lei facilitará a conversão da união estável em casamento‘. Resumindo: se o Estado deve facilitar a conversão de união estável [seja ela hetero ou gay] em casamento, LGBTs também tem o direito de se beneficiar desse direito.

O depoimento de Lula Ramires, coordenador da ONG Corsa, foi emocionante. Nos contou como foi ser o primeiro a transformar sua união estável em casamento. Em um relacionamento com Guilherme há mais de 8 anos, falou sobre como é importante criarmos espécies de moldes para nossos casamentos.

Não entendeu??? Eu explico!!! A concepção que temos de casamento é que homens e mulheres tem responsabilidades pré-estabelecidas [mulheres cuidam dos filhos, o homem é o provedor]. Por outro lado, nós gays não temos essa divisão, até porque são dois homens [ou duas mulheres] convivendo e todas as concepções caem por água abaixo. Aos poucos teremos mais e mais exemplos de casamentos bem sucedidos, e poderemos tirar uma base para seguir por esse tão sonhado caminho.

Agradeço a OAB pelo convite, aprendi muito sobre a Ordem dos Advogados, e admirei ainda mais o trabalho feito por nós gays.

O que achou desse texto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s