Posts com Tag ‘direitos’

Manifesto de um soro positivo

Publicado: 11/10/2012 por @peagapenalvez em Go Health
Tags:, , , , ,

Recebemos essa sugestão e, claro, que precisamos publicar aqui no blog alguém falando abertamente sobre ser soro positivo. É importante sair da caixinha onde vivemos e olhar para outras realidades, assim nos tornamos mais abertos, tolerantes e humanos!

Manifesto de alguém semelhante a você

Manifesto de um soro positivoHoje eu tive uma conversa com Deus. Ele me disse: “vá em frente, seja responsável e eles respeitarão você – separar o joio do trigo é a mesma coisa que purificar sua alma de tudo aquilo que nunca foi seu”. (R. A. C. A, 17 de fevereiro, 2012)

Existe uma parte de nossa sociedade que exclui pessoas que um dia também foram alvos de perseguição e preconceito, sentenciados à fogueira por achar e dizer comprovadamente que a terra é redonda; e mesmo assim enfrentaram a população e podemos falar hoje abertamente; sou artista, cientista, sou negro, empregada doméstica, deficiente físico, pobre, pedinte, portadores de TDAH (Transtorno de Défict de Atenção e Hiperatividade), mulato, índio, soropositivo e etc. Sou ser humano e sou igual a todos até mesmo por gostar do “Verde que te quero Rosa”, como dizia o grande cantor e compositor Cartola em uma de suas inúmeras músicas.

Se eu continuar me escondendo, estarei não só renegando todo um grupo que precisa de carinho, de atenção e que estigmatizados devido à falta de informação gerada pela ignorância, intolerância e outras “ânsias e repugnâncias” e, é claro, pelo preconceito por vivenciarem suas próprias vidas sem mentiras e mostrando opiniões.

Criei coragem por muitos daqueles que deram à cara a tapa por nós, para nos darem um pouco mais de paz e tranquilidade, que lutaram pelos nossos direitos de ir e vir.

Não perdi amigos, eles perderam a oportunidade de evoluir, entender, saber o que é – e que não é bem isso que os outros expõem como forma de prevenção. Não podemos ter medo da informação, precisamos nos adaptar em um mundo que a todo o momento se transforma. A prevenção é necessária, mas para que seja efetiva tem que ser baseada na verdade e em como é a vida do soropositivo nos dias atuais, para que não sejamos mais excluídos, nem percamos amigos, familiares ou uma namorada por medo de transmissão. Hoje podemos conviver com o HIV sem expor a riscos a outra pessoa. Podemos ter amigos, amar, ter um trabalho digno e ser felizes plenamente. Nada nos impede, nem o vírus que carregamos em nosso sangue.

Sou feliz em mostrar quem eu realmente sou. Um cara igual a você, seu semelhante.

Perdi pessoas maravilhosas (sim, mesmo me deixando de lado devido a falta de informação, elas continuam a ser maravilhosas) não só porque me excluíram das suas vidas por conta da minha sorologia (o que é um fato comum), mas porque ainda não absorveram o mais importante nas suas vidas: o amor. Amor pela vida, amor em viver em sociedade, em conhecer pessoas que não são diferentes a não ser pelo caráter e pelo ser humano que são – ser humano que, em suas mais diversas formas, continua a ser belo.

As pessoas que me deixaram de lado e pelas quais sofri, hoje as vejo como parte da minha própria evolução e crescimento como ser humano. Decidi que somente aqueles que realmente gostam de mim e estão dispostos a conhecer a minha vida terão o privilégio de entender, acrescentar e fazer parte da vida de alguém comum, normal e verdadeiro que está ao lado.

Eu amo o mundo, eu amo a vida, e mais ainda, minha vida social me completa. Quando você julga alguém, você julga a si mesmo. Somos todos iguais, e não somos imunes ao HIV. Você pode ser o outro que amanhã irá refletir sobre meu ato dentro da sua própria carne. Meu gesto é para todos e para aqueles que, por medo do preconceito, se suicidam, mudam de país, vivem à margem da sociedade e se entregam a um mundo de tristeza e falta de perspectivas. Você poderá matá-lo com seu preconceito, ou condená-lo a felicidade! Somos todos iguais e só fazemos a diferença porque que cada um carrega sua única história.

Quero agradecer pelos amigos que perdi e pelos irmãos que ganhei durante meus momentos de alegria e tristeza. Agradeço a minha família e meus amigos, a aqueles que fazem parte de mim sem distinção nenhuma do meu sangue e a todos meus amigos que estiveram e sempre estarão ao meu lado na minha longa jornada que não é mais é uma sentença de morte ou autopiedade.

Não será algo ínfimo nos dias atuais, sim, pois o conhecimento liberta! Leia e se esclareça, você conseguirá enxergar tudo de maneira mais simples! Não é só por mim que me declaro uma pessoa otimista pela vida, mas realmente por aqueles que morrem a cada dia e morreram por preconceito e por desinformação.

Obrigado.

Manifesto em tributo ao eterno R

Quer ler mais? Visite o Tumblr Olhar Posithivo

A Igreja Católica se opôs, através de uma carta, à legalização do matrimônio entre pessoas do mesmo sexo que o governo escocês pretende aprovar este ano e encorajou seus fiéis a “rebelar-se” contra o que considera uma “redefinição do casamento”. A tal carta foi lida no último domingo, 26/08, em 500 igrejas católicas do país. 

No texto se sustenta que “o ensinamento da Igreja sobre o casamento é inequívoco e único, a união de um homem e uma mulher, e por isso é um erro que os governos, políticos e Parlamentos busquem destruir ou alterar essa realidade”.

Eu deveria usar este espaço para pedir aos leitores que se rebelem contra a Igreja Católica, mas Deus não quer rebeliões, ele quer que amemos uns aos outros. Então, vamos amar os preconceituosos tapados que não entendem um simples fato: NÓS GAYS NÃO QUEREMOS CASAR NA IGREJA CATÓLICA DE VÉU E GRINALDA. QUEREMOS, NO MUNDO TODO, APENAS FIRMAR O QUE JÁ É NOSSO DE DIREITO:

FIRMAR O AMOR e também ter tratamento legal em termos de heranças, pensões, seguros de vida, manutenção das crianças, direitos de imigração.

O governo escocês deve aprovar neste ano uma lei que permitirá a partir de 2015 os casamentos civis entre homossexuais.

Gad Beck Holocausto Gay - Do Que Os Gays Gostam

Poucos dias antes de completar 89 anos, morreu um dos últimos sobreviventes do Holocausto GayGad Beck, ativista nos direitos LGBTs, judeu, gay e um combatente pela liberdade.

Beck é considerado por alguns como o último sobrevivente do Holocausto Gay. Com um pai judeu e mãe alemã que se converteu ao judaísmo, Beck foi considerado um mestiço pelos nazistas.

Se juntou a um movimento clandestino de resistência e trabalhou para salvar gays e judeus. Em uma reviravolta de partir o coração, o jovem tentou resgatar seu namorado judeu em um campo de concentração. Vestiu um uniforme da juventude de Hitler e tentou entrar, mas seu esforço não foi um sucesso e seu namorado e toda sua família foram levados para Auschwitz e assassinados. Beck sofreu muito com a perda de seu namorado, e inúmeras vezes chorou ao tocar no assunto durante entrevistas.

Pouco antes do fim da Segunda Guerra Mundial, Beck foi traído por um espião da Gestapo. Ele foi levado para um campo de detenção, mas liberado quando os Aliados derrotaram os nazistas.

Após a guerra, Beck se mudou para Israel mas voltou à Alemanha em 1979, onde tornou-se ativista na luta por direitos de gays e judeus e ajudou a emigrar sobreviventes para a Palestina. Sua história fascinante foi imortalizado no filme T he Life of Gad Beck e o documentário ‘Parágrafo 175‘.

Ele deixa Julius Laufer, seu parceiro de 35 anos.

OAB - Encontro Diversidade Sexual - Do Que Os Gays Gostam

A OAB/SP realizou hoje o  1º Encontro Estadual dos Direitos da Diversidade Sexual, no Teatro Gazeta, e posso dizer que foi incrivelmente ÉPICO!!! Para começar, a cantora e travesti Renata Peron abriu o encontro cantando uma versão mais dançantes do Hino Nacional Brasileiro, e logo depois mandou uma música de Noel Rosa.

Na platéia diversos advogados, estudantes, gays, lésbicas, travestis e transexuais ouviam atentos o que era falado.Acho importante a OAB/SP realizar um evento para discutir com seus membros um pouco de sua visão sobre os direitos gays no Brasil. Nada como aprender com quem entende sobre o assunto.

OAB - Encontro Diversidade Sexual - Do Que Os Gays Gostam

Renata Peron, cantora e travesti deu um show!!!

O Desembargador Caetano Lagrasta deu um show de oratória, levando o público presente não só a pensar, mas às gargalhadas com sua forma franca e direta de se expressar. Uma das frases que me chamou atenção foi: ‘No Brasil os juízes não costumam usar as decisões internacionais como parâmetros, não sei se por burrice ou inveja‘.

No Brasil ainda engatinhamos nos direitos LGBTs se comparado com outros países como Portugal e Inglaterra, que há anos já garantiram os direitos de muitos gays e lésbicas que recorreram aos tribunais para resolver impasses.

O caminho é íngrime, pedregoso e difícil‘, disse Lagrasta sobre a luta por direitos iguais no país enfatizando a importância do voto consciente para que mudanças aconteçam.

Já o Dr. Fernando Henrique Pinto, o primeiro juiz a autorizar a conversão de uma união homo afetiva em casamento civil no Brasil, nos contou como interpretou a lacuna na lei vigente: ‘Existe uma frase que funciona como escada para transformar a união homo afetiva em casamento, que é a seguinte: A lei facilitará a conversão da união estável em casamento‘. Resumindo: se o Estado deve facilitar a conversão de união estável [seja ela hetero ou gay] em casamento, LGBTs também tem o direito de se beneficiar desse direito.

O depoimento de Lula Ramires, coordenador da ONG Corsa, foi emocionante. Nos contou como foi ser o primeiro a transformar sua união estável em casamento. Em um relacionamento com Guilherme há mais de 8 anos, falou sobre como é importante criarmos espécies de moldes para nossos casamentos.

Não entendeu??? Eu explico!!! A concepção que temos de casamento é que homens e mulheres tem responsabilidades pré-estabelecidas [mulheres cuidam dos filhos, o homem é o provedor]. Por outro lado, nós gays não temos essa divisão, até porque são dois homens [ou duas mulheres] convivendo e todas as concepções caem por água abaixo. Aos poucos teremos mais e mais exemplos de casamentos bem sucedidos, e poderemos tirar uma base para seguir por esse tão sonhado caminho.

Agradeço a OAB pelo convite, aprendi muito sobre a Ordem dos Advogados, e admirei ainda mais o trabalho feito por nós gays.

O governo da Arábia Saudita tomou medidas para proibir que gays efeminados e meninas com aparência masculina, ou tomboy, sejam banidos das escolas no país. Esse esforço foi realizado para combater o aumento de crianças fora dos ‘padrões aceitos’, ou normatividade. A homossexualidade é punida com a morte na Arábia Saudita.

Todas as escolas e universidades receberam instruções de proibir a entrada desses alunos, e intensificar seus esforços para combater tal ‘fenômeno‘ e só voltarão às escolas se corrigirem sua postura. Que postura? De serem eles mesmos?   Não entendo como jogar o ‘problema‘ para debaixo do tapete possa ajudar em alguma coisa, até porque essas crianças e jovens continuarão existindo, só que terão seus futuros prejudicados já que a falta de estudos compromete a vida profissional.

No ano passado um britânico de 36 anos foi ameaçado de ser decapitado por ser gay. Alguns dizem que isso foi uma retaliação à condenação do príncipe príncipe gay Saud Abdulaziz por Bin Nasser al Saud, no Reino Unido que assassinou seu assistente em um hotel em Londres.

Cadê a ONU e os Direitos Humanos nessas horas? Até agora não aconteceu nenhum pronunciamento quanto ao caso, mas vamos aguardar que ele chegue logo.

Luiz Mott, antropólogo e presidente do GGB

Não tá fácil nem para Dilma Roussef!!! Até porque não tá fácil para nós gays também de acordo com Luiz Mott, presidente do Grupo Gay da Bahia, que gravou um vídeo direcionado para a Presidente do Brasil, onde a chama de homofóbica e através de fatos mostra quanto o governo tomou posicionamentos errados perante a comunidade LGBT brasileira.

O antropólogo cobrou o Kit Anti-Homofobia. Foi mais fundo ainda, provou que tal kit não foi criado aleatoriamente, mas com o apoio do Unesco e do Conselho Federal de Psicologia. O kit seria uma boa forma de mostrar a grande parte da população fatores importantes de respeito e tolerância a diversidade. Acredito que não apenas os LGBTs se beneficiariam, mas também qualquer outra minoria, porque educa para o respeito ao diferente.

Mott fala em seu vídeo: ‘Não queremos privilégios, queremos direitos iguais. E o que o seu governo faz é propaganda dos heterossexuais. Tudo o que é da causa gay é vetado pelo governo. É ignorância falar em opção sexual. Não é opção, é orientação‘, explica e educa a própria presidente.

Falou também sobre o vídeo de prevenção a DST/AIDS, também vetado pelo atual governo. Se levarmos em consideração o aumento da contaminação pelo vírus entre LGBTs, a mínimo que o governo deveria fazer é manter uma campanha voltada para nossa comunidade. É através de campanhas assim que muitos dos jovens aprendem sobre a doença e tirar isso é, de uma certa forma, sentenciar muitos ao contágio do vírus.

Sabe de quem é a culpa de tudo isso??? NOSSA!!! Não entende??? Calma que o titio Peagá explica para vocês. Canso de falar que nós, LGBTS, devemos nos unir e colocar representantes que defendam não apenas os direitos do cidadão comum, mas os nosso também. Enquanto estamos dormindo, pensando em qual balada ferverá no fim de semana, ou quanto de supino devemos levantar para criar um peitoral digno de uma gola V, evangélicos se unem e votam em representantes deles. São esses mesmo representantes que tiram nosso direitos mais básicos.

Nós gays, lésbicas, bissexuais, transexuais, transgêneros nos orgulhamos tanto de nossa inteligência, das conquistas acadêmicas [já que 57% dos LGBTs tem Ensino Superior] e de tantas outras coisas, mas simplesmente pecamos naquilo que mais nos daria glória, que é vencer o preconceito e ter de volta os direitos que nos são negados desde que o Brasil é Brasil.

Enquanto boa parte da população LGBT brasileira se manter calada e omissa, continuaremos sendo considerados CIDADÃOS DE SEGUNDA CATEGORIA, pois é isso que nós somos no Brasil.

Assista o vídeo:

Somos mais de 20 milhões de brasileiros gays no país, vamos fazer esse vídeo alcançar pelo menos 1 milhão de views??? Então vamos compartilhar o máximo que puder entre nossas redes sociais, e mostrar que nós gays fazemos mais que Parada Gay, também fazemos mobilizações em prol de nossa causa!!!

Por Peagá Peñalvez

Enquanto a maioria dos gays pensam apenas em deixar seus corpos cada vez mais musculosos, no fervo babado do fim de semana ou naquele boy magia que conheceu em algum dos milhares de sites de caça que existem, algo MUITO importante será votado nessa quinta, mas não passa de um embuste político já que essa lei foi escrita juntamente com a bancada evangélica.

A PLC122, lei que criminaliza a homofobia, será votada amanhã, mas do projeto original sobrou apenas as promessas de nossa querida [será?] Marta Suplicy que mudou parte da proposta original, e nos tornou cidadãos de segunda categoria.

Entenda:

Com a alteração do projeto de lei original, passamos a ser cidadãos inferiores já que a homofobia será considerada INFERIOR a qualquer outro tipo de discriminação, ou seja, transforma os gays em uma subespécie de brasileiros. O interessante disso tudo é que a xenofobia ou discriminação religiosa [espertinha essa bancada evangélica, né???] continuam mais fortes.

Se um negro for xingado por causa de sua cor de pele, ou se você falar que determinada religião não presta, o autor dos comentários será preso, enquanto se você discriminar um LGBT nada acontecerá.

Ainda falando sobre evangélicos, o projeto novo não protege a ‘injúria coletiva’ e não será crime dizer em rede de TV que LGBTs são inferiores, o que sabemos que acontece nesses programas religiosos duvidosos que pregam leis de ódio e discriminação à população brasileira. Inclusive discursos abertamente homofóbicos como os do Pastor Malafaia e do dePUTAdo Bolsonaro não serão crime.

Se alguém falar mal de qualquer manifestação de afeto que você fizer com seu namorado em locais públicos, nada acontecerá. Poderemos ser recusados e prejudicados em nossos empregos pelo simples fato de ser gay, e nada acontecerá com os homofóbicos. Não seremos recusados a um cargo por sermos gays, mas pode-se demitir qualquer funcionário por esse motivo.

O pior de tudo isso foi que a nossa até então querida Senadora Marta Suplicy refez o projeto de lei atual com a ajuda da ala conservadora da política e, claro, que ela atenderá a eles e não a nós gays que precisamos de proteção do Estado. É a mesma coisa que chamar os Carecas do ABC para escrever leis que protejam negros.

Dificilmente alguém será punido com um projeto desses, ou seja, teremos mais uma lei que não valerá de nada. Pior, teremos uma lei que visa nos defender de discriminação, mas que protege mais aos agressores do que a ‘classe’ que deveria proteger.

Como posso ter orgulho de um país que beneficia com leis os agressores ao invés de proteger as vítimas? Uma comunidade de 20 milhões que precisa se unir para colocar representantes que realmente lutem por seus direitos. Pessoas como eu ou você que buscam ser felizes, amadas e plenas…

O BRASIL é uma piada, mas daquelas de mau gosto.

Leia mais sobre no site: http://www.plc122.com.br