MAXturbação Mental #36

Publicado: 17/09/2011 por Max Castro em MAXturbação Mental
Tags:, , ,

A HISTÓRIA DE PAULO.

Ele se chama Paulo, tem 30 anos, saiu de uma pequena cidade no interior de São Paulo, para estudar em uma cidade grande.  Na infância nunca se deu conta de que gostava de meninos, o mundo em que ele vivia era absolutamente machista e pequeno.  Não havia espaço para gays, lésbicas, transexuais e afins.  Ele nem imaginava que isso pudesse existir.  Desde pequeno, sempre foi criado e educado para se manter longe de pessoas assim.  Mas alguns sinais de que ele era gay já surgiram na infância, mesmo ele não se dando conta disso.  Ele realmente só se deu conta na adolescência.  Foi quando ele começou a interessar-se por homens, mas não tinha coragem de colocar a prova aquilo que sentia.  O fato de ir para uma cidade maior que a dele, fez com que ele pudesse experimentar e comprovar se era realmente aquilo que ele queria.  Até então, ele sempre ficou com meninas, mas de um jeito meio desajeitado, sem saber muito o que fazer.  Ele era tímido e por conta da educação que seus pais lhe deram, nunca foi do tipo afeminado.  Sempre se portou como homem e nenhum traço de sua homossexualidade era visível, exceto seu desejo de experimentar, inicialmente, como seria beijar outro homem.  Mesmo tendo esse desejo, sempre se considerou heterossexual.

Já há algum tempo na nova cidade, Paulo fez amizades e arrumou trabalho.  A vida que ele almejara estava se concretizando.  Na ocasião, ele tinha 23 anos quando foi morar em uma república só de homens.  Todos heteros, diga-se de passagem.

O início não foi fácil.  Foram alguns meses tentando se adaptar a nova realidade.  Sair de casa e ter que se virar sozinho, era uma novidade para ele.  Mas ele estava disposto a tudo para provar para sua família que era capaz de viver sozinho.  Paulo sempre foi um jovem determinado.  Nunca se conformou com o comodismo das pessoas.  Sempre achou que a cidade onde nascera era pequena demais para ele.

Movido pela ambição de crescer na vida pelas próprias pernas e provar ao mundo que era capaz, Paulo se vê sozinho e tendo que se desdobrar entre os estudos, o trabalho e os afazeres domésticos.

A internet na época ainda engatinhava.  Perto do que temos hoje, era praticamente uma carroça velha.

E foi através da internet que ele conheceu um homem mais velho.  Conversaram durante meses, até que Paulo criou coragem para conhecê-lo pessoalmente.

Depois do encontro, dos beijos e do sexo, Paulo se deu conta de que era gay.  Ela havia gostado de tudo, se sentia mais a vontade na companhia de outro homem para fazer tudo aquilo que não tinha muita coragem e desenvoltura para fazer na companhia do sexo oposto.

O encontro resultou em uma paixão não correspondida.  Paulo demorou algum tempo para digerir aquela situação.  Na época ele não entendia que aquele homem com quem ele conversou pela internet durante meses, queria apenas sexo.

A vida continuou e a pequenos passos, Paulo conseguiu progredir na vida.  Saiu da república onde morava, conseguiu montar seu apartamento, fez faculdade, pós graduação e tinha um trabalho estável.  Finalmente havia conseguido aquilo que tanto queria.   Foram anos de trabalho e muito luta para chegar até onde chegou.

Apesar de tudo, Paulo não fazia e nem faz questão de dizer às pessoas que é gay.  Menos ainda no ambiente de trabalho.

Uma coisa da qual ele se gaba é de ter feito amigos verdadeiros.  Amigos que sabem de sua orientação sexual,  e que mesmo assim o tem como amigo.  Em sua grande maioria, amigos heteros.

Paulo consegue levar uma vida de hetero, sendo gay, entre heteros.  Mas nem tudo são flores, e ele está prestes a descobrir isso.

CONTINUA…

Super mega beijo a todos.

Max Castro.

comentários
  1. hjoseph disse:

    q história legal,me vi em algumas partes,vamos à continuação….

  2. Thiago disse:

    fiquei frustado q vou ter q esperar pelo resto… haha
    adoro seus textos aqui no blog

  3. Max Castro disse:

    Hjoseph, que bom que gostou. Ainda tem muita história por vir. Acredito que você vá se identificar mais do que imagina.

    Thiago, calma, muita calma. rs… Semana que vem tem mais. Fico feliz em saber que você gosta dos meus textos. Sou um químico que brinca de escrever. rs… Se consigo agradar um leitor que seja, já fico feliz.

    Obrigado por vocês sempre visitarem o blog e acompanharem os nossos textos.

    Super beijo.

    Max.

  4. Ritinha Lima disse:

    LIndo não seja modesto! Escreve muito bem!

    Esse texto está ótimo!

    Beijinhos!

  5. Riik disse:

    awwee que legal , amei a ultima história. Vejo que essa nova vai ser oótima tbm, aguardo ansiosamente pelo resto *—*

  6. Zheos disse:

    Engraçado… Eu me vi no começo dessa história, sendo que meus pais são extremamente homofóbicos e querem ficar mandando com que eu devo ou não conversar ¬¬’

    Mas eu espero que ele, mesmo passando por todas as Tempestades, tenha uma boa Recompensa no final

  7. Max Castro disse:

    Ritinha, amor da minha vida e desse blog, Obrigado.
    Riik, aguarde que teremos muitas revelações por vir.
    Zheos, meu querido, nem tudo é como esperamos, e a vida dá muitas voltas. Espero que você leia o final dessa história.
    Bjs a todos.
    Max Castrlo.

  8. Nemo disse:

    2 minutos

O que achou desse texto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s