Posts com Tag ‘Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual’

Ontem a Coordenadoria de Assuntos da Diversidade Sexual, ou CADS, lançou em evento organizado na Câmara Municipal de São Paulo uma video-aula sobre a Diversidade Sexual, tendo como homenageados: onde serão homenageados os participantes dos vídeos: Laura Bacellar, Tais Souza, Dindry Buck, Charles Bordin, Eduardo Piza e Beto de Jesus.

Nesta vídeo aula, ativistas do movimento LGBT e profissionais de diversas áreas apresentam conceitos sobre sexualidade, direitos e legislação, falam sobre homofobia e práticas de atendimento ao público LGBT. Depoimentos pessoais também fazem parte do material com a intenção de sensibilizar a sociedade para com as questões de gênero e diversidade sexual.

Segue um depoimento de Dindry Buck, umas das homenageadas no evento:

Poucos sabem, mas a cidade de São Paulo conta com uma coordenadoria voltada para a Diversidade Sexual, o CADS [Coordenadoria De Assuntos de Diversidade Sexual], que fica no centro da cidade e desenvolve diversos projetos na luta pelos direitos de gays e lésbicas. Seu trabalho é tão bom que vem sendo copiado para outras cidades do estado. Fui visitá-lo pessoalmente e conhecer um pouco de seu precioso trabalho.

É comandada por Franco Reinaudo, que comanda uma equipe de aproximadamente 25 pessoas, entre estagiários, advogados, secretárias entre outras funções. Funcionários estes que zelam pela integridade física e emocional de todos que a procuram.

Franco Reinaudo

Franco Reinaudo, Diretor do CADS

Uma vitória conquistada é o ‘Centro de Referência da Diversidade’, voltado para travestis, transexuais, homens e mulheres profissionais do sexo, além de portadores de HIV que se encontram em situação de vulnerabilidade contam com o apoio de diversos profissionais, dentre eles: psicólogos, assistentes sociais e também apoio jurídico. Além disso, o CRD ministra cursos profissionalizantes com foco na geração de renda. É uma forma de possibilitar a garantia de inclusão social e geração de renda na região central.

O órgão também realiza um mapa do preconceito na cidade, usando dados colhidos através da polícia e de denúncia feitas através do Centro de Referência Online, que atende através da internet denúncias de agressões físicas e psicológicas. A área mais perigosa como todos sabemos é o centro e região da Avenida Paulista. Franco Reinado disse que mesmo antes do ataque ao jovem com a lâmpada na Paulista, o estudo já mostrava a periculosidade da região e que antes das agressões já havia avisada as autoridades competentes, mas sabemos que com o policiamento os ataques diminuem e no momento que as viaturas e policiamento saem tudo volta a aacontecer.

Outro trabalho de sucesso é o ‘Esquadrão das Drags’, formado por: Dindry Buck, Nyna Ca$H, Sissi Girl e Sendy Buck, que atuam no centro de São Paulo conscientizando gays e lésbicas e moradores da região. A ideia surgiu depois da constatação que a população que mora nas imediações do Largo do Arouche não estava muito satisfeita com LGBTs. Havia problema de algazarra e sujeira deixada após fim de semana de fervo, daí veio a ideia de chamar drags para ajudar na itermediação entre população x LGBTs, e deu muito certo.

Esquadrão das Drags

Esquadrão das Drags

Um caso vitorioso

Durante minha visita Um caso que me chamou muita atenção foi a ajuda prestada a um jovem que havia sido expulso de casa após seus pais descobrirem sua sexualidade, atitude que vira e mexe ouvimos falar. O rapaz pernoitou 2 noites na rua, até que em uma conversa através a internet com um amigo, que trabalha no mesmo prédio do CADS a ajuda veio. Primeiramente ele foi retirado das rua para uma casa de universitários. O rapaz estudava Engenharia Aeroespacial [é, isso mesmo!!!] e por conta de sua situação foi encaminhado a assistência social que entrou em contato com sua universidade [Federal] que arrumou um trabalho para ele como assistente dos professores, levando em conta sua dedicação e excelência nos estudos.

Isso é ou não é um trabalho bem feito??? Por isso divido com vocês queridos leitores. Nós gays contamos com um órgão municipal que nos auxilia em todo tipo de problemas gerados por conta do preconceito.

Não sabia a quem recorrer??? Agora você sabe!!! Passe essa ideia pra frente, compartilhe!!!

|SERVIÇOS|
|CADS|
|Local| Rua Libero Badaró, 119 – 6° Andar
|Telefone| 11 3113-974
|Horário| 8h ás 19h
|E-mail| diversidade@prefeitura.sp.gov.br

Coordenadoria de Políticas para Diversidade do Estado de SP
|Local| Páteo do Colégio, 184 – Centro
|Telefone| 11 3291-2700
|Horário| Seg a Sex – 8h às 18h
|E-mail| diversidadesexual@sp.gov.br

Comissão Municipal dos Direitos Humanos
|Local| Páteo do Colégio, 5 – 1° Andar – Centro
|Telefone| 11 3397-1400
|Horário| Seg a Sex – 9h às 18h
|E-mail| cmdh@prefeitura.sp.gov.br

Centro de Referência da Diversidade
|Local| Rua Major Sertório, 292/294 – Centro
|Telefone| 11 3151-5786
|Horário| 13 às 22h
|E-mail| crdiversidade@uol.com.br

Centro de Referência e Apoio a Vítima
|Local| Rua Barra Funda, 1032 – BarraFunda
|Telefone| 11 3666-7778 / 7960 / 7334
|Horário| Seg a Sex
|E-mail| cravi@justica.sp.gov.br

Decradi
|Local| Rua Brigadeiro Tobias, 527 – 3° Andar – Centro
|Telefone| 11 3311-3985
|Horário| Seg a Sex – 9h às 19h
|E-mail| delitosintolerancia@ig.com.br

Por Peagá Peñalvez

A Secretaria de Participação e Parceria (SMPP) uniu forças com a Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual (Cads) e a Coordenaria dos Assuntos da População Negra (CONE) e ainda a Coordenadoria de Inclusão Digital (CID). O resultado da soma desses esforços é uma  ferramenta de serviço à sociedade para o registro on-line de denúncias de combate a homofobia e crimes de racismo, que estará disponível a partir de 8 de novembro.

A nova ferramenta não apenas irá facilitar as denuncias mas ajudar o Poder Público a entender como tais ataques acontecem, e assim colher informações para a criação de alguma ação, baseadas nos dados colhidos pelo formulário no site.

As informações serão sigilosas, e pede-se que TODAS as informações sobre o ocorrido tais como: data, local, horário, pessoas envolvidas, e tudo mais que se julgue relevantes sejam adicionadas nesse formulário para ajudar a resolução da ocorrência.

O Centro de Referência em Direitos Humanos de Prevenção e Combate a Homofobia [CRDHPH] já realiza tais boletins de ocorrências, porém apenas pessoalmente.

As denúncias serão realizadas através do site do SMPP [www.prefeitura.sp.gov.br/smpp].

|SERVIÇO| CRDHPH
Pateo do Colégio, 5 – 1º andar
Centro – SP