Posts com Tag ‘transex’

Maite Schneider - No Fusca Show

Do Que Os Gays Gostam? Maite Schneider, atriz, depiladora e transex [já falamos sobre ela na coluna TRANSformando] e não é que ela foi entrevistada pela galera do No Fusca Show e arrasou, como sempre!

Maite é uma grande militante dos direitos gays, em especial dos Travestis e Transexuais e tem um site super bacana chamado Casa da Maite.

Confere aí o que rolou:

As transexuais alemãs têm muito o que comemorar. Em decisão única no tribunal alemão ganham o direito a implante de silicone custeado pelo seguro saúde mas apenas os casos onde o tratamento por hormônio não surta efeito ou alcance o tamanho de uma lingerie. Não para por aí! As transexuais também podem incluir no tratamento procedimentos cirúrgicos em órgãos [mesmo que saudáveis] para evitar algum sofrimento psicológico.

Não sei como é ser uma transexual, mas sinceramente tento me colocar no lugar delas e entender o tipo de sofrimento que é viver em um corpo que não condiz com seu gênero. Imagine olhar todo dia ao espelho e ver algo que desagrada? Não falo de probleminhas bobos como gordura localizada, espinha, estrias, etc… falo de algo ~muito~ mais complexo. Já viu o post da coluna TRANSformando dessa semana? Lá tem um vídeo incrível com a Maitê Schneider e sua luta para readequação de gênero.

Tudo iniciou com uma transex de 62 anos que teve o tratamento hormonal e cirurgia de mudança de sexo paga pelo plano de saúde, porém seus seios não cresceram em proporções femininas e a empresa se negou a pagar um implante de silicone.

A companhia perdeu a causa, abrindo precedentes para outras transexuais realizarem o implante de silicone caso o tratamento hormonal não dê certo.

E viva a diversidade sexual!

Valesca Popozuda Miquelly Transex Do Que Os Gays Gostam

Há algum tempo atrás fizemos uma matéria sobre a cantora Valesca Popozuda lançar um concurso para escolher sua nova dançarina, que dessa vez será uma transex. Pois é, ela já escolheu sua primeira finalista, de um total de 10!!!

Foram mais de 3 mil inscrições, avaliadas pela própria Valesca, que disse na época: ‘Estou olhando foto por foto com a minha produção, sem deixar nenhuma passar batida. Tem cada dançarina linda!  Não está fácil escolher, não‘.

A primeira escolhida é a dançarina Miquelly [gaúcha de Porto Alegre e com 26 anos], que falou sobre o assunto: ‘Estou muito contente em ser a primeira escolhida! Espero vencer o concurso, vai ser um prazer para mim ser a primeira transex a dançar ao lado da Valesca Popozuda!

Adorei a atitude da cantora, vou torcer para que a escolha seja rápida, para noticiar aqui!!!

Foto reprodução

Dia 28 rolou um post sobre uma marca de cerveja que produziu um comercial infeliz usando o tema transexual e senti necessidade de expor um pouco o que eu acho sobre o assunto Humor x Homofobia, até para esclarecer um pouco a minha forma de ver as coisas.

Foto: Reprodução

Capitão Gay – Vivido por Jô Soares

Não achei o vídeo altamente ofensivo, só achei INFELIZ a forma como a propaganda foi elaborada, o caso de ter uma transex no comercial não agregou NADA. Muitos homens confundem uma transex de uma mulher e isso não é motivo de piada, como foi feito no fim do comercial, essa parte sim eu não curti.

Não sou contra o humor usar personagens gays, lésbicas ou transgêneros, até porque eu seria muito hipócrita em dizer que não dou risada de algumas coisas que vejo por aí.

Não somos super cidadãos que ninguém pode brincar, só é preciso tomar cuidado em não ofender ninguém. Não sou da patrulha da moral e dos bons costumes porque acredito que isso não existe, só acho que o direito [liberdade] termina onde acaba o respeito ao próximo.

Foto: reprodução

Vera Verão, personagem do magnífico Jorge Lafond

Não podemos achar que qualquer coisa é uma forma de agredir ou denegrir a imagem da homossexualidade, temos que relaxar um pouco, ou seremos taxados como chatos e neuróticos. Se isso acontecer, quando for uma reivindicação forte e séria as pessoas nem nos ouvirão e logo pensarão: ‘Aff, lá vem a patrulha gay‘. Não é isso que queremos, ou é???

Todo mundo faz piada sobre negros, judeus, gaúchos, são paulinos… porque não faríam conosco? Se queremos ser tratados como iguais, também podemos tirar nosso bom humor da bolsa [Gucci ou Prada por favor] e dar um pouco de risada, né???

O significado da palavra gay logo que foi ‘criada‘ é alegre e somos realmente pessoas alegres e de bem com a vida. Bom humor não faz mal a ninguém, ao contrário, faz bem para o coração!!!

Há personagens gays maravilhosos na história da televisão brasileira: Capitão Gay [que logo vira filme], Vera Verão, Valéria Vasquez, entre tantos outros. Interpretações incríveis, não é mesmo???

Vamos [re]lembrar deles???

Valesca Popozuda Transex - Do Que Os Gays Gostam

Valeska Popozuda, uma das grandes funkeiras brasileiras, abriu inscrições para dançarinas transex. A cantora usou seu perfil no twitter para divulgar. ‘Quero ver o babado pegar fogo no palco!

Nós que convivemos muito no universo gay sabemos a quantidade de transex LINDAS que existem, e achei muito bacana a cantora abrir espaço para as meninas dançarem em seus shows. Conheço pelo menos uma dúzia de meninas que adorariam participar!

Tá afim de participar??? Então prepare um bom modelón, capriche no make up e tire fotos incríveis para enviar. Se joga bee!!!

Lea T retorna da Tailândia

Publicado: 18/04/2012 por @peagapenalvez em Sexualidade
Tags:, , , ,

Para quem não lembra, ou não sabe, a modelo Lea T fez a operação de mudança de sexo na Tailândia a cerca de um mês. Uma cirurgia delicada e que requer muitos cuidados para a boa recuperação.

Lea optou por não dar entrevistas no momento, é o que diz sua assessoria de imprensa, que afirma que a modelo já está em Milão se recuperando da operação que foi um sucesso!!!

Estamos na torcida para que Lea volte logo para as passarelas e editoriais, porque ela simplesmente ARRASA!!!

Roberta Close, uma MULHER de sucesso!!!

Hoje é Dia Internacional da Mulher, data que todas as mulheres do mundo comemoram a luta por direitos iguais. A data teve início por conta da luta de um grupo de operárias de uma fábrica de tecidos de Nova Iorque que fizeram uma grande greve.

O grupo ocupou a fábrica para reivindicar melhores condições de trabalho: redução na carga diária de trabalho para dez horas [era exigido 16 horas de trabalho diário. Trabalho escravo!!!], equiparação de salários com os homens [até hoje isso não acontece] e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho [principalmente contra o assédio de chefes e demais funcionários].

A manifestação foi reprimida de forma violenta e as mulheres foram trancadas dentro da fábrica e atearam fogo. Cerda de 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente insano!

O caso é que nossas amigas transexuais também tem problemas com relação a trabalho, dignidade e assédio moral que parte de toda a sociedade, inclusive do universo LGBT.

A transexualidade entrou entrou na literatura médica em 1853 quando Frankel examinou o corpo de S. Blank que havia se suicidado afo­gando-se quando estava quase a ser preso pela polícia. Desde pequeno aprovei­tava qualquer oportunidade para se vestir de mulher e sempre era acusado pela polícia de ‘travestismo‘ e a sua excessiva afeição à sedução de rapazes jovens.

 

Lea T, mesmo sem operar, um MULHER de Sucesso!!!

Elas não se identificam como gays, até porque não se sentem como ‘homens que gostam de homens‘, mas sim como mulheres aprisionadas em um corpo de homem. Sim, o caso é mais profundo do que imaginamos. Até por isso eu peço a todos que tentem se colocar no lugar dessas queridas amigas:

- Já imaginou se olhar no espelho e odiar seu próprio corpo? Não digo gordurinhas, cabelo e nariz achatado, eu digo odiar num todo. O grau de estresse dessas meninas deve chegar as alturas!!!

Sua imagem interna de si mesmo não coincide com a sua aparência física, seu sexo anatômico.

Em ambos os casos, é como se a pessoa fosse de um sexo psicologicamente, com a equivalente imagem ou esquema corporal, e de outro sexo anatomicamente.

Transexualidade sempre involve um transtorno na identidade de gênero. Não basta que a pessoa queira pertencer ao outro sexo para usufruir de vantagens culturais ou que goste de atividades típicas do outro sexo. Um transexual masculino ou feminino tem uma crença profunda e global de que sua identidade de gênero não é a mesma do sexo atribuído em seu registro de nascimento.

Ariadna, exemplo de garra! Uma MULHER de sucesso!!!

Hoje a operação de adequação sexual é feita gratuitamente pelo SUS e para realizar o procedimento em hospitais públicos o paciente passa por uma triagem, que levará em conta os aspectos clínicos e psicológicos do candidato. O acompanhamento após a cirurgia pode durar até dois anos.

Mais informações acesse o site TRANSEXUAL. Lá há muitas informações a respeito, e com certeza muita ajuda!!!