Posts com Tag ‘filho gay’

heteronormatividade

Edmundo, o eterno Animal do futebol brasileiro é pai de Alexandre Mortágua, filho gay do relacionamento entre o jogador e a ex-modelo Cristina Mortágua. Houve até problemas com sua mãe que o agrediu e foi parar na delegacia, mas o caso aqui é outro.

Edmundo que já assumiu que comeu muito gay por aí foi entrevistado pela maravilhosa Marília Gabriela no De Frente com Gabi e entre futebol e profissão de comentarista a apresentadora pergunta ao jogador sobre a homossexualidade de Alexandre:

Eu vejo de forma tranquila a sexualidade dele. O que me importa é comportamento e eu já falei isso pra ele. Eu acho que ele tem que ter um comportamento natural na sociedade, de roupa, trejeitos… que condizem com o que ele é‘.

O jogador completa a pergunta, após Marília Gabriela perguntar se isso não é preconceituoso: ‘Nosso país, o mundo, é preconceituoso. Por mais que hoje a gente conviva com mais facilidade com isso, eu acho que se você tem sua opção [AFF] entre 4 paredes, você tem mais facilidade de ser feliz do que quando você tem essa opção [AFF] exposta a todos‘.

Até que ponto essa afirmação sobre o filho é preconceito disfarçado de aceitação? Porque gays másculos são aceitos e os efeminados tem que ‘virar homem‘? A heteronormatividade é preconceito disfarçado de aceitação, pura e simplesmente.

Para quem não conhece o termo heteronormatividade ele significa que tudo que for diferente da heterossexualidade é errado, já que qualquer tipo de sexualidade, identidade de gênero ou papel social que fuja dessa regra imposta é considerado errado sendo a heterossexualidade considerado com a única sexualidade normal.

O que dizer de um menino que desde pequeno se mostra delicado e sensível, ou um menina que demonstra ser masculinizada? Eles estão fora dos padrões de normalidade já que beiram a identidade de gênero ou papel social.

Não precisamos nos encaixar nos moldes que a sociedade nos impõe. A diversidade sexual é rica e há milhares e milhares de nuances entre as pessoas, mostrando que não há ninguém igual nesse planeta. Sou a favor de cada um assumir e ser aquilo que realmente é: másculo, delicado, sensível… o que quer que seja, desde que seja sincero, não com os outros, mas consigo!

Assista a entrevista com Edmundo no De Frente com Gabi. A parte onde ele fala sobre seu filho gay começa por volta de 7:20min

Atriz Sally Field fala sobre seu filho gay

A atriz Sally Field ficou conhecida conhecida por seus inúmeros papéis em filmes e séries, e agora vem a público falar sobre sua experiência de ser mãe de Sam, seu filho gay.

Orgulhosa, foi ao jantar da campanha de Direitos Humanos com seu filho e falou o quanto é inaceitável que mães e pais coloquem seus filhos pra fora de casa ou de seus corações por serem gays e completa em um lindo agradecimento: ‘Vocês todos têm lutado por meu filho, de uma forma como se vocês fossem um dos pais. Vocês mudaram e mudam a vida de meninos e meninas com seus trabalhos‘.

Sally apoio muito Sam durante sua jornada para sair do armário e ser feliz. Esse é o papel fundamental de uma mãe, apoiar seu filho no caminho que ele precisa seguir para se tornar um adulto saudável não apenas fisicamente, mas emocionalmente.

É quando chegam relatos de gays e lésbicas que sofrem abusos em casa por parte de seus pais. O que me deixa mais feliz é que há um aumento significativo nos contatos que recebemos de mães e pais que buscam mais informações sobre a homossexualidade de seus filhos e isso me alegra, porque o intuito de nosso blogay também é informá-los.

Assista Sally Field falando sobre o assunto: [Em inglês]

Oi, meu nome é Rayan, sou gay mas não sou assumido. Na minha família todos são preconceituosos, principalmente minha mãe. Como posso contar isso pra ela? O que eu faço?

Rayan, via e-mail

Olá Rayan,

Assumir para a família na maioria das vezes é complicado, nem todos estão preparados ou conhecem a homossexualidade e tem uma ideia errônea de como as coisas são na realidade, mas não se preocupe porque você é novo e tem tempo para prepará-los.

Sei que temos a necessidade de dividir essa parte de nossas vidas com nossos familiares. Quando não somos assumidos para eles parece que somos mentirosos, mas isso não significa que devemos sair do armário quando bem achamos, antes é preciso preparar a família para a ~notícia~ ainda mais quando se tem uma família preconceituosa, como você mesmo disse.

Outra coisa que devemos ter em mente é: O que farei se não respeitarem a minha sexualidade? Quais serão os problemas que enfrentarei? Sempre digo que antes de assumir é preciso se armar com garantias de continuar a ter uma vida plena e feliz caso a família seja problemática em assumir. Sou da opinião que antes de assumir precisamos ser independentes financeiramente, ou pelo menos, quase independentes caso tudo dê errado e a situação fique insustentável em casa.

Uma boa forma de prepará-los é conversando de vez em quando sobre homossexualidade de uma forma despreocupada e sem neuras. Sei lá, se estiver passando algo sobre gays na tv, comente algo sobre e veja qual a reação deles. Isso não é garantia mas é um termômetro de como eles veem a homossexualidade e assim você pode se preparar. Faço isso com seus pais, irmãos, irmãs, tios, tias, primos, primas, cachorro, papagaio… e descubra alguém em quem você possa contar.

Tudo é questão de preparar uma boa estratégia para mostrar que ter um filho gay não é um bicho de 7 cabeças e que ser gay não é desvio mental, espiritual ou de caráter… e outra, vai que eles te aceitam numa boa? Nunca se sabe!

Boa sorte e espero que tudo dê certo querido.

Nils Pickert, pai de um menino de 5 anos fez algo que emocionou! Seu filho gosta de usar vestidos e para deixá-lo a vontade com esse gosto decidiu mostrar com um grande exemplo, passou a usar saia! Nils explicou para o site EMMA seu ponto de vista. Vamos conferir?

‘Meu filho de cinco anos gosta de usar vestidos. Moro em uma cidade pequena, com 100 mil habitantes e seus moradores são muito tradicionais e religiosos, mas aqui mostro a diversidade de pensamento de meu filho e faço minha parte para que as coisas mudem.

Meu filho não tem amigos e não quero falar para ele que usar saias e vestidos é errado. Como não há modelos a serem seguidos nesse assunto, tornei-me um exemplo para meu filho. Não posso esperar que uma criança em idade pré escolar se auto afirme como um adulto, por isso tomei essa decisão. Ele olha pra mim e pergunta: ‘Quando você usará saia de novo?’

Ele não se atrevia a usar vestidos ou saias na escolinha, mas um dia uma mulher nos encarou na rua e de tanto olhar bateu com a cara em um poste de luz. Meu filho caiu na gargalhada e logo no dia seguinte procurou um vestido bonito em seu guarda-roupa e foi para a creche usando-o.

Agora ele pinta as unhas também e sempre sorrindo, mesmo quando seus amiguinhos implicam, ele revida: Vocês só não usam saias e vestidos porque seus pais não tem coragem de fazer o mesmo!’

Tem como não pular de alegria ao ler uma matéria dessas, onde um pai enfrenta lado a lado com seu filho o preconceito? Isso sim é um exemplo a ser seguido!

[Sugestão enviada por Cleiton Souza]

Nesta semana Robbie Williams deu mais uma prova do quanto é friendly. Em entrevista à rádio australiana 2Day FM, Williams, que se casou em agosto com a atriz Ayda Field, afirmou que os dois estão loucos para constituir família. Quando perguntado se preferia ter um menino ou menina, Williams disse: “Quero um gay. Nós já conversamos sobre isso e é o que queremos”.

O cantor, que recentemente fez parceria musical com o também ex-Take That Gary Barlow em clipe inspirado em Brokeback Mountain, disse ainda que nunca se preocupou com gênero de um possível filho. “Desde criança, sempre quis ter um menino, mas agora eu fico tipo ‘Essas são as garotinhas do papai, não são? ‘”.

Fonte: MixBrasil

Leandro Madness Comenta:

)))Ai G-suis! Esse homem é tão louco que não dá pra saber se ele falou sério ou se falou pra causar.

Mas enfim, capaz dele ir à balada gay com o filho. Já pensou que tudo?! O único problema é se o guri tiver baixa auto-estima, porque certamente o pai causará mais alvoroço que ele na balada.

Eita, nasce logo filinho gay do Robbie, nasce! Quero pegar minha senha pra casar contigo. Ser genro do Robbie Williams não deve ser nada mau! Tentação seria se manter fiel e não atacar o sogrão. hahahaha

)))Responde aew:

Boa noite,

Não sei mais a quem recorrer, por isso entrei na internet para saber um pouco mais sobre o assunto e acabei caindo no site de vocês, espero encarecidamente que vocês respondam a minha pergunta. Estou desesperada!

Tenho um filho, ele tem 19 anos e de uns tempos para cá ele mudou muito a forma de agir, não pára mais em casa nos fins de semana, atende o celular longe de mim, muitos meninos ligam em casa e muitos deles tem a voz meio afeminada, sem falar que encontrei uma propaganda de uma boate GLS dentro de uma jaqueta dele.

O meu filho é gay? O que eu faço? Não sei se consigo aceitar a isso!

 

Maria Rita Damasceno, São Paulo

 

Peagá Peñalvez responde:

Olá Maria Rita, fico muito feliz em ter uma mãe perguntando em nosso blog, isso nunca aconteceu conosco, e com certeza vamos tentar ajudá-la com as informações que nos passou.

Seu filho pode não ser necessariamente gay por frequentar baladas gays, ou apenas por alguns gays ligarem para a sua casa, ele pode ser muito macho e ter amigos gays, e adorar música eletrônica e o som que toca nas baladas. Saiba que hoje em dia muitos heteros frequentam as baladas gays pela quantidade de mulheres bonitas que também vão. TODO GAY TEM UMA AMIGA MULHER!! E por sinal geralmente elas são LINDAS!

Se a senhora está preocupada quanto a sexualidade de seu filho, por que não pergunta a ele? Acredito que uma mãe e um filho tem que ter um diálogo aberto para TUDO! Por que não sobre isso?

Agora o que eu não poderia deixar de falar é: A senhora vai amar o seu filho MENOS por ele ser gay?

Eu penso que este detalhe é o que menos conta em uma relação entre mãe e filho, porque seu filho não deixou de ser aquela criança que você deu a luz, amamentou, ensinou a andar, a ler…

Na realidade  deveria se preocupar se ele é umapessoa de carater, amável, inteligente, e por ai vai.

Com quem ele transa ou deixa de transar é algo muito pessoal DELE!

A senhora não quer que o seu filho seja FELIZ? Acredito que é o que os pais mais querem para filhos e se ele é FELIZ sendo gay, a senhora deve dar o apoio que ele precisa, porque a FAMÍLIA é a base mais importante para que ele aceite o que ele é, e aceitar-se é um passo para ser feliz com a sua sexualidade.

Espero tê-la ajudado a entender um pouco mais sobre este assunto, e recomendo um livro MUITO bom chamado O ARMÁRIO, de Fabrício Viana. O livro fala um pouco sobre a vida do autor, como ele se descobriu, e ainda fala um pouco sobre a homossexualidade, dando dados de pesquisas e muito mais. Leitura OBRIGATÓRIA para pais e familiares que querem entender um pouco mais sobre seus filhos gays.

AMOR DE MÃE!

AMOR DE MÃE!