Posts com Tag ‘mãe’

Olá meninos do blog!!! Sou leitor assíduo do DQOGG a mais ou menos uns dois anos, quando tive minha primeira experiência com um garoto e buscando achar algumas respostas as minhas duvidas encontrei vocês, e desde esse dia não deixei de acompanha-los. Enviei uma vez uma pergunta a vocês e a opinião que me deram me ajudou muito em meu problema.

Mas agora, preciso de mais algumas dicas, pq o assunto é família… gosto muito de sair e recentemente comecei a namorar um cara maravilhoso que está me fazendo muito feliz. Gosto muito de sair pra boates e casa de amigos e com certa frequência durmo fora de casa. Agora, namorando… durmo mais fora ainda, pq fico na companhia do meu amor.

O que acontece é que minha familia não sabe da minha sexualidade (ou pelo menos finge não saber), e sempre que tenho q sair acabo contando alguma história e não falo realmente o que acontece e pra onde vou. Isso está me deixando muito chateado pq nao gosto de mentir pros meus pais e queria muito falar sobre meu namorado e sobre meus amigos, que são amizades muito saudáveis.

Resolvi que semana que vem trago meu namorado aqui em casa pra ver se acalmo meus pais (vou apresentá-lo como amigo), pois eles sempre falam q não conhecem esses meus amigos e acho q por isso eles se preocupam tanto. Alguns dias depois de conhecerem o meu amor e verem q ele é bacana, pretendo bater a real e falar que sou gay e que aquele rapaz que veio a nossa casa outro dia é meu namorado.

Eu sinceramente não acho que minha família irá me bater ou expulsar de casa ou fazer essas outras coisas horrorosas que outras familias malucas fazem, mas tenho medo pq sei que meu pai ficará muito triste. E mesmo que algo de ruim aconteça… ainda assim posso me virar pois tenho emprego, embora não ganhe bem e não possa dizer que sou independente, eu consigo me virar .

O que queria era uma ajuda de como vocês acham que devo conduzir esse assunto, aqui em casa certos assuntos como  homossexualidade por exemplo não são muito comuns.

Aqui não é programa da Xuxa mas eu quero mandar um beijo pra vocês do blog, um pra Xuxa outro pra Sasha e um especial pro meu amor que eu gentilmente apelidei de Deby Neto.

Obrigado!!!

Leandro, 21, Goiânia/GO

Mãe, eu sou gay!

Assumir pra família é geralmente complicado, porque sempre temos medo da  reação deles quanto a nossa sexualidade, mas pelo que você nos conta não será tanto problema e forma como você pensa em sair do armário é uma das mais adequadas: preparar antes de assumir. Talvez você seja uma ferramenta para que o assunto homossexualidade seja mais discutido e aceito por seus familiares. Até porque você mesmo nos diz que eles já devem saber que você é gay.

É ruim quando temos que nos esconder e mentir para as pessoas que amamos com quem namoramos ou para onde vamos. A família deve ser aquela que nos ajuda e apoia em tudo que fazemos, nos dá as broncas quando estamos errados e conselhos quando estamos perdidos e viver mentindo realmente quebra um pouco esse relacionamento. Entendo seu lado.

Faça como falou: apresente seu namorado como seu amigo no começo e depois, com o tempo, eles vão entender que vocês não são apenas amigos, porque as pessoas não são bobas [as mães muito menos] e com certeza notarão a forma como se olham, agem e se tocam… é diferente com um amigo.

Se eles tocarem no assunto respire funde e conte. Aconteceu isso comigo, vou contar:

Quando tinha 16 anos namorava um cara pouco mais velho que eu, e fazíamos tudo juntos. Vira e mexe ele dormia na minha casa e como não tinha uma cama de casal ele dormia comigo na minha cama de solteiro. Foram alguns meses assim, apresentando ele como amigo e quase todos os dias ele passava em casa de carro e dávamos um volta [pra transar, claro]. Quando terminamos fiquei arrasado e minha mãe percebeu que estava triste e o meu ex não aparecia mais em casa. Ela veio me perguntar o que tinha acontecido e disse que havíamos brigado. Minha mãe que não era boba emendou a pergunta bombástica: ‘Ele é só seu amigo?‘ Na mesma hora eu disse que éramos namorados e comecei a chorar. Ela com toda a tranquilidade do mundo disse que me amava de qualquer jeito e que ‘quem sabe um dia não voltaríamos na namorar‘, ‘Que brigas nos relacionamentos acontecem‘ e mais um monte de coisas. Não voltei com meu namorado, mas pelo menos contei que sou gay e não me arrependendo porque alguns meses depois ela morreu de leucemia e ficaria arrasado se ela não soubesse que sou gay’.

“Gostaria de uma ajuda. Tenho 36 anos, moro com mamy. Apanhei durante adolescência por ser pego vestindo roupas de minha irmã escondido em casa e por dizer estar a fim de um carinha do colégio. Hj morro de medo de qualquer reação sobre o assunto, mas sempre quis ser mulher e ter um namorado. Que devo fazer? Finjo ser homem. Obrigada pela resposta.”

Paulo

Foto: Getty Images

Oi, Paulo, ou melhor, Paula. (aqui a gente não tem nenhum problema em aceitar sua versão mulher!), sua situação é delicada, morar com sua mãe aos 36 anos realmente te deixa preso, sem poder praticar sua sexualidade no aconchego do que seria o seu lar. Porque é o lar dela, então, deve respeitar as regras impostas etc.

Infelizmente nascemos num mundo onde um homem vestir roupas de mulher é considerado, no mínimo, estranho. Eu sei que é muito difícil sair de casa, financeiramente falando, principalmente! Eu continuo morando com minha mãe e acredito que, em partes, isso contribui pra minha situação conjugal do tipo “encalhado por tempo indeterminado”. Não estou te aconselhando a fugir para ser você mesmo, apenas acho que seria positivo ter seu próprio teto… Não é errado querer ser mulher, você não deveria ser julgado e castigado por isso. Mas, com certeza será, sobretudo nas ruas, então, poder chegar em casa  e não receber críticas por se vestir de mulher será importante.

Se sente isso desde pequeno, já está na hora de procurar um Psiquiatra. Não, não to te chamando de louco. É que ele/ela te ajudará a se entender melhor. Fazendo tratamento saberá porque se sente assim e também, se será possível se tornar mulher, fazer a cirurgia de mudança de sexo… etc.

))) Dois conselhos: saia da casa da sua mãe e procure um psquiatra.

No seu novo lar, se não for possível morar só, coloque para dentro apenas pessoas que sejam tolerantes, quem sabe alguém que se sinta como você, para dividir as contas contigo. Depois que se sentir mais confiante, depois do tratamento com o médico. Quando souber quem você é realmente e não tiver vergonha, nem medo, de aceitar e defender seu direito de ser assim, converse com sua família, se achar necessário. Se eles não gostarem, te recriminarem… pelo menos já não morará com eles e será realmente dono do seu próprio nariz.

Quanto a arrumar um namorado, acho melhor resolver todo o resto primeiro, quando estamos bem o mundo nos vê bem e atraimos coisas boas, pessoas boas, daí pode ser que pinte um boy magya muito bom pra ti. Se ele tiver um irmão gêmeo, apresente pra mim, ok?

Espero ter te ajudado! Boa sorte. Beijas,

L^^e!))).

)))Oi o io, minha gente!

To de volta, depois de quase surtar tentando conciliar o trabalho e a faculdade, semana de provas, entrega de TCC, muita emoção, só que não. Daí deixei a Peagata sozinha e abandonada, postando por aqui… Enfim, VAMAS ao que interessa:

Desce a barrinha da felicidadjean aewwwww!

1))) Torcedores do Corinthians são maioria na Parada Gay de SP, diz Datafolha

Imagem: blog begad 1105

*LINDAS! Se bem que tem gente que leu isso e pensou: “Foda é que não dá pra saber se eram todos gays ou se tavam batendo as carteiras das gays”. Não me comprometo… Mas também não sei responder.

2))) Namorar engorda mesmo e estudos comprovam, diz médico

Foto: Domínio Jovem

*Essa é pra quem passou o dia dos namorados sozinho, abandonado, sem presentes e sem sexo a luz de velas. PONTO PRO TIME DOS SOLTEIROS. Dale magras!

3))) Jason, Sam e Eric peladões na premiere da 5ª temp. de  True Blood

*PFVR que todo episódio seja assim. Que o Eric se torne um tarado e transe com mulheres e com homens também (primeiro comigo) como ele fez ca mulher dentro do container. SUEI GLITTER EM GEL ROSA COM AQUELA CENA.

1))) Maluf aparece em lista internacional de corrupção

Foto: Tiago Queiroz/18.01.2011/AE

*Maluf aparece DUAS vezes na mesma lista, por dois esquemas diferentes. Mas, segundo o Assessor de Imprensa do político: “Paulo Maluf não tem nem nunca teve conta no exterior”. HAHAHAHA. Que coisa , né! Tadjeanhu do Maluf, o nome dele apareceu do nada nessa lista. (SÓ QUE NÃO). Conta TUDO pra Malu Mader, Malufinho. #AJusticeira

2))) Dr Rey paga mico na SPFW com camisa de R$2.000, mas se acha estiloso!

Fotos: AgNews

*Ui, peitinhos à mostra: GLAMOUR, FaMA, Xuxexo. Só que não, DR. Rey. Você é MOINTON EXTRANHUM. Olho pra tua cara e penso: essa mulher casada contigo recebe quanto por mês pra fazer o vibrador funcionar…em ti?

3))) Atriz de “Gossip Girl” ganha processo contra a própria mãe

Foto: Getty Images

*Leighton Meester, a Blair de GG, teve que processar a mãe porque ela desviava o dinheiro que a atriz enviava para o irmão doente e o usava em cirurgias plásticas, aplicações de botox e implantes de cabelo. Leighton mandava mensalmente mais de R$ 15 mil para cobrir as despesas médicas dele e a véia doida pegava pra gastar no salão. FODA.

))))))))))))))))))))))))))))

)))))))))))))Por hoje é só, pessoal!

Resumão:

A vida é difícil, por isso precisamos de momentos para relaxar, então clica no play e não pense em nada, se conseguir não pensar:

Pois é. Se nem isso te mostrar como a vida é bela! Relaxe, não arrange brigas por aí. Vai que por arrumar confusão você vira um novo sabor de farofa…

))) Beijas, me desafia no Song Pop! (Vô sambar na sua cara em diversos ritmos. Traaa!).

L^^e!))).

Fontes: Folha, G1, R7, F5 e Superherofan.net.

Ser mãe é algo incomparável dizem às mulheres que pariram. Eu não sei exatamente do ponto de vista uterino, pois meu útero tem síndrome de Peter Pan, mas isso não me impediu de ter um filho ou sentimento maternos, pois gesto um no meu coração. Digo ‘gestar’, porque no coração ele estará para sempre, independente da idade, da vontade, é um processo ao contrário do parir. Ele é concebido diariamente, alimentado pelo meu amor, acarinhado gradualmente.

Quando conheci meu anjo, ele ficou meio receoso, no susto, e quase aos gritos falou assim;

Eu gosto de meninos!‘. Minha reação foi a mais simples de toda, nem dei bola. Ele ficou completamente confuso, achando que eu não sabia lidar com aquela informação! Insistiu tanto no assunto que lhe falei: ‘Eu posso ser sua mãe?‘ Saber que era gay não era minha prioridade. Mesmo por que ele não precisa me dizer que era gay, apesar dele não ter trejeitos, o que eu queria era ser mãe dele, gay ou não!

Ele tem uma mãe bacana, mas eu achei conveniente ser mãe dele também. Ele sabe que pode contar não só com uma, e sim com duas. Isso não quer dizer que eu queira usurpar o lugar dela, ou que minha maternidade seja algo irresponsável, reclamo sim, dou conselhos, sofro juntamente com ele quando lhe acontece algo ruim, quando é irresponsável, quando briga com o namorado, quando é sacaneado pelos ‘amigos’, quando escreve ou posta fotos na internet. Não sou de pegar no pé, mas reclamo bastante quando ele está na fase balada, bebedeiras, não dorme cedo, sair sem se alimentar, largado, ansioso, enfim coisas normais de mãe.

O fato ser gay, não altera em nada no meu sentimento de mãe, mas as preocupações são enormes, com a saúde, com o relacionamento, ele é muito sensível, ainda é muito inocente, é muito crédulo, coisa de librianos. Meu maior medo é com a violência, preconceito, não seria algo fácil vê-lo sofre algum tipo de violência, sofro quando leio que um gay foi agredido, sempre me coloco no lugar de mãe.

A problemática dessa história é o seguinte; sei muito sobre o mundo gay. Vai saber por que eu tenho essa visão aguçada, saco tudo! Ser assim tem horas não é muito legal, gostaria de ser ignorante às vezes, sofreria menos, mas não uso essas informações sempre, seria interferir na vida de vocês de forma abusiva. Mas, não deixo de comentar, ele sabe que sei, e dependendo da situação ele rir do meu gay interior.

A minha maior preocupação não só com o meu anjo, mais com os gays do mundo é a essa luta diária para garantir um direito já concebido, o de existir. Se uma mãe botou no mundo um filho, independe dele ser gay, hetéro, travestis, pan, transexual, problemático ou vagabundo, não importa… é filho. Não aceito ser julgado, desrespeitado pela própria mãe? Mãe tem que garantir proteção do filho, o mundo pode conspirar contra ele, mais sua mãe não.

Ainda não entendo porque discutir a sexualidade do filho seja algo relevante, sendo que pai e mãe tem educar, alimentar, orientar e amar seus filhos. Um amigo do meu filho me fez essa pergunta; “se fosse realmente mãe de um gay, aceitaria assim naturalmente?”. Finco o pé e afirmo sem a menor dúvida que aceitaria sim. Não seria diferente do que sou! Não agiria de outro jeito se não cuidando, orientando, meu filho não passaria por situações complicadas, ele nunca experimentaria o desgosto de rejeição materna. Não iria brincar de pique esconde também! Hahahaha…

O que vejo é o excesso religioso, interferindo de maneira cruel na vida das pessoas, a interferência política e religiosa é injusta, pois interfere no direito legal da existência à vida. Vejo grandes documentários desconstruindo mitos religiosos. Decifrando paradigmas, colocando em confrontos ideias preconcebidas. Mas tudo isso não está ao alcance da população, são reproduzidos conceitos ultrapassados, perversos usando como pano de fundo o gay. Deus não julga quem mata, rouba, explora, estupra , engana, usa seu nome em beneficio próprio, mas que ama o mesmo gênero está condenado, não importa quanto esse amor seja digno!

Meus filhos são vocês e quem mais quiser ser! Mesmos aqueles que tenham uma mãe bacana, eu sou assim com mania de ser mãe, azar do meu útero, afinal acho que sou privilegiada, não tenho estrias, cicatrizes, e meus filhos não precisam esperar nove meses para nascer, são concebidos no meu coração!

Acredito que não deveria tem que explicar que gay nasce e não é opcional, ou reversível como é divulgado bestialmente por insanos religiosos, políticos e até psicólogos, mas ainda se faz necessário sim. LGBTTs tem um longo caminho para percorrer e se entende e fazer-se entender nesse mundo hipócrita em que vivemos.

)))Oie!

To aqui, firme, forte e fértil, virado da balada e, mesmo assim, fazendo este post para descontrair seu sábado!

Então, divirta-se! Desce a barrinhawn da felicidadjean aew:

1))) Brad Pitt sobre casamento: ”Acho que não podemos mais esperar”

O casal mais belo, de ladinho que é pra não te matar de inveja. (Foto: Getty Images)

*Tudo bem Brad, a gente te deixa casar com a Angelina… Só de terem apoiado o casamento gay como vcs fizeram, já ta bem bom. Seria egoísmo fazer cara feia pra vcs ou levantar o braço quando o padre disser: “Se existe alguém contra este matrimônio, que fale agora ou cale-se para sempre”…

2))) Lula visita Reynaldo Gianecchini no hospital

É dos carecas que elas gostam mais? (Foto: Getty Images)

*Eles estão se tratando do Câncer no mesmo Hospital, daí o Lula foi visitar o Gigi. Achei legal toda essa socialização entre dodóis. Eu amaria sentar num boteco pra beber com o Lula, ele deve ter tanta estória pra contar! Já com o Gigi, adoraria oooooooutra coisa!

3))) Adolescente ouve a mãe fazendo sexo e liga para emergência

Alô, Cristina? (Foto: Getty Images)

*HAHAHAHAHA #morri. Nos EUA, a mãe da guria tava transando com um boy magia às 4h da manhã, a menina de 15 anos, ligou pro 911 e disse que estava sendo desrespeitada pela mãe… No fim, nada demais aconteceu. Mas, olha o mico! Vida injusta, né? As mães têm que ouvir as filhas batendo cabelo ca Britney dia e noite, e as filhas, ingratas, não podem aturar 15 minutos de gemidos da mamãe no quarto ao lado!

1))) Michel Teló sobre Shakira: “Se rolar, ela canta e eu danço”

Walter Mercado, é vc? (Foto: Getty Images)

*Shaki perdeu uma estrelinha no meu conceito divônico. Diz que ela quer que o Michel Teló faça um show em seu aniversário! Chega de fazer caridade, Shakira!  Chama a Adele. desenterra a Amy, vai numa mesa branca e grava um EP ‘Elvis Live Specially For Shakira’s Birthday’, mas não contrata show da Michaela Teló, BITCH, PLEASE.

2))) Queda de energia faz Luan Santana improvisar em show na capital baiana

AMO/SOU meus fãs! Acertaram na cor e no tamanho! (Foto: Uran Rodrigues)

*Bando de bicha burra! Era pra desligar o fio do microfone, não o da luz.

3))) Claudia Leitte está grávida de segundo filho

Ela força tanto pra ser "gramurosa" e sempre se fode... (Foto; Getty Images)

*Eita, Deus! O ataque dos Gremlins continua, né? Duas dúvidas: se for menina, chamará Ivete? E na hora do parto, a criança vai ser puxada por cabos de aço e dará cambalhotas flopadas knem a mamãe no Rock In Rio? o.O 

)))))))))))))))))

))))Por hoje é só, pessoal!

Resumão:

Michel Teló + Luan Santana + Claudia Milk = 

(Foto: Getty Images)

Sem mais,

Bjuxxx, L^^e!))).

Fontes: Contigo online, O Fuxico, O Globo, Caras e F5.

Mexicana gera bebê de filho gay

Publicado: 09/11/2010 por @peagapenalvez em gay
Tags:, , , , , ,

 

Amor de mãe duplo

Jorge sonhava em ser pai, mas ele é gay. Foi então que sua mãe se dispôs a ajudá-lo. A mexicana de 50 anos decidiu se tornar mãe e avó, cedendo seu útero para que o filho pudesse ter um bebê.

Foi meu primeiro neto, e não o sinto assim porque também é meu quarto filho”, disse a mãe de Jorge, um empresário mexicano de 31 anos, entrevistada pelo jornal local Reforma.

Em novembro de 2009, começaram as tentativas de inseminação artificial com o sêmen de Jorge e com os óvulos de sua melhor amiga, segundo reportagem do jornal argentino Clarín.

A ideia foi da mãe de Jorge, após ver em um documentário que o melhor útero para fertilização em casos de barriga de aluguel é o da avó. “Minha mãe me dizia ‘pense no bebê, uma mãe substituta luta todo o tempo para não querer a criança porque sabe que não poderá ficar com ela. Mas eu não, vai ser meu neto‘”, contou. Segundo ele, a mulher também quis “recompensar o filho porque anos antes ele havia doado um órgão a seu pai e salvou sua vida”.

Ainda que a mulher enfrentasse riscos por conta da idade, Jorge acredita que valeu a pena. A mãe-avó, que não quis se identificar, estava há 21 anos sem ficar grávida.

Não me sinto nem como mãe, nem como avó. Quando me chamam de mãe, eu estranho, quando me chamam de avó, estranho também. Nunca me arrependi. Pelo contrário, é um gosto e um privilégio. É certo que sofri mudanças hormonais, logo comecei a engordar”.

No México, as leis permitem a prática da mãe substituta, desde que não haja negociação em dinheiro e se as mulheres tiverem parentesco em primeiro ou segundo grau, como avó, mãe, irmã. O bebê nasceu na última segunda-feira (1/11) com 2,4 quilos e 49 centímetros, chama-se Darío e terá os dois sobrenomes de seu pai.

Fonte OperaMundi

Peagá Peñalvez comenta:

Quando eu li esta matéria inicialmente eu fiquei chocado que a mãe pudesse doar o seu próprio óvulo para o filho, ainda mais levando em consideração doenças hereditárias e etc, mas me deu um alívio quando li que era o óvulo de uma amiga dele. UFA.

Acho interessantes alguns gays terem filhos, independente de ser inseminação artificial ou fazendo ao natural, o que importa é realizar o sonho da paternidade. Apesar de que no caso de gays eu acho mais sensato a adoção. Penso que tem tanta criança em nosso país precisando de amor, casa, educação… pra que colocar mais uma no mundo se tem tantas por ai precisando??? Bem, esta é minha opinião, mas cabe a cada um decidir o que acharia melhor.

Parabéns para a mamãe, digo, avó… AH, mamãe/avó, pela coragem de ter um filho mesmo com idade avançada.

Pegar mulher??? Sai de mim!!!

Publicado: 30/08/2010 por @peagapenalvez em gay
Tags:, , , , , , ,

Oi pessoal! Bem, não faz muito tempo eu mandei uma perguntinha para vocês, mas novamente preciso de ajuda. Não sei se vocês vão lembrar, eu sou o garoto de 20 anos do Rio de Janeiro que namora o de 25 de Brasília, eu tinha pedido ajuda sobre o meu namorado que estava com receios de transar comigo. Enfim, esse e-mail não tem nada com isso.

O problema agora é com meu pai. Para resumir a história, eu tive uma briga muito feia com ele e ele disse que ia me tirar da faculdade e me prender em casa pra eu não ir para o estágio. Nessa hora eu estava na casa da minha avó, porquê é mais perto da faculdade (ela sabe que eu sou gay e me aceita muito bem). Depois dessa briga eu entrei em desespero e ia fugir pra morar com meu namorado em Brasília. Arrumei as malas, comprei passagem e meu namorado até arrumou emprego pra mim lá, isso tudo em uma noite, já estava tudo certo e eu ia no dia seguinte. Bem, eu não podia simplesmente desaparecer, então de manhã eu chamei minha mãe para conversar e contei tudo pra ela. Contei pra ela que sou gay, contei que não aguentava mais meu pai e contei que ia embora.

Quando eu não estava perto, ela ligou para o meu pai, e ele foi até lá, minha mãe contou pra ele e brigamos muito. Eu e meu pai gritando um com o outro. Depois que passou a briga, ele disse que não estava com raiva porque eu era gay, mas sim porque eu estava disposto a largar tudo, minha família e faculdade e trabalho. Disse que ele e minha mãe me amavam de qualquer jeito, não importava o que eu fosse. Até aqui tudo bem, continuei na faculdade e no estágio, ele me trata normalmente e minha mãe me trata até mais carinhosamente. O problema é que meu pai quer que eu mude, ele quer que eu termine com meu namorado e que eu tente ficar com uma garota, mas eu já sei que não gosto de mulher. Não sei como falar isso pra ele, ele não quer me escutar quando eu tento dizer que não vou e nem quero mudar. Como eu falo isso pra ele?

Muitos beijos para todos, são todos lindos, por fora e por dentro, por ajudarem pessoas como eu, que não tem a quem recorrer.

Pedro, 20 anos, Rio de Janeiro

Peagá Peñalvez responde:

Olá Pedro, ficamos felizes quando nossos leitores nos mandam mais de uma pergunta, isso mostra que acertamos na outra, né???

Para alguns pais é complicado aceitar a homossexualidade dos filhos. Alguns fazem como o seu pai que quer que você fique com uma mulher para “testar”, porém quando temos a certeza de nossa sexualidade, não adianta tentar fazer algo que é contra a sua natureza. O importante é tentar explicar para ele que isso é contra a sua natureza.

As vezes quando alguém me pergunta como é ser gay, ser homem e gostar de outro homem, eu falo o seguinte: “É a mesma coisa que ser hetero. O mesmo sentimento que você sente por pessoas do outro sexo, eu sinto por pessoas do mesmo sexo. Igual a você, os mesmos sentimentos”. Dê o seguinte exemplo para o seu pai: “Imagina pai se eu forçasse você a ficar com um homem. Como você se sentiria”??? Acredito que se ele pensar, e se colocar no seu lugar ele vai entender que forçar você a ficar com uma mulher não vai resolver o seu problema e, além do mais, vai te deixar triste.

Os pais nos querem ver felizes. Para cada pessoa, a felicidade é uma coisa, é mostrar para o seu pai que a sua felicidade é apenas diferente da dele.

Beijo e espero ter ajudado!!!

Ou clique AQUI