MAXTURBAÇÃO MENTAL #41

Publicado: 29/04/2012 por Max Castro em MAXturbação Mental

Voltei!  Finalmente.  Fiquei um tempo afastado do blog, mas estou de volta.  Aliás, um bom tempo.  Mas vamos ver se de agora em diante eu consigo ser mais presente.

Meu primeiro post do ano, será que consigo atender a todas as expectativas dos leitores e até a minha?  Não sei, vou tentar.  Talvez eu consiga, talvez não.

Neste tempo em que estive afastado, transitei por vários lugares e pude observar o comportamento de muita gente, de vários grupos, segmentos e classes sociais.  Fiquei quase que totalmente afastado do meio gay.  Por um lado foi bom, pois deu para perceber qual é a idéia que outros meios sociais fazem dos gays de modo geral.

Basicamente todos pensam da mesma forma.  Hoje em dia o fato de um homem ou mulher serem gays não é mais um tabu como há 10 anos.  Atualmente, os gays são mais aceitos e os estereótipos já não são mais vistos como motivo de gozação.

De certa forma a TV, a internet e a música ajudaram nesse progresso.  Cada dia mais os gays estão presentes em tudo.  Música, teatro, novela, filmes… enfim… os gays são o assunto do momento.

É claro que ainda existem muitas pessoas homofóbicas por aí e isso está longe de mudar.  Mas a cada dia que passa elas perdem força e caem no esquecimento.  São consideradas ignorantes e sem instrução.  É fácil gostar de um ator de novela que faz um personagem gay caricato, mas quando se tem um integrante da família gay, aí as coisas mudam.

O que dá para se tirar de positivo é que de certa forma estamos a caminho de uma sociedade igualitária.  Sem pré conceitos.

Finalmente descobriram que os homossexuais são pessoas normais, que trabalham, estudam, pagam seus impostos e vivem sua vida sem incomodar ninguém.

Acredito que em cidades menores a resistência à aceitação seja maior.  Morar em uma cidade grande facilita a aceitação e convívio, mesmo porque as pessoas estão mais interessadas em cuidar da própria vida que de um homem ou mulher que goste de pessoas do mesmo sexo.

Toquei nesse assunto para chegar até onde eu realmente quero.

No ambiente de trabalho as coisas são um pouco diferentes.  Muitos gays continuam se poupando.

É complicado conviver com pessoas com as quais você pode não ter nenhuma afinidade, mas por necessidade é obrigado a conviver.

Eu, como gay, me poupo de “assumir” para os colegas de trabalho minha sexualidade, mesmo porque trabalho em um ambiente totalmente machista.  Ambiente onde até as mulheres assumem uma posição demasiadamente machista.  Não tenho dúvida de que outros vivam a mesma situação que eu,  mas o importante é ser feliz ao seu modo.  Não me sinto sufocado ou diminuído por isso.  Tenho em mente que meu relacionamento com as pessoas é profissional, e que se dali surgir uma amizade, eu possa me abrir e ser eu mesmo em tempo integral.  Não que eu deixe de ser em algum momento, mas ficaria mais a vontade.

Não vejo como uma necessidade “assumir” para os colegas de trabalho minha orientação sexual, vejo como uma opção de permitir que determinada pessoa participe da minha vida privada ou não.

A vantagem de se trabalhar em um ambiente machista, é de que você nunca os encontrará em uma balada LGBT!!!!!  RS… Ou não!!! Se vocês os encontrar, é porque estarão na mesma situação que você e com certeza não sairão falando para toda a empresa que você é gay.

Temos que olhar pelo lado positivo.

O único problema é você ver aquele seu colega de trabalho gatíssimo e não poder comentar com ninguém e nem ficar olhando por muito tempo.   Mas para isso existem os óculos escuros. Kkkkkkkkkkk…

Bem, espero que tenham gostado.  Domingo que vem espero estar de volta. Comentem, contem como é no trabalho de vocês, como funciona essa relação gay/hetero.   Se é que ela existe!!!

Você também vive uma situação parecida com a minha?

Super mega beijo a todos.

Max Castro.

comentários
  1. Ivann disse:

    Eu acho que assumir ,é só pra quem realmente importa na sua vida, então, enquanto isso eu prefiro mentir ou omitir.

  2. Junior disse:

    Olá Max.. adorei seu retorno
    Olá pessoal do blog, continuo adorando o conteúdo, sempre fantástico!

    Max… confesso que estou na mesma situação sexualidade x local de trabalho.
    Sou gay, mas não revelei minha orientação para meus colegas de trampo. Não vi necessidade até agora, mas sei que não terei nenhum problema em fazê-lo quando chegar o momento.Não por que acho que nao enfrentarei preconceito… pelo contrário. É mais por saber que é isso que sou e por não deixar que o que as pessoas pensam me afete.
    Estou muito afim de um boy da empresa, que sei que tem os mesmos sentimentos, mas que é mil vezes mais inseguro que eu quando a esse assunto de se assumir no grupo profissional. Já conversamos, tentei mostrar para ele que nao vale a pena ficar forçando uma imagem só para ser aceito, mas seu medo nao diminuiu.

    (obs. não sou afeminado, não dou pinta… já ele é um pouco, e tentando esconder parece ficar ainda mais evidente. Os mais “ignorantes” já estão me perguntando se não me incomodo [como eles] de conversar com um gay como ele {– tenho voltade de espancar um cara desses; e poderia se quizesse já que alguns anos de malhação me permitem}, mas apenas digo que nao me incomodo e digo que tambem nao deveriam)

    Acredito que hoje está mais facil de se assumir no local de trabalho, pois, de certa forma, os que criticam também tem medo. Antes nao nos assumiamos por medo de ser criticados e tachados de viados… hoje a maioria dos preconceituosos não criticam (abertamente) por medo de serem tachados de homofóbico.

    Não acho que os mesmos motivos de antes se apliquem hoje em dia para aqueles que escondem seu verdadeiro eu.

    Já disse ao meu amigo (espero que logo-logo namorado) que ainda nao me assumi, mas que estou pronto para entrar na empresa de mãos dadas com ele caso resolva se mostrar.

    Ahh, e Ivan, não deixo de concordar contigo, ele relamente importa para mim. Não entraria de maos dadas com outro homem que nao quizesse em minha vida tambem não amigo. Falou e disse.

    Bem pessoal, desulpem pelo longo comentário.
    e Max, adorei seu post, irei aguardar pelos próximos.

    Beijos a todos, maravilhoso trabalho DQOGG.

  3. M a r c e l o disse:

    Também trabalho um local muito machista e só tem homens haha; No meu caso eu não tenho esse problema, porque eu até convivo mais com os colegas do que com os meus amigos durante a semana, não tem ninguém que eu considere tanto no trabalho mas sempre rola de almoçar junto, aquela 1 horinha sagrada em que a gente desliga do trabalho, aí sempre surgem assuntos sobre relacionamentos; Quando me perguntaram se eu namorava eu falei numa boa, alguns ficaram meio surpresos, descobri alguns enrustidos por lá haha mas eu sempre falo porque já sou assumido há um bom tempo e no meu caso acho até melhor que quando encontro algum preconceito já corto a pessoa de cara; Mas entendo bem a sua situação e concordo com os 2 comentários acima, como você mesmo disse que não se sente diminuído, não tem porque dar satisfações!
    Gostei do post.

  4. Ritinha Lima disse:

    Max… Para nossa alegria!

O que achou desse texto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s