Posts com Tag ‘transex’

Maite Schneider - No Fusca Show

Do Que Os Gays Gostam? Maite Schneider, atriz, depiladora e transex [já falamos sobre ela na coluna TRANSformando] e não é que ela foi entrevistada pela galera do No Fusca Show e arrasou, como sempre!

Maite é uma grande militante dos direitos gays, em especial dos Travestis e Transexuais e tem um site super bacana chamado Casa da Maite.

Confere aí o que rolou:

As transexuais alemãs têm muito o que comemorar. Em decisão única no tribunal alemão ganham o direito a implante de silicone custeado pelo seguro saúde mas apenas os casos onde o tratamento por hormônio não surta efeito ou alcance o tamanho de uma lingerie. Não para por aí! As transexuais também podem incluir no tratamento procedimentos cirúrgicos em órgãos [mesmo que saudáveis] para evitar algum sofrimento psicológico.

Não sei como é ser uma transexual, mas sinceramente tento me colocar no lugar delas e entender o tipo de sofrimento que é viver em um corpo que não condiz com seu gênero. Imagine olhar todo dia ao espelho e ver algo que desagrada? Não falo de probleminhas bobos como gordura localizada, espinha, estrias, etc… falo de algo ~muito~ mais complexo. Já viu o post da coluna TRANSformando dessa semana? Lá tem um vídeo incrível com a Maitê Schneider e sua luta para readequação de gênero.

Tudo iniciou com uma transex de 62 anos que teve o tratamento hormonal e cirurgia de mudança de sexo paga pelo plano de saúde, porém seus seios não cresceram em proporções femininas e a empresa se negou a pagar um implante de silicone.

A companhia perdeu a causa, abrindo precedentes para outras transexuais realizarem o implante de silicone caso o tratamento hormonal não dê certo.

E viva a diversidade sexual!

Valesca Popozuda Miquelly Transex Do Que Os Gays Gostam

Há algum tempo atrás fizemos uma matéria sobre a cantora Valesca Popozuda lançar um concurso para escolher sua nova dançarina, que dessa vez será uma transex. Pois é, ela já escolheu sua primeira finalista, de um total de 10!!!

Foram mais de 3 mil inscrições, avaliadas pela própria Valesca, que disse na época: ‘Estou olhando foto por foto com a minha produção, sem deixar nenhuma passar batida. Tem cada dançarina linda!  Não está fácil escolher, não‘.

A primeira escolhida é a dançarina Miquelly [gaúcha de Porto Alegre e com 26 anos], que falou sobre o assunto: ‘Estou muito contente em ser a primeira escolhida! Espero vencer o concurso, vai ser um prazer para mim ser a primeira transex a dançar ao lado da Valesca Popozuda!

Adorei a atitude da cantora, vou torcer para que a escolha seja rápida, para noticiar aqui!!!

Foto reprodução

Dia 28 rolou um post sobre uma marca de cerveja que produziu um comercial infeliz usando o tema transexual e senti necessidade de expor um pouco o que eu acho sobre o assunto Humor x Homofobia, até para esclarecer um pouco a minha forma de ver as coisas.

Foto: Reprodução

Capitão Gay – Vivido por Jô Soares

Não achei o vídeo altamente ofensivo, só achei INFELIZ a forma como a propaganda foi elaborada, o caso de ter uma transex no comercial não agregou NADA. Muitos homens confundem uma transex de uma mulher e isso não é motivo de piada, como foi feito no fim do comercial, essa parte sim eu não curti.

Não sou contra o humor usar personagens gays, lésbicas ou transgêneros, até porque eu seria muito hipócrita em dizer que não dou risada de algumas coisas que vejo por aí.

Não somos super cidadãos que ninguém pode brincar, só é preciso tomar cuidado em não ofender ninguém. Não sou da patrulha da moral e dos bons costumes porque acredito que isso não existe, só acho que o direito [liberdade] termina onde acaba o respeito ao próximo.

Foto: reprodução

Vera Verão, personagem do magnífico Jorge Lafond

Não podemos achar que qualquer coisa é uma forma de agredir ou denegrir a imagem da homossexualidade, temos que relaxar um pouco, ou seremos taxados como chatos e neuróticos. Se isso acontecer, quando for uma reivindicação forte e séria as pessoas nem nos ouvirão e logo pensarão: ‘Aff, lá vem a patrulha gay‘. Não é isso que queremos, ou é???

Todo mundo faz piada sobre negros, judeus, gaúchos, são paulinos… porque não faríam conosco? Se queremos ser tratados como iguais, também podemos tirar nosso bom humor da bolsa [Gucci ou Prada por favor] e dar um pouco de risada, né???

O significado da palavra gay logo que foi ‘criada‘ é alegre e somos realmente pessoas alegres e de bem com a vida. Bom humor não faz mal a ninguém, ao contrário, faz bem para o coração!!!

Há personagens gays maravilhosos na história da televisão brasileira: Capitão Gay [que logo vira filme], Vera Verão, Valéria Vasquez, entre tantos outros. Interpretações incríveis, não é mesmo???

Vamos [re]lembrar deles???

Valesca Popozuda Transex - Do Que Os Gays Gostam

Valeska Popozuda, uma das grandes funkeiras brasileiras, abriu inscrições para dançarinas transex. A cantora usou seu perfil no twitter para divulgar. ‘Quero ver o babado pegar fogo no palco!

Nós que convivemos muito no universo gay sabemos a quantidade de transex LINDAS que existem, e achei muito bacana a cantora abrir espaço para as meninas dançarem em seus shows. Conheço pelo menos uma dúzia de meninas que adorariam participar!

Tá afim de participar??? Então prepare um bom modelón, capriche no make up e tire fotos incríveis para enviar. Se joga bee!!!

Lea T retorna da Tailândia

Publicado: 18/04/2012 por @peagapenalvez em Sexualidade
Tags:, , , ,

Para quem não lembra, ou não sabe, a modelo Lea T fez a operação de mudança de sexo na Tailândia a cerca de um mês. Uma cirurgia delicada e que requer muitos cuidados para a boa recuperação.

Lea optou por não dar entrevistas no momento, é o que diz sua assessoria de imprensa, que afirma que a modelo já está em Milão se recuperando da operação que foi um sucesso!!!

Estamos na torcida para que Lea volte logo para as passarelas e editoriais, porque ela simplesmente ARRASA!!!

Roberta Close, uma MULHER de sucesso!!!

Hoje é Dia Internacional da Mulher, data que todas as mulheres do mundo comemoram a luta por direitos iguais. A data teve início por conta da luta de um grupo de operárias de uma fábrica de tecidos de Nova Iorque que fizeram uma grande greve.

O grupo ocupou a fábrica para reivindicar melhores condições de trabalho: redução na carga diária de trabalho para dez horas [era exigido 16 horas de trabalho diário. Trabalho escravo!!!], equiparação de salários com os homens [até hoje isso não acontece] e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho [principalmente contra o assédio de chefes e demais funcionários].

A manifestação foi reprimida de forma violenta e as mulheres foram trancadas dentro da fábrica e atearam fogo. Cerda de 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente insano!

O caso é que nossas amigas transexuais também tem problemas com relação a trabalho, dignidade e assédio moral que parte de toda a sociedade, inclusive do universo LGBT.

A transexualidade entrou entrou na literatura médica em 1853 quando Frankel examinou o corpo de S. Blank que havia se suicidado afo­gando-se quando estava quase a ser preso pela polícia. Desde pequeno aprovei­tava qualquer oportunidade para se vestir de mulher e sempre era acusado pela polícia de ‘travestismo‘ e a sua excessiva afeição à sedução de rapazes jovens.

 

Lea T, mesmo sem operar, um MULHER de Sucesso!!!

Elas não se identificam como gays, até porque não se sentem como ‘homens que gostam de homens‘, mas sim como mulheres aprisionadas em um corpo de homem. Sim, o caso é mais profundo do que imaginamos. Até por isso eu peço a todos que tentem se colocar no lugar dessas queridas amigas:

- Já imaginou se olhar no espelho e odiar seu próprio corpo? Não digo gordurinhas, cabelo e nariz achatado, eu digo odiar num todo. O grau de estresse dessas meninas deve chegar as alturas!!!

Sua imagem interna de si mesmo não coincide com a sua aparência física, seu sexo anatômico.

Em ambos os casos, é como se a pessoa fosse de um sexo psicologicamente, com a equivalente imagem ou esquema corporal, e de outro sexo anatomicamente.

Transexualidade sempre involve um transtorno na identidade de gênero. Não basta que a pessoa queira pertencer ao outro sexo para usufruir de vantagens culturais ou que goste de atividades típicas do outro sexo. Um transexual masculino ou feminino tem uma crença profunda e global de que sua identidade de gênero não é a mesma do sexo atribuído em seu registro de nascimento.

Ariadna, exemplo de garra! Uma MULHER de sucesso!!!

Hoje a operação de adequação sexual é feita gratuitamente pelo SUS e para realizar o procedimento em hospitais públicos o paciente passa por uma triagem, que levará em conta os aspectos clínicos e psicológicos do candidato. O acompanhamento após a cirurgia pode durar até dois anos.

Mais informações acesse o site TRANSEXUAL. Lá há muitas informações a respeito, e com certeza muita ajuda!!!

Por Peagá Peñalvez

Simplesmente DIVA para a revista Hercules

Simplesmente divina a entrevista de ontem no De Frente com Gabi. Lea T mostrou ser uma pessoa MARAVILHOSA e CENTRADA, apesar de tudo que passou.

Falou abertamente sobre transexualidade, tocando em assunto tão delicados e guardados a 7 chaves por todas que fazem a cirurgia de redesignação sexual, entre elas prazer e outros temas. A modelo ainda enfatiza que muitas não gostam da forma sincera com que fala sobre esses temas, porque acham que não se deve falar tudo que rola.

Eu mesmo fiquei sabendo muita coisa nova com essa entrevista. Marilia Gabriela simplesmente é DIVA quando o assunto é entrevistas.

Assista a entrevista completa aqui:

Por Peagá Peñalvez

Transparência, a nova produção de Sebah Vieira, consagrado ator da Rede Globo, e agora diretor de teatro, trás a tona a vida da transex Claudia Rosas, uma jovem sonhadora que mora em uma pensão e almeja o estrelato e o glamour da vida artística. Vivendo uma dura vida como transex, a falta de dinheiro e a busca por mudar a sua sorte.

A peça gira em torno da alegria de seus sonhos, e a dura realidade que a transexualidade trás. A personagem gira entre as gargalhadas e os momentos de tristeza, retratando com maestria a vida dos artistas que não alcançaram ainda a fama.

A atriz Jheniffer Luderitz dá um show de atuação incorporando a personagem com maestria. Sua vida artística já vem de longa data, tendo trabalhado em diversos programas da Rede Globo e Rede Record, entre eles Zorra Total, Angel Mix e a novela Esplendor, e ainda Riso e Improviso, Show de Improviso, Aero Tom, Batalha dos Humoristas e O Curral, todos quadros no Show do Tom.

Sebah Vieira, atuou em diversas novelas da Rede Globo como Chiquinha Gonzaga, Vira – Lata, Sala e Merengue e o Fim do Mundo, além de participar da série A Princesa Isabel e Marquesa de Santos na TV Cultura. Seu último trabalho foi na novela TiTiTi, e agora lança como diretor essa peça teatral.

FICHA TÉCNICA

Texto de Nelson Albissú
Direção de Sebah Vieira 
Coreografias e Preparação Corporal – Robson Bispo
Fotografia – Batista Lima
Cenário – Sebah Vieira
Iluminação – Gustavo Soares
Sonoplastia – Vagner Cezarei
Contra-Regra – Wemerson Vieira
Produção – Central de Cultura Entretenimento
Assessoria de Imprensa – JR Assessoria


SERVIÇOS
 Espetáculo: Transparência

Local: Teatro do Ator
Endereço: Praça Roosevelt, 172 Consolação SP
Duração: 50 minutos
Dias:  Todas as Quartas- feiras
Horário:  21 horas
Gênero: Comédia dramática
Curta Temporada: 18-05-11 à 30-06-11
Censura 14 anos
Valor R$ 5,00

 Follow @peagapenalvez

Readequação sexual da filha de Cher, agora filho, vai ser exibida no canal da Oprah

Depois de integrar a seleção oficial do último Sundance Film Festival, realizado em Utah entre os dias 20 e 30 de janeiro, o documentário “Becoming Chaz” (2010) está confirmado na programação do canal da poderosa Oprah Winfrey, o OWN – com estreia prevista para maio deste ano. O documentário fala sobre todo o processo de readequação sexual da filha de Cher.

E a diva Cher participa, claro, da produção dirigida pela dupla Fenton Bailey e Randy Barbato – em um depoimento emocionante sobre a decisão de sua filha, Chastity, agora filho, Chez Bono. Por enquanto não tem previsão de “Becoming Chaz” chegar ao Brasil. Confira o trailer:

Fonte MixBrasil

Peagá Peñalvez comenta:

Acredito que um documentário falando sobre readequação sexual é SEMPRE UMA BOA, porque vai atingir uma massa enooooooooorme de pessoas que poderão ter um pouco de informação sobre o assunto. Acredito que um dos motivos do preconceito é a IGNORANCIA das pessoas quanto ao assunto, e claro, o fanatismo religioso.

Quem sabe com isso as pessoas não compreendam mais???

Já estou louco para assistir.

Top transexual Lea T ganha pencas de elogios do pai em revista feminina

A modelo transexual queridinha das passarelas neste ano Lea T vai poder continuar desfilando por aí bem tranquila, agora com a aprovação pública de seu pai, o ex-jogador de futebol Toninho Cerezo. Em texto de duas páginas para a revista feminina “Lola” deste mês, ele confessa que tanto faz se é Lea ou Leandro, ele ama os dois.

“Meu menino, minha menina, pra sempre, eternamente os dois serão meus”, se derrete, continuando que “apesar de perceber as diferenças, percebi também que nada poderia fazer, e tudo que poderia dar a ele/ela era o meu amor incondicional”. Cerezo finaliza dizendo que “Leandro ou Lea, menino ou menina, não importa mais, sempre serei seu pai e você, orgulhosamente, um pedaço de mim”.

Fonte MixBrasil

Peagá Peñalvez comenta:

Fizemos uma matéria sobre a Lea T em nosso blog na semana passada. Leia AQUI.

Adorei o que o Toninho Cerezo falou sobre a filha. Ele que por vir de uma área profissional EXTREMAMENTE MACHISTA, poderia ter outra reação, mas mostrou que apesar disso aceita sua filha do jeito que ela é. Isso sim é ser pai/mãe, não apenas parir, gerar ou “inserir” o espematozóide em uma vagina, AMAR INCONDICIONALMENTE.

Adoraria que muitas mães e pais tivessem essa atitude. Conheço muitos amigos que tem problemas SÉRIOS com seus parentes mais próximos. É quando paro e penso na minha família, que tem seus problemas [claro], mas quando a questão é a minha orientação sexual, eles são TÃO MARAVILHOSOS que não tenho do que reclamar. Gostaria que gays e lésbicas nesse pais tivessem a compreensão e respeito que tenho de meus familiares.

AMO MINHA FAMÍLIA, com o ou sem defeitos.

O Fantástico exibiu ontem (20) uma entrevista com a modelo brasileira transexual Lea T. Durante a conversa com a jornalista Renata Ceribelli, Lea T. contou fatos de sua infância que, mesmo se sentindo como menino, sempre gostou de brincar com as bonecas da irmã e amarrar camisetas na cabeça, para fingir um cabelo longo.

Gostava de mexer nas bonecas da minha irmã. Eu era afeminado, mas não percebia, era uma coisa natural“, afirmou. Filha do ex-jogador de futebol Toninho Cerezo, a modelo decidiu abrir o jogo com a família depois de passar por psicólogos e ter a certeza de que queria iniciar o processo de transexualidade. “Houve muito choro. Meu pai mudou muito. Em coisas que ele era mais duro comigo, ele se tornou mais doce“.

Apesar de hoje ser bem sucedida e sua identidade de gênero não atrapalhar sua carreira, Lea T. revelou que não existe lado bom em ser transexual. “Sou penalizada em tudo. Não é uma coisa gostosa. É remédio, terapia, preconceito. Mas tenho minha vida sem pensar nisso, meus momentos de felicidade“.

Fonte ACapa

Peagá Peñalvez comenta:

Assisti a essa entrevista domingo no Fantástico, e sinceramente, pulei de alegria ao ver como ela é reconhecida em seu trabalho. Independente de ser transex, ela é uma boa profissional, e é isso que as pessoas veem nela. Claro, além da beleza que nossa brasileirA.

Admira-me MUITO que Toninho Cerezo, jogador de futebol, profissão machista por si só, ter aceitado, e acima de tudo respeitado a transsexualidade de Lea. Em um mundo onde pessoas são mortas ou levam lampadadas na cabeça, em plena luz do dia, na avenida mais importante do pais, ainda temos esperanças que os familiares de gays, lésbicas e transgêneros possam ser aceitos e respeitados em suas diferenças.

Desejamos a Lea MUITO MAIS SUCESSO.

Ariadna é a primeira eliminada do BBB11

Publicado: 19/01/2011 por @peagapenalvez em gay
Tags:, , , , , , , , , , , ,

Por Peagá Peñalvez

Ariadna Thalia da Silva Arantes é a primeira eliminada do BBB11, e a PRIMEIRA TRANSEXUAL A PARTICIPAR DE UM BIG BROTHER BRASIL.

Mesmo tendo sido eliminada no primeiro paredão da casa, ela entrou na casa e deu o que falar mundo afora. Em todas as timelines do Twitter, ela era assunto obrigatório quando o assunto era BBB. Entrou, não falou que fez operação de readequação sexual e cativou muita gente por ai.

Infelizmente o Brasil, ao que parece, não está preparado para ter uma transexual em rede nacional, mostrando o quanto é normal ter nascido diferente das demais pessoas. Ainda somos alvo de chacota em qualquer roda de amigos, que vira e mexe soltam piadinhas de mau gosto. Alguns não percebem, mas muitas vezes nos sentimos ofendidos com tais piadinhas.

Em um país onde gays são agredidos na avenida mais importante do país, e por terem dinheiro são soltos para praticar mais barbaridade, a Rede Globo simplesmente deu um passo a frente na luta contra a homofobia. Levando em conta que vivemos em um país de ignorantes, muitas pessoas agora sabem o que significa “transexual“.

Não achei errado ela não abrir logo o jogo de que é uma transexual. Deve ter pensando que permaneceria mas tempo na casa, e possivelmente falaria mais cedo ou mais tarde sobre ter nascido homem. Acredito sinceramente, que ela tentou viver o BBB de uma forma normal, sem ser taxada como “diferente“, ou até mesmo “aberração” por seus companheiros de confinamento. Nunca se sabe como eles iriam receber a notícia.

Agora, a parte que me deixou TODO ARREPIADO foi quando ela disse: “Independente de qualquer coisa, amo todos vocês, especialmente meu grupo e tenho orgulho de dizer que sou a primeira transexual do Brasil a participar do BBB“, disse antes de sair da casa.

Com a eliminação de Ariadna, o Brasil perdeu uma grande oportunidade de aprender um pouco a respeitar ao próximo. Quem sabe no próximo teremos um transexual masculino??? FIKDIK Boninho.

A Justiça de São Paulo autorizou uma transexual a ter novo registro de nascimento, com permissão para trocar todos os documentos e ter, oficialmente, modificados o nome e o sexo. Com a decisão, a estudante acrescentará o nome Amanda aos sobrenomes que já constavam em sua carteira de identidade.

Após dois anos de acompanhamento psicológico, a estudante de 19 anos passou por uma cirurgia para mudança de sexo. A análise e conclusão sobre retificação de registro aconteceu em apenas 20 dias e a sentença favorável foi dada no último dia 17 pela juíza Paula de Oliveira, da 1ª Vara Cível de Marília.

Na sentença, a juíza alegou que, apesar de Amanda ter nascido homem, a cirurgia a transformou com perfeição em mulher. “O autor já é, agora, também fisicamente mulher. Como último estágio na procura de sua identidade pretende agora modificar no assento próprio, o nome e o sexo. Esta última barreira, jurídica, não pode ser obstáculo a tanto“, concluiu.

Fonte UltimaInstancia

Peagá Peñalvez comenta:

Vitória da comunidade gay, principalmente para as transex brasileiras, que geralmente sofre MUITO PRECONCEITO.

É complicado você ter uma aparência completamente feminina e chegar em algum local como escola, hospital, etc e ser chamada pelo nome que está no RG e levantar uma mulher. Isso de certa forma é humilhação, e aposto que NINGUÉM gostaria de passar por uma situação dessas.

Parabéns Amanda, por ter alcançado seu objetivo.

Por um nome trans

Publicado: 20/10/2010 por @peagapenalvez em gay
Tags:, , , , ,

Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa vota projeto que muda nome de transexual na quarta por Valmir Costa

Transexual na 1ª Marcha Nacional LGBT contra a Homofobia no DF

BRASÍLIA – A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado vai se reunir na próxima quarta-feira, 20, para votar o Projeto de Lei da Câmara 72/07 (PLC-72/07), que prevê a mudança de nome de transexuais na certidão de nascimento.

Após a votação, o PLC-72/07 será avaliado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e pelo Plenário. De autoria do ex-deputado Luciano Zica (PV-SP), a matéria tem como relatora a senadora Fátima Cleide (PT-RO), que lhe deu voto favorável no dia 1º de setembro.

Caso aprovado, o projeto irá alterar o Artigo 58 da Lei 6.015/73, que dispõe sobre os registros públicos, como forma de possibilitar a substituição do prenome [primeiro nome] dos transexuais. De acordo com o projeto, o nome do transexual poderá ser averbado no livro de nascimento mesmo que ainda não tenha feito cirurgia para mudança de sexo.

Sem muitos problemas – Conforme enquete realizada em setembro pelo DataSenado, 51,7% dos 7.206 participantes apoiam o projeto de mudança de nome dos transexuais. Na ocasião da enquete, a senadora Fátima Cleide disse ser injusto o transexual ser considerado um excluído da sociedade. “Especialistas recomendam a alteração do nome e do gênero no registro civil e, em consequência, nos documentos de identificação. Isso porque, juridicamente, o direito à identidade sexual seria considerado um direito da personalidade decorrente do direito à dignidade humana, garantido pela Constituição federal em seu artigo 1º, inciso III, bem como no artigo 13 do Código Civil”, explica a relatora.

Fonte: MundoMais

Peagá Peñalvez comenta:

Poxa, mas é claro que esta lei tem que ser aprovada!!! Acredito que isso faça bem para as trans. Poxa, imagina se ela vai ao médico, uma mulher, linda, de cabelos longos e salto alto, e na hora de chamar para a consultar a recepcionista grita: Senhor Ademar!!! Claro que ela ficaria com vergonha, e as pessoas tem o direito de não ser humilhadas.

Se as nossas amigas trans se sentem mulheres, elas precisam ter um nome de MULHER NA IDENTIDADE!!!

Faço votos para que isso saia do papel e as nossas amigas possam ter mais este direito.