Posts com Tag ‘Baden Powell’

Zach Wahls, durante uma manifestação em busca de assinaturas para sua petição

Há um tempo falamos sobre o caso do jovem Zach Wahls [filho de uma casal de lésbicas], que recolheu mais de 280 mil assinaturas em uma petição que foi enviada para a Associação de Garotos Escoteiros dos EUA pedindo que mudem a política antigay do movimento. Pois é, não deu certo.

Essa discussão durou 2 anos e o comite de líderes escoteiros norte-americano votou por decisão unânime que é ‘melhor’ manter a regra de nã0 ter membros gays em suas tropas e exonerar aqueles que saiam do armário. O pior de tudo é que nem os líderes que participaram dessa votação serão revelados. Claro, com medo de expor sua visão machista e preconceituosa.

>>>>

Evidenciando a minha vivência escoteira durante 13 anos, só posso dizer uma coisa. Esse caras não sabem NADA sobre o que é Escotismo. Baden Powell, o fundador do Escotismo Mundial criou o movimento para acolher TODA e QUALQUER PESSOA, independente de religião, partido político e porque não sexualidade?

Simplesmente é degradante a forma como o Movimento Escoteiro é levado hoje. Desde que era um jovem escoteiro percebi que o ideal de B.P. se perdeu, e que os membros adultos deturpam, estragam e acabam com o verdadeiro escotismo. Talvez seja por isso que esteja fadado ao fim, já que a cada ano que passa menos jovens se interessam por algo que no papel é INCRÍVEL, mas na hora de colocar em prática deixa a desejar.

Escoteiro Zach Wahls Do Que Os Gays Gostam

Zach Wahls tem de 20 anos, é filho de um casal de lésbicas nos Estados Unidos, e além disso é escoteiro. O rapaz recolheu 280 mil assinaturas em uma petição que será enviada para Associação de Garotos Escoteiros dos EUA pedindo que mudem a política antigay do movimento. Além disso quer que Jennifer Tyrell, mãe de um escoteiro de sete anos seja reintegrada ao grupo, já que foi expulsa por ser lésbica.

Sou grato pelo apoio que recebi de Zach e dos milhares de escoteiros que assinaram a petição‘, disse Jennifer. Já conseguiram apoio de diversas celebridades como Julianne Moore, Ricky Martin e estrelas de Glee. 

Escoteiro Zach Wahls Do Que Os Gays Gostam

Fui escoteiro por mais de 10 anos. Entrei quando tinha pouco mais de 13 anos e aprendi MUITO com o Movimento Escoteiro. Vivi minha adolescência inteira ao lado desse modo de vida maravilhoso. Aprendemos não apenas acampar como a maioria das pessoas acredita, mas vivenciamos muitas coisas como honra, amizade, responsabilidade e crescimento pessoal.

O Movimento Escoteiro, criado por Baden Powell há mais de 100 anos, é voltado para TODO MUNDO. De acordo com as Leis Escoteiras não pode existir nenhum tipo de preconceito ou diferenciação entre os jovens ou membros adultos, mas sabemos que a coisa não é assim quando a ideia sai do papel e entram as pessoas.

O Escotismo pode ser cruel para quem é diferente. Sei disso, porque passei por coisa parecida quando descobriram que eu era gay no meu Grupo Escoteiro:

Uma semana antes de descobrirem, enviei um e-mail para um amigo que sabia sobre minha sexualidade, com fotos minhas com meus amigos na balada curtindo, só não esperava que essas fotos fossem cair nas mãos do pai dele [sinceramente não sei como isso aconteceu].

Naquele fim de semana não fui ao Grupo, eu havia saído no dia anterior [para uma balada gay, claro] e estava cansado. Quando de repente meu celular toca e uma amiga me pergunta se era verdade. ‘Verdade? Verdade o que???‘ A primeira coisa que passou na minha cabeça foi justamente sobre minha sexualidade ser descoberta.

Fiquei sabendo o que havia acontecido: Esse ‘chefe’ escoteiro, diretor presidente do meu grupo, simplesmente jogou numa reunião pós atividade diante de toda a chefia do grupo e de diversos membros jovens que eu era garoto de programa!!! De onde ele tirou isso, não sei!!! Juro que fiquei chocado, NUNCA esperei tal atitude desse chefe, o considerava um grande amigo.

Expliquei a minha amiga que não era garoto de programa, mas que sim, eu fica com homens só que não por dinheiro, mas porque eu realmente gostava de homens. Desliguei o telefone na mesma hora e liguei para a Rosane, uma amiga que considero como mãe e era minha chefe na Alcatéia. Fiquei sabendo com mais detalhes do que aconteceu, mas também soube que eu estava proibido de trabalhar na seção com os lobinhos.

Nunca pensei que isso fosse acontecer comigo. Amava o movimento escoteiro e simplesmente fui jogado fora como uma meia usada e cheia de lama após um acampamento. Guardei mágoa desse chefe por anos, não só por me ‘dispensar‘ como assistente de Lobinhos, mas por soltar a minha sexualidade em uma reunião onde não estava presente. Isso sim foi a maior facada que poderia receber de alguém em quem confiava tanto.

Nunca mais tive contato com esse chefe diretamente. Fiquei sabendo que ele ficou muito doente, mas não fiz questão nenhuma de visitá-lo. Pode ser mágoa, ressentimento, ou qualquer outra coisa, mas no fundo, no fundo, sinto pena dele. Ele não soube administrar seu próprio preconceito nem ter mente aberta para pelo menos me respeitar.

Por outro lado, sair do Escotismo abriu minha vida para muita coisa. Foi depois disso tudo que entrei mais a fundo no universo gay e comecei a vivenciar a minha sexualidade de verdade. Fazer amigos, namorar, curtir e entender um pouco mais sobre o preconceito, luta por igualdade, etc.

Quem sabe se eu permanecesse no Movimento Escoteiro eu nem tivesse o DQOGG e não sei como seria a minha vida sem o blog, ou vocês.

Sempre Alerta!!! Porque como dizia Baden Powell: Uma vez escoteiro, SEMPRE ESCOTEIRO!!!