Arquivo da categoria ‘Pergunte ao DQOGG’

Onde fazer exames de DST?

Onde podemos fazer os exames de DST de graça?

Anônimo, via Formspring

Olá Anônimo, pelo teor da sua pergunta ‘alguém’ andou transando sem camisinha, né? Que coisa menino! O uso de preservativo é essencial em TODAS as nossas transas, já que nos protegem de qualquer tipo de DST, inclusive a AIDS, Sífilis e alguns tipos de hepatite.

Muitas pessoas acham chato parar tudo para colocar o preservativo, mas esquecem que em tudo podemos usar a imaginação e fazer desse momento algo bacana e interessante! Colocar a camisinha no parceiro, ou deixar que a coloquem em você pode ser divertido! A pessoa pode colocar com a boca e aproveitar e já fazer um sexo oral gostoso!

O governo federal disponibiliza em todos os estados e regiões do país os Centros de Testagem e Aconselhamento [CTA] e ainda em diversas unidades das redes públicas de saúde locais para os testes que pode ser feitos de forma anônima e gratuita.

Quer saber onde tem um CTA perto de você? Você pode ligar o o Disque Saúde através do número 136 ou consultar o site do governo que mostra um mapa o mais próximo, divididos por região. Se joga aqui, bee!

Porque usar camisinha?
A camisinha é o método mais eficaz para se prevenir contra muitas doenças sexualmente transmissíveis DSTs, como a AIDS, alguns tipos de hepatites e a sífilis, por exemplo.
O preservativo não deve ser uma opção somente para quem não se infectou com o HIV. Além de evitar a transmissão de outras doenças, que podem prejudicar ainda mais o sistema imunológico, previne contra a reinfecção pelo vírus causador da aids, o que pode agravar ainda mais a saúde da pessoa.
Sem falar que os preservativos são distribuídos em toda rede pública gratuitamente!

Querido Anônimo, use camisinha SEMPRE! Diga NÃO ao Bareback!

Oi, tudo bem? Tenho um problema, trivial pra maioria das pessoas… mas pra mim é uma barreira enorme. Por isso preciso de conselhos de quem é mais experiente e vivido do que eu. Basicamente, meu enrosco é como conseguir um bom parceiro pra realizar meus desejos. Sou bissexual, bem resolvido comigo mesmo (encaro com naturalidade, sem culpa ou encucações). Mas não sou assumido, prefiro me perservar do preconceito vigente na sociedade. Sou ativo com mulheres, mas gosto de “ser a mulher” com outros homens. Meu sonho é ser dominado por outro homem na cama como se fosse mulher, ser penetrado e colocado em posições femininas, ser possuído como uma verdadeira fêmea. Fantasio muito com isso… adoro ser passivo, a “submissão” da condição feminina na cama me excita demais e me traz muito prazer.Eu já consegui ter isso com uma mulher, com a qual namorei 2 anos… e tínhamos uma intimidade deliciosa.

Cheguei até a revelar a ela meus desejos de “fêmea” ocultos, e pra minha surpresa ela levou de boa. Uma vez até fizemos uma inversão de papéis e ela me comeu com um consolo como se fosse homem! Foi uma das experiências mais intensas que já tive, foi bom demais. Mas não é a mesma coisa, ainda queria viver isso nos braços de um homem de verdade, mas pra isso preciso de um parceiro, e não sei como encontrar um. Devem existir truques ou manhas que ajudem nisso, gostaria de saber quais, tanto no mundo real qto no mundo virtual. O máximo que consigo são esses lances virtuais, e muito raros ainda, pois só saio com alguém do bate-papo quando sinto muita segurança mesmo. E sempre acaba sendo frustrante, por ser tenso, frio e mecânico demais, e sem intimidade nenhuma. Já fiz cadastro em tudo o ke é site de encontros pela internet, mas não parece algo promissor… faz anos ke estou nisso e até hj nem sombra.

O que devo fazer pra conseguir um parceiro que dure mais do que uma noite só? Gostaria de conselhos a respeito disso. Desde já agradeço a atenção, e parabéns pelo ótimo Blog!

Atenciosamente, Ed =)

))) Olá, Ed. Então, eu dei uma reduzida no teu e-mail porque tava gigante, ainda assim tem muito texto, mas fazer o que? Só pra esclarecer,  não sou nenhum grande sábio nessa coisa de transas…

Bacana que você se assume e se aceita assim. Confesso que sua narrativa no e-mail, essa coisa de querer ser fêmea etc, me pareceu engraçado, deu uma vontade imensa de fazer piadinhas enquanto respondia aqui. Mas como você foi homem o suficiente pra compartilhar um desejo com a gente, vou responder seriamente.

Super te entendo quando diz que essa coisa de transar por transar é mecânica. Também acho que o sexo é muito melhor quando há uma intimidade. A pessoa já sabe onde pegar, como pegar e até a hora de te soltar… rs

Mas acho que o ser humano não entende bem o conceito de transar sem compromisso, mas com intimidade. O mais próximo que existe disso seria o “amigo pra fodas”. Isso mesmo, um amigo que transaria contigo sempre que os dois tivessem vontade, mas não te cobraria satisfações, nem te monopolizaria, como um namorado. Um amigo que não sumiria após a transa, que te faria gozar mesmo depois de ter gozado. Diferente dessas transas tipo fast foda, onde o cara goza, sobe as calças e te deixa ali jogado como um lixo.

Já ouvi falar tanto dessa coisa de “amizade colorida” que até me interessei em arrumar um amigo assim, pois namorar sério ta foda (com o perdão do trocadilho), mas eu não sirvo pra isso. Na minha cabeça, amigo é igual irmão. E irmão não faz sexo com outro irmão… Agora, se pra você essa equação é diferente… tente procurar alguém que queira o mesmo que você. Sexo com intimidade, mas sem compromisso afetivo.

E bom, onde buscar isso? Continua tentando a sorte nos sites gays, nos chats para Bissexuais e apela pra reza brava caso nada disso dê certo.. Talvez seria interessante você ir num clube de sexo gay, sauna… vai que encontra alguém com o mesmo pensamento que você por lá.

Boa sorte pra ti, espero que alguém te faça de fêmea na cama, na lama e na grama. (af, como poeta sou um ótimo blogayro! rs).

Beijas,

L^^e!))).

Correndo atrás do boy magia

Publicado: 12/10/2012 por @peagapenalvez em Pergunte ao DQOGG
Tags:, , , , , ,

Oi pessoal do DQOGG, primeiramente queria dizer que adoro o trabalho de vocês e que acho muito legal vocês se disponibilizarem a nos ajudar, já que temos tantas dúvidas sobre esse mundo “colorido” em que vivemos.

Eu tenho 18 anos, e há pouco tempo (2 meses) eu comecei a me relacionar com um cara de 20 anos. Eu o conheço há 1 ano e logo que o conheci falei da minha sexualidade e aos poucos fomos ficando amigos. Depois de um tempo nos falando, acabamos virando amigos e ele me confidenciou que nunca havia ficado com homens, mas que eu estava despertando isso nele. Aos poucos fomos ficando mais próximos, mas nada da gente ficar.

À medida que o tempo ia passando, ele ia ficando mais grudento, querendo me ver direto e tal, mas eu já não queria mais nada com ele, por ele ter virado muito chiclete. (e olhe que nem tínhamos ficado ainda). Comecei a dar foras e mais foras até que ele parou com as mensagens, ligações, e até se afastou de mim um pouco. Nesse ano começamos a fazer faculdade na mesma universidade, porém em cursos diferentes, e passamos a nos ver todos os dias, e a amizade foi voltando.

Voltou tanto que eu comecei a ficar a fim dele de novo. Eu chamei ele para vir aqui em casa um dia, quando estava só, e falei tudo o que sentia por ele, e pedi desculpas por ter percebido isso tão tarde. A gente acabou dando o primeiro beijo… E pra minha surpresa, o beijo foi maravilhoso! E eu me vi ali, totalmente apaixonado por um cara que eu passei um ano esnobando. Depois desse dia, ficamos conversando por mensagens direto, parecíamos até um casal mesmo.

Mas essa felicidade não durou muito. A gente parou com as mensagens e eu estava começando a sentí-lo mais distante. Até que teve um dia que nós ficamos de novo, mas ele veio conversar comigo depois, dizendo que eu não precisava me prender e que a gente tava só ficando. Ele ainda sentia algo pelo ex. (Quando a gente se afastou no ano passado, ele conheceu um cara e namorou com ele, mas o cara morava longe, em outra cidade e não deu certo o namoro).

Aquilo foi um baque pra mim, porque eu realmente estava gostando dele. Mas me fiz de forte e disse que tava tudo bem. A gente continua ficando, e é maravilhoso quando estamos juntos, eu sinto que ele realmente gosta de estar comigo.

O problema é depois, que sinto ele muito distante. Não sei se ele tá preocupado que eu ache que ele esteja sendo grudento de novo, por isso está mais distante dessa vez, ou se ele não gosta tanto assim de mim, só quer ficar mesmo.

Thiago Souza, 18 anos

Correndo atrás do boy magia

Olá Thiago, realmente é uma situação complicada. No começo você não queria e até esnobou o cara e agora você quer mas quem é esnobado [de uma certa forma] é você. Quem nunca passou por isso, né?

O que piorou tudo foi que nesse meio tempo em que você se afastou ele conheceu um outro cara. Isso pode acontecer sempre que deixamos alguém de lado por qualquer motivo. Eu mesmo passei por algo parecido no fim do ano passado.

Conheci um cara através de uma amiga, o cara é bonito e super bacana mas acabei deixando-o na ‘geladeira‘ porque estava numa fase que precisava resolver um monte de problemas e seria complicado alguém na minha vida exatamente nessa fase. Continuamos conversando normalmente. Um certo dia resolvi conhecê-lo. Fiquei com ele, foi bacana, maaaaaaaaas durante a semana comentei alguma coisa no Instagram dele e do nada aparece um cara dizendo que era namorado dele. Levei um baque porque não sabia que ele namorava e ~NÃO FICO~ com caras comprometidos. Não sou apaixonado por ele, mas sei que ele é um cara super bacana isso seria questão de tempo.

Sabe o que eu fiz? Continuei sendo amigo dele, conversando normalmente e se um dia ele terminar o namoro quem sabe não role alguma coisa? Se eu estiver solteiro e ele também nada nos impede. Sei que o erro nisso tudo foi meu por isso tenho que arcar com as consequências deles.

A forma do seu boy magia agir agora, mais distante, pode ser um reflexo da sua atitude no passado. Ele pode ter se magoado com seu distanciamento e agora tenta se preservar. Isso nada mais é do que uma proteção para que ele não se machuque novamente. As vezes ele até gosta de você mas agora vai com mais calma.

Separei o video de uma música que ADORO. Preste atenção na letra

Dê tempo ao tempo e tente reconquistá-lo aos poucos. Mostre-se um pouco mais presente e corra atrás daquilo que você deixou pra trás. Nunca é tarde!

“Meu nome é David,tenho 18 anos e tenho uma pergunta: eu não faço sexo há bastante tempo, só tive um garoto em minha vida, e quero sair com um rapaz, mas eu fiz sexo há tanto tempo atrás que não sei se vai doer. Porque da última vez que eu fiquei com o garoto que saia, ele começou a botar e doeu um pouco. Daí pedi pra parar. Será que eu saindo com esse outro garoto, vai doer?”

)))Oi, David. Antes de mais nada, vou te dizer uma coisa: “EU QUERO VER TU ME CHAMAR DE AMENDOIM!”. (Zezé diva!). Então, provavelmente vai doer. Mas se você é PAM (Passivo Até a Morte), com certeza vai DAR um jeito de aguentar firme e superar a dor.

Tenho um amigo que diz que ser passivo não é fácil. É quase uma arte! É abdicar de muitas coisas. Tipo, comer Buchada de Bode antes de transar, não pode. Nem nada que pese demais no estômago e te deixe com vontade de ir no banheiro fazer o número 2.

Eu concordo com essa coisa de ser difícil a arte da passividade, mas acho que deixar de comer é besteira. Só fazer a chuca antes do vucu-vucu e ta valendo.

Use lubrificante durante o sexo anal e peça pro moço ir com calma, depois de um tempo sua porta traseira se acostuma com o novo visitante e daí as coisas fluem com menos dor. Mas, se não DER dessa vez, tente de novo outro dia. Ou sei lá.. vire Mórmon e saia pelo mundo afora convertendo pessoas.

OBS: Caso não seja um PAM com letras maiúsculas, peça pro boy parar de novo. Pois, falando bem francamente, o cu é teu, quem sofre a dor, quem vai ficar andando de pernas abertas, sem poder sentar direito no dia seguinte é você. Dane-se o garoto.

Beijas,

L^^e!))).

Oi pessoal do blog Do Que Os Gays GostamPrimeiro quero elogiar a dedicação de vcs para nos ouvir e trazer assuntos interessantes.

Vcs poderiam dar ideias ou sugestões do que fazer quando o relacionamento fica com cara de domingo, monótono ? Tanto no dia a dia e no sexo.

Anônimo

Relacionamento Gay

Olá querido! Ficamos felizes que curte nosso blogay, ele é feito para vocês queridos leitores que enviam perguntas diariamente. Dá trabalho ter um blog? Sim, e muito, mas ~amamos~ o que fazemos e receber elogios e agradecimentos como o seu nos dá mais força para continuar.

Para começar, a rotina de um relacionamento gay [ou qualquer outro] nunca é ‘culpa’ de apenas um lado, mas sim dos dois que por algum motivo deixam de se comunicar de forma correta e acabam guardando muitos desejos com vergonha de revela-los. Primeiro passo para um relacionamento saudável é ter completa liberdade para conversar sobre tudo [TUDO MESMO] com o namorado. Seja sexo, problemas, alegrias, estudos, trabalho, família, etc.

Apimentar a relação nem é tão difícil, viu? O passo inicial é ter algumas ideias bacanas para quebrar um pouco a mesmice diária. Já pensou em conhecer algum sex shop com o namorado? Pois conheça, mas faça questão de irem juntos! Além da diversão vocês terão um encontro diferente e só isso já é sair da rotina, o que dirá usar os produtos, né?

Alternar quem faz passivo e quem faz ativo é uma forma bacana de sair da rotina de um relacionamento. ‘Ah Peagá, eu curto ser ativo [ou passivo]’. Ué, você não quer sair da mesmice? Poxa, é uma ótima forma de mudar um pouco as coisas, e isso não significa que é pra sempre. Até porque, alternar as coisas de vez em quando é saudável.

Você já ouviu falar em Kama Sutra? Há diversas posições sexuais para sexo anal que são IN-CRÍ-VEIS! Já tentaram fazer algo nesse sentido? Pode-se apimentar ainda mais as coisas com locais inusitados. Eu mesmo já transei numa construção com um namorado de noite enquanto os funcionários não estavam. Outra lugar diferente que transei foi durante uma trilha no Pico do Jaraguá. Sim, ali no meio do mato mesmo!

A dica principal eu deixo por último: Para seu relacionamento não cair numa rotina use a IMAGINAÇÃO! Com ela aposto que seu relacionamento será diferente todo dia.

Beijos e boa sorte!

“Olá meninos, olha eu escrevendo novamente depois de tanto tempo… continuo sempre acompanhando o Blog de vcs. E eu adoroooooo…

Pois bem, meu causo é o seguinte: estou com 25 anos, tenho dois empregos durante a semana e ainda faço faculdade a noite. É minha segunda graduação, to no último ano e as coisas andam tão corridas, que até a academia eu parei. To namorando um cara, ele tem 22 anos, um trabalho tranquilo, faz o 2º ano de faculdade a noite e ainda mora com os pais. Mas ele tem um fogo do caralhoooo, estamos namorando fazem 2 meses e rola uma ótima quimica entre a gente. Estamos transando de duas a três vezes por semana, geralmente quando ele vem dormir no fds aqui em casa. Fui fazer um carinho nele e vi que o saco dele estava pequeno, brinquei perguntando se ele estava se masturbando em casa, e ele disse que sim, pois eu não estou comparecendo como deveria….. EU PIREI… pois fds quando estamos juntos rola muita pegação entre a gente. nos vemos todos os dias, mas só transamos quando ele dorme fds aqui em casa.

Agora vem a questão, estou comparecendo pouco? É normal sexo 2 ou 3 vezes por semana? Será que o problema sou eu ou ele? O que eu poderia fazer pra deixá-lo mais feliz sexualmente? E se ele se masturba em casa sozinho é porque realmente falta algo na cama? To pirando com isso… 

obrigado mais uma vez, bj bj bj….. e manda um bj especial pro Leee… rsrsrrss (L., Ribeirao Preto – sp)”.

Oi, lindeza! Você ta pirando por causa disso? Imagina, nem ficou aparente nas 800 indagações sobre sexo que fez no e-mail… Valeu por me mandar beijo, mas prefiro minha parte em dinheiro mesmo… ou me apresenta algum amigo solteiro. Aliás, me apresenta um amigo solteiro e me paga também, já que deixou de me paquerar e ainda escreve pro blog pra jogar na minha cara que transa 3x por semana e que seu namorado ninfomaníaco ainda pede mais! DESAFORO… huahauhau

Brinks a parte, já parou pra pensar que o saco dele tava pequeno por causa do frio e ele fez a maldita, pra te provocar, falou que você não tava dando conta do recado? 

*. * (Cena do filme Weekend)

Enfim, essa coisa de quantidade de transas x Casas Bahia Feelings = satisfação total a você, é subjetiva demais. Cada gay é uma gay. Se eu transasse 3 x por semana, seria muito feliz, além de ter a pele ÓTIMA. Mas o ser humano sempre quer mais… né? Então, se tivesse 3 transas garantidas, iria querer transar 7x por semana… Em compensação, tem gente que nem de transar gosta.

Acho que esse fogo todo é normal no começo do namoro, depois dos 5 meses vai dar uma baixada, e se chegarem aos 10 anos de namoro, num vão nem lembrar o que significa um Canguru Perneta…

))) Quanto a poder deixá-lo mais feliz sexualmente… É sempre possível, mas daí é bom perguntar pra ele se gostaria de realizar alguma fantasia… apimentar a relação ou se você pode melhorar algo. Como está no começo, acho até normal perguntar. Melhor do que dar uma de fodão, fazer algo que ele odeia só porque você gosta ou viu num filme e assumiu que ele deveria curtir também.

))) Sobre ele se masturbar sozinho em casa, MEU FILHO, se manca. O menino não tem direito a bater punheta longe de você? Ele assinou contrato com a exigência de só gozar na sua presença? Respeita o espaço dele… tem gente que está acostumado a se masturbar todo santo dia, mesmo casado e morando junto. Respeite a individualidade.

Agora, não deixe as coisas caírem na mesmice. Esperar até o final de semana pra transar? Já que se encontram todos os dias… aproveita e taca esse boy na parede sempre que tiver chance. Sem que ele espere por isso…

Boa sorte com o meu substituto. (Vou ali acender uma vela pro seu pinto cair – brinks)

Beeeijas!

L^^e!))).

Olá meninos do blog!!! Sou leitor assíduo do DQOGG a mais ou menos uns dois anos, quando tive minha primeira experiência com um garoto e buscando achar algumas respostas as minhas duvidas encontrei vocês, e desde esse dia não deixei de acompanha-los. Enviei uma vez uma pergunta a vocês e a opinião que me deram me ajudou muito em meu problema.

Mas agora, preciso de mais algumas dicas, pq o assunto é família… gosto muito de sair e recentemente comecei a namorar um cara maravilhoso que está me fazendo muito feliz. Gosto muito de sair pra boates e casa de amigos e com certa frequência durmo fora de casa. Agora, namorando… durmo mais fora ainda, pq fico na companhia do meu amor.

O que acontece é que minha familia não sabe da minha sexualidade (ou pelo menos finge não saber), e sempre que tenho q sair acabo contando alguma história e não falo realmente o que acontece e pra onde vou. Isso está me deixando muito chateado pq nao gosto de mentir pros meus pais e queria muito falar sobre meu namorado e sobre meus amigos, que são amizades muito saudáveis.

Resolvi que semana que vem trago meu namorado aqui em casa pra ver se acalmo meus pais (vou apresentá-lo como amigo), pois eles sempre falam q não conhecem esses meus amigos e acho q por isso eles se preocupam tanto. Alguns dias depois de conhecerem o meu amor e verem q ele é bacana, pretendo bater a real e falar que sou gay e que aquele rapaz que veio a nossa casa outro dia é meu namorado.

Eu sinceramente não acho que minha família irá me bater ou expulsar de casa ou fazer essas outras coisas horrorosas que outras familias malucas fazem, mas tenho medo pq sei que meu pai ficará muito triste. E mesmo que algo de ruim aconteça… ainda assim posso me virar pois tenho emprego, embora não ganhe bem e não possa dizer que sou independente, eu consigo me virar .

O que queria era uma ajuda de como vocês acham que devo conduzir esse assunto, aqui em casa certos assuntos como  homossexualidade por exemplo não são muito comuns.

Aqui não é programa da Xuxa mas eu quero mandar um beijo pra vocês do blog, um pra Xuxa outro pra Sasha e um especial pro meu amor que eu gentilmente apelidei de Deby Neto.

Obrigado!!!

Leandro, 21, Goiânia/GO

Mãe, eu sou gay!

Assumir pra família é geralmente complicado, porque sempre temos medo da  reação deles quanto a nossa sexualidade, mas pelo que você nos conta não será tanto problema e forma como você pensa em sair do armário é uma das mais adequadas: preparar antes de assumir. Talvez você seja uma ferramenta para que o assunto homossexualidade seja mais discutido e aceito por seus familiares. Até porque você mesmo nos diz que eles já devem saber que você é gay.

É ruim quando temos que nos esconder e mentir para as pessoas que amamos com quem namoramos ou para onde vamos. A família deve ser aquela que nos ajuda e apoia em tudo que fazemos, nos dá as broncas quando estamos errados e conselhos quando estamos perdidos e viver mentindo realmente quebra um pouco esse relacionamento. Entendo seu lado.

Faça como falou: apresente seu namorado como seu amigo no começo e depois, com o tempo, eles vão entender que vocês não são apenas amigos, porque as pessoas não são bobas [as mães muito menos] e com certeza notarão a forma como se olham, agem e se tocam… é diferente com um amigo.

Se eles tocarem no assunto respire funde e conte. Aconteceu isso comigo, vou contar:

Quando tinha 16 anos namorava um cara pouco mais velho que eu, e fazíamos tudo juntos. Vira e mexe ele dormia na minha casa e como não tinha uma cama de casal ele dormia comigo na minha cama de solteiro. Foram alguns meses assim, apresentando ele como amigo e quase todos os dias ele passava em casa de carro e dávamos um volta [pra transar, claro]. Quando terminamos fiquei arrasado e minha mãe percebeu que estava triste e o meu ex não aparecia mais em casa. Ela veio me perguntar o que tinha acontecido e disse que havíamos brigado. Minha mãe que não era boba emendou a pergunta bombástica: ‘Ele é só seu amigo?‘ Na mesma hora eu disse que éramos namorados e comecei a chorar. Ela com toda a tranquilidade do mundo disse que me amava de qualquer jeito e que ‘quem sabe um dia não voltaríamos na namorar‘, ‘Que brigas nos relacionamentos acontecem‘ e mais um monte de coisas. Não voltei com meu namorado, mas pelo menos contei que sou gay e não me arrependendo porque alguns meses depois ela morreu de leucemia e ficaria arrasado se ela não soubesse que sou gay’.