Posts com Tag ‘lésbicas’

Nunca vi um gay feliz

Esse é o retrato da política brasileira, ouvir de um vereador eleito nessa última eleição que: ‘Ser gay não é bom pra ninguém (…) Nunca vi um gay feliz‘. Quem disse isso foi o vereador Conte Lopes em entrevista para o Estadão onde falava sobre o Kit anti homofobia, vetado pela presidente Dilma Rousseff, que na ápoca disse que se tratava de ‘propaganda de opção sexual‘.

Para piorar mais as asneiras que falou completa com: ‘Todo cidadão quer ter um filho homem jogando bola, uma filha mulher brincando de boneca, casando, gerando filhos… O natural é isso! Eu acho que os psicólogos deveriam analisar isso aí‘.

Não sei até que ponto o vereador leu sobre o kit anti homofobia, mas pelo que sei, ele foi sim elaborado não apenas com as informações de ONGs e militantes LGBTs, mas com a ajuda de psicólogos e pedagogos. Na realidade o que ele quis dizer nas entrelinhas é que quer psicólogos da sua laia, ou até mesmo psicólogos cristãos como vejo muitos por aí que prometem curar a homossexualidade.

A felicidade é subjetiva, não posso dizer o que faz uma pessoa feliz ou não. Se gays não são felizes eu não sei, posso falar apenas por mim, mas pelo que observo [há anos] somos tão felizes quantos os heterossexuais, nem mais nem menos. Não entendo como as pessoas gostam de nos colocar como todos iguais e homogêneos, levando em consideração que somos tão únicos quantos os heterossexuais. Será que fazemos parte de uma outra espécie e não sabemos? Creio que não, né?

Os mesmos problemas que afligem qualquer pessoa no mundo também nos fazem mal. Sofremos por amor, queremos casar e ter filhos, ficamos doentes, temos problemas com nossos pais, chefes, amigos… O que nos faz mais tristes que o restante da população? Só se os heterossexuais vivem a base de fluoxetina e não sabemos, né?

Quem é esse vereador para julgar o que nossos pais querem de nossas vidas? E se eles querem algo, o que isso interfere em nossas decisões, se somos indivíduos únicos que temos gostos pessoais e livre arbítrio para fazer o que bem quisermos?

Porque tanto machismo com homens que brincam de boneca ou mulheres que jogam bola? Quer dizer que um homem que brincar boneca é gay e uma mulher que joga bola é lésbica? Hum… o que dizer de um homem que brinca de boneca e quando adulto, através dessas mesmas brincadeiras, se torna um pai exemplar que sabe como cuidar de uma criança? Ou uma mulher que quando adulta torna-se uma esportista e através do futebol cresce como profissionalmente e emocionalmente? Eles são gays/lésbicas por conta de um detalhe desses?

Complicado quando esses novos vereadores querem fertilizar nossos ouvidos com tanta merda que sai de suas bocas, né?

Assista o vídeo com a entrevista:

Empresa de viagens lança video emocionante sobre casamento gay

Enquanto no Brasil poucas marcas investem em campanhas publicitárias para o universo gay, nos Estados Unidos a coisa é diferente! A Expedia, empresa voltada para o mercado de viagens lança vídeo emocionante sobre casamento gay entre duas mulheres. Gays Gostam de empresas que nos respeitam!

A história começa com um senhor, o pai de uma delas, falando sobre sua filha. A infância, adolescência… Ele se prepara para o casamento dela e atravessa o país para comparecer o casamento da filha.

É incrível quando vemos empresas que investem no Pink Money, não porque buscam apenas mais um mercado para seus produtos, mas porque respeitam o indivíduo. Quem sabe as empresas brasileiras [e agências] tenham um pouco de coragem de investir no universo gay?

Sempre há esperança das coisas mudarem, até porque algumas pesquisas mostram que gays e lésbicas viajam 5 VEZES MAIS que heteros, e não pense que são viagens para o litoral no fim de semana, são viagens a locais paradisíacos, internacionais e caros!

Nem comentarei sobre esse povo que não tem louça pra lavar e comenta asneiras lá no vídeo. Nem darei IBOPE a esse povinho com visão limitada da vida.

Assista e emocione-se:

[Sugestão da @AnaVanolli do Sexo And Rock 'n Roll]

Imagem: Facebook

Chegou o Fim dos Tempos! Dezembro de 2012 está próximo e com isso os Cavaleiros do Apocalipse se aproximam para acabar com tudo! Não acreditei quando vi a foto [acima] de André Almada, dono da The Week famosa balada GAY da Lapa, abraçado e todo sorrisos com o candidato Celso Russonamo, candidato da bancada evangélica e abertamente homofóbico em seus discursos.

Como um empresário que vive do Pink Money incentiva e posa para fotos com ser tão repugnante quanto o candidato Russomano?

Sabe porque não mudamos as coisas no Brasil? Porque em sua grande maioria, gays e lésbicas são acomodados na luta por direitos iguais. Preferem se preocupar com a balada do sábado, com o boy magia com que querem transar, com o suplemento novo que lançaram, com a musculação e tudo quanto é coisa fútil ao invés de lutar por algo que realmente vale a pena.

Se sentem protegidos em seus mundos ilusórios produzidos com ecstasy e ketamina e esquecem que a vida é mais do que isso, principalmente a da comunidade gay brasileira.

Infelizmente essa é a realidade paulistana e tenho vergonha de morar em uma cidade onde os gays são agredidos e mortos e onde uma dos maiores empresários do meio gay apoia a candidatura ABSURDA de um prefeito evangélico.

Acorda Alice que isso é bad trip!

[ O lado bom de ter uma blogay que não tem rabo preso com nenhum empresário da noite gay paulistana é isso. Falo o que realmente penso e não preciso me justificar ou puxar o saco de ninguém. Isso é ser blogayro]

>>>>>

A Equipe de Assessoria de Imprensa do empresário André Almada mandou essa nota de esclarecimento para o site RG. Leia a matéria n íntegra aqui.

Sobre a foto que tem circulado pela internet, na qual o empresário André Almada aparece ao lado do candidato a prefeito de São Paulo, Celso Russomanno, explicamos que se trata de um evento realizado na semana passada no clube The Society. Russomanno, apontado por muitos como opositor da comunidade e dos direitos LGBT, foi justamente esclarecer essa questão e apresentar seus planos e projetos pertinentes a esse público. “O que fizemos foi dar direito de resposta e promover um debate saudável. O Grupo The Week, além de promover entretenimento, exerce sua responsabilidade social. Nossas portas estão abertas a todos os demais candidatos‘, afirma André Almada.

Quem acredita nisso uma palma só. Cri Cri

Ontem no twitter rolou um twittaço contra o Deputado Jair Bolsonaro que usa de seu mandato para espalhar a intolerância e ódio contra gays, sob a hashtag #ForaBolsonaroPorque moveu centenas e centenas de LGBTs que não estão satisfeitos com um país onde amar diferente é crime com direito a espancamento na Avenida Paulista ou pior, assassinatos!

Protegido por sua imunidade parlamentar [que deveria se chamar impunidade parlamentar] já soltou diversas pérolas contra gays e lésbicas, quebrou decoro parlamentar, já foi processado diversas vezes mas ainda permanece como deputado e compactuando com disseminação da homofobia em nosso país.

Separamos os melhores tweets para você conferir o que rolou!

Quer ficar por dentro de tudo que rola no universo gay? Basta seguir o perfil do blog

Folha de Pernambuco e a Propaganda Homofóbica

Complicado quando até um jornal como a Folha de Pernambuco publica propaganda homofóbica, colocando a homossexualidade lado a lado com a pedofilia, turismo sexual, prostituição entre outros. O que acontece é que o Grupo Pró-Vida de Pernambuco comprou espaço publicitário no jornal e como no Brasil quem paga tem aquilo que quer o Jornal nem avaliou se tal imagem é ou não ofensiva e homofóbica. Sem falar que a palavra ‘homossexualismo‘ [sic] não é usada faz tempo, porque o sufixo ‘ismo’ denota doença, e a homossexualidade foi tirada do hall de doenças desde 1990!

O tal movimento pretende expulsar gays e lésbicas do estado e ainda dizem que a homossexualidade pode ser curada. Ai Ai esses fanáticos religiosos que deveriam ser curados de tamanha ignorância e intolerância. Esses sim são casos de doenças da ALMA e que podem ser perfeitamente curados com um pouco de educação e amor ao próximo.

A ideia de tal propaganda é ser contra o governo de Pernambuco que criou a campanha ‘Recife te Quer‘ para aumentar o turismo no estado, mas pelo jeito esses cidadãos acham que o estado vive de algum outro tipo de investimento, porque né?

A Folha de Pernambuco tenta se explicar, mas infelizmente o anúncio já foi publicado e distribuído para milhares de lares. É fácil focar apenas na grana do anúncio, fazer a merda, ligar o foda-se e depois sair com a célebre frase de desculpas ‘o conteúdo de forma alguma reflete a opinião do jornal‘. Desculpe-me, mas o jornal deve ser responsabilizado por veicular propaganda preconceituosa!

Para completar segue Lei municipal da cidade de Recife: Lei 16.780/2002 – Art. 1º – É proibida qualquer forma de discriminação ao cidadão com base em sua orientação sexual.

Esse jornal não serve nem pra limpar minha bunda!

[Pauta sugerida por Animalle]

Casal de lésbicas completa 70 anos de casadas

O casal de lésbicas, Caroline Leto e Venera Magazzu, completou 70 anos de casadas e comemorarão 100 anos de idade  juntas! Para quem acredita que o amor não existe, ou que nunca achará ninguém com quem dividir as alegrias e tristezas, amor e doenças até que a morte os separe; está aí um exemplo que gays e lésbicas podem SIM vive um grande amor.

Leto e Magazzu se conheceram em Nova York, durante uma festa. Caroline adorou o estilo de Venera. Venera achou Caroline divertida e após um ano mudaram-se para uma humilde casa e passaram a maior parte da vida lá, mas apenas poucos amigos sabiam de seu relacionamento.

Eu acho que a maior parte das pessoas desconfiava, mas nunca fizeram escândalo sobre isso porque éramos apenas duas mulheres. Eles não perguntavam, e nós simplesmente não falávamos‘, disse Mazzagu.

O relacionamento permaneceu em segredo por muitos anos e mesmo assim enfrentou preconceitos. ‘Você simplesmente não podia dizer para todo mundo que nós éramos amantes‘, contou Leto. ‘Você diz para as pessoas que somos amigas, algumas pensam que éramos irmãs‘. Como qualquer casal [hetero ou gay] enfrentaram brigas e discussões mas o amor se manteve presente durante todos esses anos.

Um amigo do casal disse: ‘Honestamente, eu acho que as duas estão mais apaixonadas do que no passado. Olhe para os casais heterossexuais. Você tem sorte se ainda permanece casado após sete anos. Esta é uma história de amor incrível!’

As meninas dizem que não farão nenhuma festa para comemorar, e o argumento? Estão muito velhas para comemorações, mas a uma associação de gays e lésbicas chamada Etz Chaim, planeja uma festa e esperam que as meninas mostrem como se dança a polka.

Espero que curtam os links mais baphônicos que separamos essa semana! Se joga!

[Inspiração: Android é a marca favorita de gays e lésbicas]

Manual das Encalhadas – Sinais femininos que homens não entendem

A Verdade Nua e Crua – Sorria! Você está sendo manipulado!

Thiago Marzano – Dica de Filme: Bluray / DVD ‘Os Vingadores’

Sai Daqui – Um chuveiro, um amigo antigo e muito tesão acumulado

Cintura Larga – Máquina de enrolar sushi

Fedd by Frames – Festival Varilux de Cinema Francês 2012

Nova Cerveja – O que é felicidade?

Bacon Frito – Estreias da Semana

Meu Vestido Preto – Dress Code #4 – Black Tie

E aí galera, descobri o seu blog a pouco tempo e agora estou viciado!

Até hoje ninguém ainda sabe que sou gay, durante muito tempo vive uma personagem heterossexual, (personagem mesmo, interpretava, confiscava-me, sempre pensando em como falar, andar, agir) ficando com diversas garotas, tinha me tornado o hétero porra loca, por pura pressão da minha escola, dos meus colegas, da minha família que sempre foram extremamente preconceituosos. Mas isso nunca me satisfez, fazia isso por pura pressão social e se uma menina quisesse alguma coisa a mais tinha que inventar mil desculpas. Cheguei a até namorar uma garota, mas vocês devem imaginar que não deu certo.

Depois que comecei a morar sozinho pude ter mais tempo de ficar comigo mesmo e refletir que isso não faz sentido algum, decidi ser fiel a mim mesmo e já faz 6 meses que não fico com ninguém. O maior problema foi essa imagem que construí, então as pessoas não me veem como gay e eu não estou nem um pouco feliz com isso, pois gostaria muito de ficar com um rapaz, estou louco pra dar meu primeiro beijo gay de verdade, com sentimento. No entanto moro em uma cidade pequena e é difícil encontrar algum gay que me atraia aqui, pois para conseguirem parceiros eles tem de deixar claro pra todo mundo que eles são gays e eu gosto de ter minha vida pessoal aberta só pra pessoas que realmente valham a pena.

Gostaria de saber como começar minha vida como gay, pois ainda não me sinto confortável e nem penso que faz minha praia, fazer o esteriótipo só pra avisar a todos. Minha família ainda não sabe e penso em contar pra eles depois que já estiver em uma relação.

Um abração pra todos vocês!

Gabriel, 19 anos

Olá Gabriel, você nem imagina como é bom ler que você curte nosso blogay. Ele é feito exatamente para todos que, como você, tenham dúvidas ou precisem de conselhos.

Para aqueles gays que moram em cidades pequenas, sair do armário é realmente complicado, até porque em cidades assim quase todos se conhecem e a fofoca corre solta quando acontece algo de diferente, o que dirá de alguém que assume ser gay.

Estima-se que 10% da população mundial seja gay, ou seja, aproximadamente 10% da sua cidade também é gay. Sejam eles enrustidos, assumidos ou nem tenham consciência disso. Querido, tem um monte de gays por aí, basta dar uma calibrado em seu gaydar e achar algum que te atraia.

Penso em duas outras formas de finalmente dar seu primeiro beijo gay e quem sabe um relacionamento:

- Se na sua cidade você não tem espaço para se assumir e continuar a viver normalmente, é possível ir para outras cidades maiores e conhecer algum cara bacana. Dá um pouco mais de trabalho que ter um relacionamento próximo? Não vou mentir! Dá sim, mas é uma forma de ter sua privacidade sem se expor muito.

- Já pensou em morar em outra cidade? Você já mora sozinho e talvez mudar para uma cidade maior ajude bastante. Aqui em São Paulo por exemplo, a população é chamada de flutuante, e explicando em miúdos é: Há tantas pessoas aqui que a probabilidade de reencontrar alguém que te veja beijando um cara é bem baixa., e o ‘anonimato‘ por conta disso é bem maior.

Por mês milhares de gays e lésbicas chegam na cidade procurando justamente isso. Viver plenamente sua sexualidade sem se preocupar que a vizinha fofoqueira fale para o resto da rua o que você faz ou deixa de fazer. Alguns são mais extremistas mudam de país, tanto que há diversos relatos de LGBTs morando [felizes] nos mais diversos países do mundo! É uma possibilidade.

Espero ter ajudado e que continue viciado em nosso blog.

Beijos


Preconceito na hora de procurar emprego - Gays Gostam

Em uma pesquisa realizada pelo trabalhando.com dados indicam que gays e lésbicas sofrem preconceito na hora de procurar emprego.

Dos 400 entrevistados, 54% garantem que existe sim discriminação na hora de contratar LGBTs nas empresas. 22% acreditam que o preconceito existe dependendo da área e cargo a serem ocupados e apenas 3% dizem que não existe mais isso. A pesquisa foi realizada com 30 empresas de médio e grande porte.

Eliana Dutra, Coach de uma empresa dize que profissionais homossexuais são contratados, mas que dificilmente alcançam cargos de diretoria, e as que alcançam sofrem um bocado para chegar a um patamar elevado dentro das empresas.

O que não entendo é o que a sexualidade das pessoas tem com o profissionalismo. Até porque pesquisas mostram que 57% de gays e lésbicas tem ensino superior, pós graduação ou mais, ou seja, tem bagagem e conteúdo para exercer cargos altos dentro das empresas. O que é de fato relevante na contratação são suas competências, não o que ele faz nas horas vagas ou com quem se relaciona.

Nos Estados Unidos, por exemplo, é terminantemente proibido por lei fazer qualquer pergunta pessoal para o candidato a qualquer vaga, ou seja, perguntar estado civil, idade ou qualquer outra coisa não pode.

Particularmente [que eu saiba] nunca sofri nenhum tipo de preconceito ou notei que deixei de conseguir um cargo ou promoção por conta da minha sexualidade. Não sei se é a área que eu trabalho [assessoria de imprensa e produção de eventos] que é bem aberta ou outro fator, mas nunca senti esse tipo de coisa. Inclusive no meu emprego atual eu me divirto com os profissionais que trabalham comigo, brinco com eles e tenho até um ‘namorado‘ [de brinks] entre eles.

Você já sentiu preconceito na hora de procurar emprego?

Igreja Inclusiva Gays GostamNão existem apenas fanáticos no mundo religioso, sempre gosto de dizer isso nos posts onde aborda religião aqui no blog. Tanto que um ex-seminarista e uma pastora [hetero] criaram uma igreja inclusive chamada Monte da Adoração.

Aloísio Junior sentiu a necessidade de criar uma igreja inclusiva após procurar uma igreja católica para uma ‘cura gay’. Tornou-se seminarista, mas cansado de se esconder resolveu viver sua religiosidade de outro maneira após namorar um homem e não ser mais aceito perante a entidade religiosa.

O, agora, reverendo Júnior inaugurou sua congregação na semana passada em um culto com 50 fiéis e conforme falou, 30% deles são gays ou lésbicas.

O Conselho de Pastores Evangélicos de Bauru caiu matando em cima do Reverendo Junior dizendo que ele prega uma mentira, corrupção e pedofilia. Como se esses defeitos de caráter fossem exclusivos de gays e lésbicas, né? Adoro quando um pastor fala sobre corrupção, já que boa parte das igrejas ludibriam suas receitas. Vide casos de grandes pastores como Bispa Sonia e Pastor Waldomiro que tiveram problemas com a justiça. #chatiaDÍZIMO.

O Bispo de Bauru completou dizendo que não vê necessidade em uma igreja inclusiva para gays e lésbicas, já que não estamos excluídas das igrejas? Oi? Não estamos? Desculpe, não frequento um lugar que diz que a minha forma de amar é errada, que sou um corrupto e pedófilo. Isso ~É~ uma forma de excluir as pessoas.

Apesar de ser cristão, não sou católico ou evangélico. Sou espírita e estou  muito feliz por escolher esse caminho pra mim e sei da importância que uma religião faz para as pessoas. Católico, Evangélico, Espírita, Umbandista, Budista… isso não importa, o que importa é sentir-se bem com a sua espiritualidade.

Verbotene Liebe Folge 3682

O Grupo Gay da Bahia, famoso por sua luta pelos direitos gays, lançou um site para receber notícias de assassinatos de gays e lésbicas no Brasil. Seu nome é ‘Quem a Homofobia matou hoje‘. O site ainda mostra um levantamento de homossexuais mortos no primeiro semestre de 2012, e já somam 165 assassinatos. Veja o relatório AQUI.

O site mostra diversas fotos das vítimas. Um pouco chocante, mas sabemos que a realidade precisa ser mostrada. Talvez assim as pessoas se fragilizem com tamanha atrocidades e sejam menos categóricas ao julgar o amor entre pessoas do mesmo sexo.

Sabemos que a homofobia mata milhares de gays por ano, e mesmo assim políticos da bancada evangélica nada fazem para nos defender. Montados em seus dogmas religiosos, esquecem que antes de mais nada, gays e lésbicas são cidadãos brasileiros e assim como os demais necessitam de medidas que os protejam.

É triste ver que pessoas são mortas apenas por amar diferente da maioria da sociedade. Quem pode julgar o sentimento do próximo?

Homofobia Frei Caneca Agressão

Imagem: Facebook

Entrei ontem em meu Facebook e vi a atualização de um amigo, onde falava sobre o agressão que sofreu na Rua Frei Caneca. Homofobia pura, na rua considerada como um reduto gay, onde [achávamos] que podíamos circular sem medo de represálias.

É realmente triste ver que uma pessoa próxima, que frequenta os mesmos lugares que eu tenha sofrido um ataque dessa forma. Poderia ser eu, um amigo ou até mesmo você leitor. Tomar cuidado nunca é o bastante quando o assunto é Homofobia.

Segue o trecho extraído do Facebook da vítima:

Não existe homofobia no Brasil! Essa é a frase que o deputado Jair Bolsonaro já disse muitas vezes por onde passa, mas a homofobia existe sim no Brasil. E está literalmente na minha cara. Essa é uma foto que tirei agora a pouco depois que fui atacado por 4 adolescentes ontem na Frei Caneca.

Me atacaram de surpresa e sem eu poder reagir. Me bateram muito, me humilharam, quebraram meu celular e depois o jogou, junto com minha carteira, no bueiro.

Eu tive sorte, nessa mesma semana um garoto no Rio de Janeiro foi morto com requintes de crueldade. Eu só fui mais uma bichinha que apanhou na Paulista. O pior é que não fui a primeira e não serei a última. O policiamento é ineficiente, e a prefeitura está cagando e andando pra gente, essa é a verdade.

Meu corpo inteiro dói, mas nada dói mais do que minha alma. Eu estava apenas andando, sozinho, saindo de uma balada. Eles me disseram que viram eu saindo da ‘balada de viado sozinho’ e resolveram ‘brincar‘ comigo. Já chorei muito, já pensei muito, e não existe nada que me tire o medo que estou sentindo. Medo e raiva, muita raiva. Quando você vê algo assim na televisão, você nunca imagina que vai acontecer com você.

Um me enforcou por trás, enquanto outros dois se revezavam em dar socos no meu estômago, depois me jogaram no chão e começaram a me chutar e pisar na minha cabeça. Por um milagre, ou coisa que o valha, um segurança de um prédio próximo, apareceu e espantou os marginais. Não olhei para o rosto deles. Eu só sentia medo. Tinha certeza que iria morrer. Algumas pessoas passaram por ali e me viram no chão apanhando e não fizeram nada.

Agora a pouco falei com minha mãe pelo telefone e dói muito ouvir sua mãe chorar de preocupação por você. Eu não paro de chorar desde então. Eu sei que isso que aconteceu comigo é horrível, mas poderia ser bem pior. Eu poderia estar morto. Agora tenho a chance de contar o que aconteceu comigo e tentar alertar a todos.

As providências legais serão tomadas, e tomara que alguma coisa aconteça com esses marginais. Me desculpem os defensores dos direitos humanos, mas não desejo nada melhor do que a morte lenta e dolorosa desses infelizes. O meu sangue está nas mãos desses bandidos e nas mãos de Malafaia, Bolsonaro, Apolinário, Papa, e de tantos outros que pregam seu ódio aos homossexuais.

Agora estou por baixo, mas quando eu levantar, estarei mais forte e com mais gana do que nunca de lutar para que esse mundo seja um lugar onde os gays, lésbicas, travestis, transexuais, homens, mulheres, crianças e todos aqueles que merecem, sejam respeitados pelo simples fato de existir.

Foram só alguns arranhões que em alguns dias vão sumir da minha pele, mas as marcas profundas que deixaram na minha alma nunca serão cicatrizadas, ficarão abertas e expostas e isso me ajudará a fazer o certo sempre.

Desculpe-me pelo desabafo, mas precisa colocar para fora todo o sentimento que está dentro do meu peito. E por favor, tomem cuidado, eu tive sorte ontem, e espero que ninguém passe pelo o que eu passei, mas sabemos que eu poderia estar morto agora. Se protejam, não façam igual eu que estava sozinho de madrugada na rua, vamos nos proteger, nos unir… Eu tenho fé que um dia essa minha experiência vá parecer algo tão irracional quanto a escravidão é hoje. Mas sinto que esse dia ainda está muito distante.

A Avon, famosa empresa de cosméticos há algum tempo lançou em seu catálogo os livros do pastor Malafaia e de sua editora a Central Gospel, porém choveram protesto da comunidade LGBT para que retirassem tais livros. Não é que os pedidos foram atendidos???

Em nota oficial a empresa disse que ‘respeita a diversidade e que atende de forma ampla e democrática todos seus consumidores‘. Concordo que evangélicos também precisam ter seus livros vendidos na revista, é uma forma de difundir seus pensamentos, DESDE QUE não ofendam ou descaracterizem uma parcela da população.

Um dos livros catalogados na revista da Avon era explicitamente intolerante à gays e lésbicas, e falava sobre nosso ‘planos‘ [Oi???] de dominar o mundo e transformar a sociedade num mundo de arco-íris. Claro que isso é uma grande viagem do pastor, já que a luta da comunidade gay não é ~dominar o mundo~ e controlar a sociedade.

De alguma forma, na mente doentia do pastor, nós gays [uma minoria] conseguiríamos tal feito. Acho que esse pensamento é apenas um reflexo dos reais planos dos líderes evangélicos do país. Eles sim querem controlar a população, inventando leis tão ridículas quanto a intolerância aberta em seus cultos.

Sabe o que aconteceu com as pessoas deram atenção a mente doentia de um tal alemão, né???

Escoteiro Zach Wahls Do Que Os Gays Gostam

Zach Wahls tem de 20 anos, é filho de um casal de lésbicas nos Estados Unidos, e além disso é escoteiro. O rapaz recolheu 280 mil assinaturas em uma petição que será enviada para Associação de Garotos Escoteiros dos EUA pedindo que mudem a política antigay do movimento. Além disso quer que Jennifer Tyrell, mãe de um escoteiro de sete anos seja reintegrada ao grupo, já que foi expulsa por ser lésbica.

Sou grato pelo apoio que recebi de Zach e dos milhares de escoteiros que assinaram a petição‘, disse Jennifer. Já conseguiram apoio de diversas celebridades como Julianne Moore, Ricky Martin e estrelas de Glee. 

Escoteiro Zach Wahls Do Que Os Gays Gostam

Fui escoteiro por mais de 10 anos. Entrei quando tinha pouco mais de 13 anos e aprendi MUITO com o Movimento Escoteiro. Vivi minha adolescência inteira ao lado desse modo de vida maravilhoso. Aprendemos não apenas acampar como a maioria das pessoas acredita, mas vivenciamos muitas coisas como honra, amizade, responsabilidade e crescimento pessoal.

O Movimento Escoteiro, criado por Baden Powell há mais de 100 anos, é voltado para TODO MUNDO. De acordo com as Leis Escoteiras não pode existir nenhum tipo de preconceito ou diferenciação entre os jovens ou membros adultos, mas sabemos que a coisa não é assim quando a ideia sai do papel e entram as pessoas.

O Escotismo pode ser cruel para quem é diferente. Sei disso, porque passei por coisa parecida quando descobriram que eu era gay no meu Grupo Escoteiro:

Uma semana antes de descobrirem, enviei um e-mail para um amigo que sabia sobre minha sexualidade, com fotos minhas com meus amigos na balada curtindo, só não esperava que essas fotos fossem cair nas mãos do pai dele [sinceramente não sei como isso aconteceu].

Naquele fim de semana não fui ao Grupo, eu havia saído no dia anterior [para uma balada gay, claro] e estava cansado. Quando de repente meu celular toca e uma amiga me pergunta se era verdade. ‘Verdade? Verdade o que???‘ A primeira coisa que passou na minha cabeça foi justamente sobre minha sexualidade ser descoberta.

Fiquei sabendo o que havia acontecido: Esse ‘chefe’ escoteiro, diretor presidente do meu grupo, simplesmente jogou numa reunião pós atividade diante de toda a chefia do grupo e de diversos membros jovens que eu era garoto de programa!!! De onde ele tirou isso, não sei!!! Juro que fiquei chocado, NUNCA esperei tal atitude desse chefe, o considerava um grande amigo.

Expliquei a minha amiga que não era garoto de programa, mas que sim, eu fica com homens só que não por dinheiro, mas porque eu realmente gostava de homens. Desliguei o telefone na mesma hora e liguei para a Rosane, uma amiga que considero como mãe e era minha chefe na Alcatéia. Fiquei sabendo com mais detalhes do que aconteceu, mas também soube que eu estava proibido de trabalhar na seção com os lobinhos.

Nunca pensei que isso fosse acontecer comigo. Amava o movimento escoteiro e simplesmente fui jogado fora como uma meia usada e cheia de lama após um acampamento. Guardei mágoa desse chefe por anos, não só por me ‘dispensar‘ como assistente de Lobinhos, mas por soltar a minha sexualidade em uma reunião onde não estava presente. Isso sim foi a maior facada que poderia receber de alguém em quem confiava tanto.

Nunca mais tive contato com esse chefe diretamente. Fiquei sabendo que ele ficou muito doente, mas não fiz questão nenhuma de visitá-lo. Pode ser mágoa, ressentimento, ou qualquer outra coisa, mas no fundo, no fundo, sinto pena dele. Ele não soube administrar seu próprio preconceito nem ter mente aberta para pelo menos me respeitar.

Por outro lado, sair do Escotismo abriu minha vida para muita coisa. Foi depois disso tudo que entrei mais a fundo no universo gay e comecei a vivenciar a minha sexualidade de verdade. Fazer amigos, namorar, curtir e entender um pouco mais sobre o preconceito, luta por igualdade, etc.

Quem sabe se eu permanecesse no Movimento Escoteiro eu nem tivesse o DQOGG e não sei como seria a minha vida sem o blog, ou vocês.

Sempre Alerta!!! Porque como dizia Baden Powell: Uma vez escoteiro, SEMPRE ESCOTEIRO!!!

Todos os anos vejo muitos gays falando sobre a Parada Gay, uns são contra e metem o pau na maior manifestação do mundo enquanto outros a adoram, mas talvez ambos desconheçam como tudo se iniciou, e é sobre isso que o documentário A Revolta de Stonewall fala.

Em 1969 a homossexualidade ainda era vista como doença, distúrbio mental ou perversão sexual. Quantos e quantos gays e lésbicas eram tratados em clínicas psiquiátricas a base de choques, esterilizados e castrados, alguns foram submetidos a lobotomia. Outros tomavam remédios tão fortes que davam a sensação de afogamento.

Tudo começou no dia 28 de junho de 1969 no Stonewall InnGreenwich Village em Nova York, o bar era famoso entre gays e lésbicas da época. Só que nem tudo é alegria, purpurina e corpos sarados no universo gay.

Uma violenta batida policial aconteceu no local e muitos gays e lésbicas, como sempre, foram tratados como lixo, espancados e presos. Cansados das constantes batidas policiais os frequentadores não deixaram impune a violência, e enfrentaram a força policial. Relatos contam que voavam cadeiras, lixeiras pegando fogo, garrafas, pedras e tudo mais que a multidão via na frente.

Outros gays, ao saberem da revolta se juntaram e tomaram as ruas e considera-se a primeira resistência pública da história dos homossexuais. Foi através dessa manifestação que LGBTs do mundo todo se organizam todos os anos para tomar as principais ruas de suas cidades, para vivenciar suas vidas sem máscaras e lutar por direitos que são negados.

Já se passaram 43 anos desde Stonewall, e muitos não sabem da história, o porque do Orgulho Gay e sua manifestação. Talvez não se importem.

Quando eu digo que VOU A PARADA GAY alguns gays falam sobre o Carnaval que ela se tornou, mas ao menos sabem os motivos dela existir??? Não sou contra a música e a alegria, essas são qualidades que nós gays temos e não seria uma manifestação gay se não houvesse uma drag queen sorrindo e mostrando suas roupas magníficas, ou casais LGBTs andando de mão dada na Avenida Paulista sem medo de ser agredidos com lâmpadas, ou até mesmo as músicas que nos alegram todos os fins de semana quando vamos para nossos baladas.

Sinceramente não acho que mais de 50% dos frequentadores saibam os reais motivos sobre o que é a Parada do ORGULHO Gay, mas espero contribuir pelo menos um pouco com aqueles que leem o blog.

Parada Gay é manifestação, alegria de viver, dançar e se divertir, mas nunca esquecendo que é uma [das tantas] formas de se manifestar e tomar as ruas da maior cidade do Brasil.

Revolta de Stonewall - Parada gay

Eu vou a Parada Gay, faço alguma coisa por aquilo em que acredito. Pior são essas pessoas que querem direitos iguais e não se mexem para fazer nada. Prefiro ir para esse tal ‘carnaval‘ como chamam a ~minha~ manifestação, do que ficar em casa esperando que um dia as coisas mudem.

Lutarei por meus direitos iguais sorrindo, dançando, abraçando meus amigos, olhando milhões de pessoas que como eu sairão as ruas nesse domingo.

Achei um documentário bem interessante sobre o assunto. Acho importante tirar um tempinho para assisti-lo. Dá o play!