Ser romântico nunca me ajudou muito…

Publicado: 28/09/2011 por @peagapenalvez em gay
Tags:, , , , , , , , , , ,

Heey Peagá, tudo bem contigo? Quero começar a escrever te parabenizando pelo blog. Tu não faz ideia de o quanto ele já me ajudou. Eu o conheci a pouco tempo e me tornei fã. É uma honra e um prazer poder abrir o meu navegador e ler o que tu publica lá.

Meu nome é Wagner, tenho 19 anos. Sou paulista, mas atualmente moro sozinho no Rio. Sempre fui gay e sempre tive isso muito claro desde meus 11 anos de idade. Eu sou uma pessoa tranquila, adoro meus amigos, gosto de sair, de ver filmes, … Enfim, sou uma pessoa como qualquer outra.

Venho me decepcionando muito com o campo amoroso. Noto que as coisas hoje caminham para um lado diferente que eu gostaria que fosse. Me arrisco a dizer que o amor está acabando e é essa a minha maior frustração. Eu sou um cara romântico com a necessidade de demonstrar as pessoas o quanto eu gosto delas, mas parece que isso é um defeito em mim. As pessoas se assustam, se afastam. Já namorei algumas vezes e eu sempre sofri muito por conta disso. Dizem que em algum relacionamento, seja ele qual for, uma parte sempre vai amar mais que a outra. Acontece que a parte que ama mais sempre sou eu. As vezes me pego pensando se as coisas seriam diferentes se eu fosse menos passional, sabe? Será que eu sofreria menos?

Ser romântico nunca me ajudou muito. Hoje olho o meio que estou inserido e me vejo como um estranho. Em um lugar em que todos gostam de ir a baladas e “encher a cara“, usar drogas e transar com todo mundo, eu prefiro ficar sozinho em casa assistindo algum filme ou conversando com algum amigo.

O problema sou eu? Sou carente de amigos gays (apesar de todos os meus amigos saberem sobre a minha condição sexual) e não tenho como trocar experiências, tirar dúvidas ou até mesmo conversar. Se vou no bate papo e encontro alguém bacana em poucos minutos de conversa aparecem as perguntas “qual é o tamnaho do seu pau” ou “passivo e ativo“. Não gosto disso. Sexo por sexo, digo, sexo mecânico não funciona pra mim. O que eu tenho que mudar?

Gostaria que você lesse as linhas que eu escrevi aqui em cima e me desse uma opinião sincera sobre a maneira que eu conduzo as coisas em minha vida. Agradecido desde já e contando com sua ajuda.

Fique com um abraço bem apertado e quente do maior fã do blog.

Wagner, 19 anos – Via E-mail

Peagá Peñalvez responde:

Olá Wagner, fiquei muito feliz em receber um e-mail com tanto elogios ao blog. Sério mesmo. Ainda acho que faço tão pouco pelos gays aqui. Gostaria de ajudar ainda mais, mas tudo ao seu tempo, né???

Sinceramente não acredito que o AMOR está acabando, mas sim, que as pessoas dão prioridades a outras coisas menos importantes, ainda mais dentro do meio gay onde muita futilidade rola solta. Infelizmente esse é o mundo onde vivemos, mas mesmo dentro dele AINDA EXISTEM pessoas como eu e você, o problema é apenas encontrar pessoas como nós.

Não acho errado você ser romântico [pode não parecer, mas também sou], só acho que antes de se dedicar exclusivamente para alguém, você precisa se amar mais, e dar mais valor para si. Geralmente as pessoas não dão tanto valor assim quando percebem que estão com total controle sobre o relacionamento. Passei por isso e aprendi MUITO bem a lição.

Uma ótima forma de entender bem como deve ser uma relação é com o seguinte exemplo: O namoro é como um cavalo e seu cavaleiro. Uma hora devemos ser o cavalo e abrir mão de determinadas coisas, assim como também ter a oportunidade de ser o cavaleiro. Só que a maioria das pessoas só querem comandar, ainda mais quando sentem que a outra pessoa é passional.

Ultimamente também tenho saído tão pouco para ferver nas baladas, e prefiro assim como você, ficar em casa assistindo um filme ou me encontrando com amigos para programas mais lights. Balada sempre cansa minha paciência, porque é sempre a mesma coisa. Pior: Também não curto muito essa ‘cultura do fast foda’ que reina na comunidade gay. Poxa, não quero sair por ai transando enlouquecidamente. Sem falar que é sempre a mesma coisa quando nos encontramos com caras oriundos da internet: De onde tc??? Tem foto??? Ativo ou Passivo??? Mora sozinho??? Qual o tamanho do seu pau???

Isso me cansa, e quando o cara começa com toda essa baboseira, já perco o tesão de conhece-lo pessoalmente. Não que eu seja hipócrita, mas não estou em busca de sexo rápido e fácil. Também procuro um relacionamento com alguém que vale a pena.

Não mude a forma de pensar, continue se respeitando. O problema não é você, mas a forma com as pessoas com quem se relaciona interpretam o mundo e o amor. Nunca perca a esperança de encontrar um amor, uma hora Deus há de olhar por nós e aproximar a pessoa certa.

Ou clique AQUI

comentários
  1. wendersoonWenderson disse:

    Essa situação é complicada mesmo. Já passei por um caso parecido: o romantismo não me ajudou em nada. Mas uma preocupação sempre fica: Será se vou ficar pra titio?? rsrs
    E aí vocês tem essa preocupação?

  2. Riik disse:

    Nossa Wagner, vamo casar ? kkkkk

    Poxa, nas ultimas semanas, estava muito triste por conta dessas mesmas perguntas que se passavam na minha cabeça. Ultimamente tbm tenho sofrido d+ no amor, e vejo que é porcausa dessa atenção demasiada que eu dou para as pessoas, e tudo que vejo no final é mais ou menos: “Gosto de coisas difíceis” ou “Quero aproveitar mais”. Aff só me frusto ¬¬

    As vezes até penso que se eu começasse a ser do tipo ruim, galinha, canalha, as pessoas iriam me dar mais valor. kkkk Só que não é da minha natureza, e não consigo ser assim :p

    Enfim, Felicidades Pra você, pra mim e pra todo mundo que se frusta no amor hehe 😀
    E Beijos pros meninos do blog (sei que vocês estão sentindo minha falta nos comentários, mas tenham certeza que 10h no primeiro post eu estou aqui apertando F5 loucamente, e assim que eu chego do curso estou aqui de novo kkk)

  3. Rodrigo disse:

    Peagá, vc já procurou um relacionamento sério na minha casa?
    Talvez vc encontre hehehehe

  4. AHHuahuahahaaahUahahuahuahuahuhauhauhaahuahuahu Rodrigo

  5. Tipo te entendo muito Wagner, muito mesmo!

  6. NFL disse:

    Sei muito bem o que o Wagner está passando.

  7. Wagner disse:

    Realmente não é fácil. Uma vez assistindo um filme (500 Days With Summer) eu vi uma frase que me deixou refletindo. Era algo mais ou menos assim: “Relacionamentos são complicados e as pessoas acabam se machucando. Quem precisa disso ? [..]”. Essa frase, apesar de curta, faz todo o sentido pra mim. Hoje eu vivo em um eterno dilema entre aprender a viver sozinho e aprender a esperar por alguém que possa, de alguma meneira, dividir uma vida comigo. Isso soa até meio bobo e até infantil, mas eu sou assim. Não consigo viver em um lugar sem ouvir a respiração de alguém ao meu lado. Não que eu precise disso. Não é por aí. Eu só quero poder acordar de manhã pela manhã, olhar para o lado da cama e saber que aquela pessoa que está alí é a que faz meu coração bater mais forte toda vez que nossos olhares se cruzam ou nossas peles se tocam. Sexo por sexo é a coisa mais fácil e acessível que se pode ter.
    Parece que hoje só é feliz quem é puto. Assim fica complicado pra eu pois não consigo ser assim.

  8. Zheos disse:

    Concordo contigo Wagner. Mesmo eu, um “adolescente” de 15 anos, ainda sonho com isso: Uma vida a dois, com aquela pessoa especial, que quer a minha companhia e que eu possa abraçar, beijar e dizer “Eu te amo” sem ser banal, pra receber de volta aquele sorriso sincero, sabe?

    Às vezes eu penso que vou ficar sozinho, pois eu sou sempre a “casquinha de sorvete” e nunca ninguém se interessou por mim de verdade =/

O que achou desse texto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s