Arquivo da categoria ‘Homofobia’

Paris Hilton diz: Gays são nojentos e maioria deve ter AIDS

Pare o mundo que eu quero descer! Paris Hilton, a mimada filha do poderoso dono da rede de hotéis Hilton teve uma declaração sua gravada por um taxista em New York onde diz a seguinte frase: ‘Homens gays são as pessoas mais excitadas do mundo… Eles são nojentos. Cara, a maioria deles provavelmente tem Aids‘.

De acordo com o site TMZ, ela conversa com um amigo [gay inclusive] e falavam sobre um famoso app para celular de encontro gays que usa geolocalização para achar os gays mais próximos de onde está e que também tenho o tal app.

A assessoria de imprensa da pobre menina rycah diz que: ‘Os comentários dela pretendiam expressar que é perigoso para qualquer pessoa fazer sexo sem proteção, que pode levar a doenças que ameaçam a vida’, dizem os representantes. Eles acrescentam que o taxista gravou apenas uma parte da conversa e que‘não foi a intenção dela fazer comentários que denigrem os homossexuais‘.

Concordo que transar sem camisinha realmente leva a várias doenças, entre elas a AIDS, mas fazer esse tipo de comentário é ofensivo demais! Por mais que um gay use tal app não quer dizer que ele tenha o vírus HIV ou qualquer outra DST, mostrando que dinheiro não compra inteligência, né?

Beijos Paris, a próxima notícia que veremos sua será sobre sua próxima prisão.

Zach Wahls, durante uma manifestação em busca de assinaturas para sua petição

Há um tempo falamos sobre o caso do jovem Zach Wahls [filho de uma casal de lésbicas], que recolheu mais de 280 mil assinaturas em uma petição que foi enviada para a Associação de Garotos Escoteiros dos EUA pedindo que mudem a política antigay do movimento. Pois é, não deu certo.

Essa discussão durou 2 anos e o comite de líderes escoteiros norte-americano votou por decisão unânime que é ‘melhor’ manter a regra de nã0 ter membros gays em suas tropas e exonerar aqueles que saiam do armário. O pior de tudo é que nem os líderes que participaram dessa votação serão revelados. Claro, com medo de expor sua visão machista e preconceituosa.

>>>>

Evidenciando a minha vivência escoteira durante 13 anos, só posso dizer uma coisa. Esse caras não sabem NADA sobre o que é Escotismo. Baden Powell, o fundador do Escotismo Mundial criou o movimento para acolher TODA e QUALQUER PESSOA, independente de religião, partido político e porque não sexualidade?

Simplesmente é degradante a forma como o Movimento Escoteiro é levado hoje. Desde que era um jovem escoteiro percebi que o ideal de B.P. se perdeu, e que os membros adultos deturpam, estragam e acabam com o verdadeiro escotismo. Talvez seja por isso que esteja fadado ao fim, já que a cada ano que passa menos jovens se interessam por algo que no papel é INCRÍVEL, mas na hora de colocar em prática deixa a desejar.

Tarso Carmona Vítima Homofobia Morte Do Que Os Gays Gostam

Foto do Facebook da Vítima

Em um ponto de ônibus um trio de amigos [gays] acenam para um taxi que para e de dentro sai um taxista que saca um arma e atira no grupo. Um dos jovens, Tarso Carmona de 19 anos leva um tiro na cabeça e morre no local, outro jovem toma um tiro de raspão no rosto, enquanto o último consegue fugir ileso.

Homofobia. Covardia. Um crime HEDIONDO! A irmã de Tarso disse à polícia que seu irmão teve problemas há cerca de 3 semanas por ser gay e que o crime foi homofóbico.

Por outro lado, a polícia diz que o jovem era arruaceiro, e que vivia arrumando confusões nas proximidades do bairro. A família desmente tais acusações, mas é complicado pensar que ainda tentam inverter a situação colocando como se a vítima merecesse ser morta a tiros.

Mesmo que a acusação fosse verdadeira e ele fosse realmente um arruaceiro [o que eu duvido MUITO], isso é motivo para ter uma morte assim?

Agora meu pergunto: O que diabos esse taxista pensava na hora para sair de seu carro e atirar em um grupo de jovens? Aonde vamos parar, já que o  ódio contra gays toma cada vez maiores proporções?

Triste é saber que ele deixa familiares e amigos em tão tenra idade. Conheço um de seus amigos, e sei que ele está arrasado e não para de chorar. A única coisa que gostaria de fazer nessa hora é dar um grande abraço nele e confortá-lo, porque perder um amigo é triste, ainda mais quando é de uma forma tão grotesca quanto a homofobia.

Um amigo fez um vídeo de Tarso, assistam:

Verbotene Liebe Folge 3682

O Grupo Gay da Bahia, famoso por sua luta pelos direitos gays, lançou um site para receber notícias de assassinatos de gays e lésbicas no Brasil. Seu nome é ‘Quem a Homofobia matou hoje‘. O site ainda mostra um levantamento de homossexuais mortos no primeiro semestre de 2012, e já somam 165 assassinatos. Veja o relatório AQUI.

O site mostra diversas fotos das vítimas. Um pouco chocante, mas sabemos que a realidade precisa ser mostrada. Talvez assim as pessoas se fragilizem com tamanha atrocidades e sejam menos categóricas ao julgar o amor entre pessoas do mesmo sexo.

Sabemos que a homofobia mata milhares de gays por ano, e mesmo assim políticos da bancada evangélica nada fazem para nos defender. Montados em seus dogmas religiosos, esquecem que antes de mais nada, gays e lésbicas são cidadãos brasileiros e assim como os demais necessitam de medidas que os protejam.

É triste ver que pessoas são mortas apenas por amar diferente da maioria da sociedade. Quem pode julgar o sentimento do próximo?

Homofobia na CPTM - Do Que Os Gays Gostam

Foto: Divulgação

A homofobia chega cada vez mais perto de mim. Ontem recebi com tristeza o relato de um grande amigo e irmão, Iran Fernandes, onde me conta como foi tratado por um funcionário da CPTM. O fato aconteceu faz um tempo e até agora a empresa não se manifestou quanto ao assunto. Isso só mostra o quanto até a CPTM não está preparada para respeitar a diversidade sexual.

Iran, um amigo e mais um casal formado por dois rapazes voltavam de um dia de trabalho, e como sempre usavam o Terminal Barra Funda para voltar para casa. Enquanto se despediam, o casal que dava seu último beijo ouviram ao longe funcionários da CPTM os xingarem.

Um dos rapazes disse: ‘Nossa é pra mim, porque to passando mal com a homofobia‘, porém o maior espanto foi o funcionário da CPTM levantar seu cassetete e ameaçar agredí-los. Iran também foi tirar satisfações com o funcionário que também o destratou, mas nessa hora [esperto meu irmão] conseguiu ver o nome do agressor.

Agora pergunto: A CPTM não é um orgão do governo que deveria tratar TODOS os usuários com respeito, e principalmente, sem agredi-los fisicamente ou moralmente? Que raios de cidade vivemos onde as pessoas nos tratam como deliquentes e doentes apenas por expressar nosso AMOR e CARINHO?

Será que não podemos nem mais usar os transportes públicos que somos alvos de pessoas intolerantes? Fico pensando que tipo de funcionários são contratados para servir a população e como será o treinamento deles, porque sinceramente, no quesito respeito esses não passaram.

Adoraria que a CPTM entrasse em contato e tomasse as devidas providências contra o funcionário em questão. Ainda não sei como meu amigo Iran fará com tal caso, mas já indiquei um advogado amigo meu para ajudá-los da melhor forma possível.

Recebemos a seguinte mensagem no twitter do blog, e até o momento não recebemos um e-mail de contato para enviar os dados solicitados.

Homofobia Frei Caneca Agressão

Imagem: Facebook

Entrei ontem em meu Facebook e vi a atualização de um amigo, onde falava sobre o agressão que sofreu na Rua Frei Caneca. Homofobia pura, na rua considerada como um reduto gay, onde [achávamos] que podíamos circular sem medo de represálias.

É realmente triste ver que uma pessoa próxima, que frequenta os mesmos lugares que eu tenha sofrido um ataque dessa forma. Poderia ser eu, um amigo ou até mesmo você leitor. Tomar cuidado nunca é o bastante quando o assunto é Homofobia.

Segue o trecho extraído do Facebook da vítima:

Não existe homofobia no Brasil! Essa é a frase que o deputado Jair Bolsonaro já disse muitas vezes por onde passa, mas a homofobia existe sim no Brasil. E está literalmente na minha cara. Essa é uma foto que tirei agora a pouco depois que fui atacado por 4 adolescentes ontem na Frei Caneca.

Me atacaram de surpresa e sem eu poder reagir. Me bateram muito, me humilharam, quebraram meu celular e depois o jogou, junto com minha carteira, no bueiro.

Eu tive sorte, nessa mesma semana um garoto no Rio de Janeiro foi morto com requintes de crueldade. Eu só fui mais uma bichinha que apanhou na Paulista. O pior é que não fui a primeira e não serei a última. O policiamento é ineficiente, e a prefeitura está cagando e andando pra gente, essa é a verdade.

Meu corpo inteiro dói, mas nada dói mais do que minha alma. Eu estava apenas andando, sozinho, saindo de uma balada. Eles me disseram que viram eu saindo da ‘balada de viado sozinho’ e resolveram ‘brincar‘ comigo. Já chorei muito, já pensei muito, e não existe nada que me tire o medo que estou sentindo. Medo e raiva, muita raiva. Quando você vê algo assim na televisão, você nunca imagina que vai acontecer com você.

Um me enforcou por trás, enquanto outros dois se revezavam em dar socos no meu estômago, depois me jogaram no chão e começaram a me chutar e pisar na minha cabeça. Por um milagre, ou coisa que o valha, um segurança de um prédio próximo, apareceu e espantou os marginais. Não olhei para o rosto deles. Eu só sentia medo. Tinha certeza que iria morrer. Algumas pessoas passaram por ali e me viram no chão apanhando e não fizeram nada.

Agora a pouco falei com minha mãe pelo telefone e dói muito ouvir sua mãe chorar de preocupação por você. Eu não paro de chorar desde então. Eu sei que isso que aconteceu comigo é horrível, mas poderia ser bem pior. Eu poderia estar morto. Agora tenho a chance de contar o que aconteceu comigo e tentar alertar a todos.

As providências legais serão tomadas, e tomara que alguma coisa aconteça com esses marginais. Me desculpem os defensores dos direitos humanos, mas não desejo nada melhor do que a morte lenta e dolorosa desses infelizes. O meu sangue está nas mãos desses bandidos e nas mãos de Malafaia, Bolsonaro, Apolinário, Papa, e de tantos outros que pregam seu ódio aos homossexuais.

Agora estou por baixo, mas quando eu levantar, estarei mais forte e com mais gana do que nunca de lutar para que esse mundo seja um lugar onde os gays, lésbicas, travestis, transexuais, homens, mulheres, crianças e todos aqueles que merecem, sejam respeitados pelo simples fato de existir.

Foram só alguns arranhões que em alguns dias vão sumir da minha pele, mas as marcas profundas que deixaram na minha alma nunca serão cicatrizadas, ficarão abertas e expostas e isso me ajudará a fazer o certo sempre.

Desculpe-me pelo desabafo, mas precisa colocar para fora todo o sentimento que está dentro do meu peito. E por favor, tomem cuidado, eu tive sorte ontem, e espero que ninguém passe pelo o que eu passei, mas sabemos que eu poderia estar morto agora. Se protejam, não façam igual eu que estava sozinho de madrugada na rua, vamos nos proteger, nos unir… Eu tenho fé que um dia essa minha experiência vá parecer algo tão irracional quanto a escravidão é hoje. Mas sinto que esse dia ainda está muito distante.

Bullying Homofóbico - Do Que Os Gays Gostam

DENUNCIE ESSA COVARDIA!!!

Muito se fala em bullying nos dias atuais, mas alguns de nós passam por um problema um pouco mais complicado, o bullying homofóbico. Aí você pensa: ‘Poxa Peagá, mas bullying não é tudo igual???‘ Talvez, mas você já parou para pensar em alguns agravantes que os gays passam???

Muitos adolescentes sofrem bullying homofóbico em suas escolas. São chamados de ‘viadinho‘, ‘bichinha‘, ‘bichona‘ e seus derivados, e em muitos casos acontecem as agressões físicas, que agravam ainda mais o quadro de medo, baixa estima e problemas psicológicos.

Já adianto que não quero defender que sofremos mais com o bullying, mas que no caso de adolescentes gays, há problemas que muitas pessoas não param para pensar.

Adolescentes gays passam por um problema a mais no caso de agressões e ‘brincadeirinhas‘ de mau gosto. Muitos não são assumidos para família e amigos, e realmente não tem a quem recorrer nesses casos. Como chegar em casa e dizer para seus pais: ‘Mãe. Pai. Sou agredido na escola porque sou gay‘.

Se os héteros já tem medo/vergonha de dizer para os pais que sofrem bullying, imagina um adolescente gay que não é aceito pelo grupo e se sente diferente do resto da galera??? Não é fácil!!!

Pesquisas recentes, como o estudo Discriminação em razão da Orientação Sexual e da Identidade de Gênero na Europa, do Conselho da Europa, identificaram que como resultado do estigma e da discriminação na escola, jovens submetidos ao assédio homofóbico são mais propensos a abandonar os estudos. Também são mais predispostos a contemplar a automutilação, cometer suicídio e se engajar em atividades ou comportamentos que apresentam risco à saúde

As vezes paro e penso em como tive sorte por não passar por isso na escola. Publicamos alguns relatos aqui e leio em outros lugares. Realmente sofro junto com eles. Tento me colocar no lugar de cada um e imaginar o quanto se sentem sozinhos nessas horas. Quer saber??? Dói mesmo que não seja eu, imaginou neles.

Nosso blog é lido por muita gente, alguns estudantes [heteros inclusive] portanto, se você ver alguma caso de bullying [seja homofóbico ou não] vá na direção da unidade de ensino e fale. Vamos abrir a boca e tentar mudar esse quadro.

Em todo caso o e-mail do blog está aqui. Sei que não posso fazer muito, mas me disponibilizo a ajudar. Você sofre com bullying??? Mande um e-mail para nós que tentaremos te ajudar. Sei que não posso ir para o Oiapoque mas posso ajudar se for perto de São Paulo. Não custa pegar um ônibus e ir na sua escola para conversar um pouco sobre bullying com sua direção e alunos.

 

Carlos Bolsonaro Homofobia

Foto: Site Oficial do Vereador Carlos Bolsonaro

Por intermédio da 7ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Cidadania o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), ajuizou Ação Civil Pública ao filho de Jair Bolsonaro, o vereador Carlos Bolsonaro, por danos morais difusos à comunidade LGBT. A ação requer ainda que o vereador seja condenado a pagar a quantia de R$ 15 mil, equivalente a 100 vezes o valor de seu salário.

O vereador publicou em seu twitter a seguinte frase quando seu pai foi absolvido pelo Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, ‘CHuUuuuPA Viadada. Bolsonaro absolvido!!!! Viva a Liberdade de Expressão. Parabéns Brasil!‘.

A conduta do ora demandado, Vereador à Câmara Municipal do Rio de Janeiro, causou danos morais a um número imenso, a rigor, indeterminado de pessoas, destinatárias que foram de suas preconceituosas e ofensivas declarações. Tal conduta é inconcebível, sobretudo porque praticada por um parlamentar no exercício da vereança há mais de dez anos, e viola, numa só tacada, uma pletora de normas constitucionais, como adiante se verá‘ disse o promotor de Justiça Rogério Pacheco Alves.

A Ação Civil Pública afirma que Carlos Bolsonaro foi preconceituoso e homofóbico, ferindo a Dignidade da Pessoa Humana, que é fundamentada no artigo 1º da Constituição Federal, além de outros direitos fundamentais, como a liberdade de orientação sexual que diz respeito à intimidade e à vida privada do indivíduo.

A liberdade de dispor da própria sexualidade é um direito fundamental que emana da dignidade humana, cláusula pétrea‘, falou o promotor do caso.

Sinceramente ainda acho pouco a quantia de 15 mil, mas acho que o valor da multa deveria ser revertido para ONGs que lutam pelo fim da homofobia. Seria uma forma de investir em algo para acabar com isso usando o dinheiro dos homofóbicos para isso.

Vamos mandar um beijo para o @VerBolsonaro???

Foto reprodução

Dia 28 rolou um post sobre uma marca de cerveja que produziu um comercial infeliz usando o tema transexual e senti necessidade de expor um pouco o que eu acho sobre o assunto Humor x Homofobia, até para esclarecer um pouco a minha forma de ver as coisas.

Foto: Reprodução

Capitão Gay – Vivido por Jô Soares

Não achei o vídeo altamente ofensivo, só achei INFELIZ a forma como a propaganda foi elaborada, o caso de ter uma transex no comercial não agregou NADA. Muitos homens confundem uma transex de uma mulher e isso não é motivo de piada, como foi feito no fim do comercial, essa parte sim eu não curti.

Não sou contra o humor usar personagens gays, lésbicas ou transgêneros, até porque eu seria muito hipócrita em dizer que não dou risada de algumas coisas que vejo por aí.

Não somos super cidadãos que ninguém pode brincar, só é preciso tomar cuidado em não ofender ninguém. Não sou da patrulha da moral e dos bons costumes porque acredito que isso não existe, só acho que o direito [liberdade] termina onde acaba o respeito ao próximo.

Foto: reprodução

Vera Verão, personagem do magnífico Jorge Lafond

Não podemos achar que qualquer coisa é uma forma de agredir ou denegrir a imagem da homossexualidade, temos que relaxar um pouco, ou seremos taxados como chatos e neuróticos. Se isso acontecer, quando for uma reivindicação forte e séria as pessoas nem nos ouvirão e logo pensarão: ‘Aff, lá vem a patrulha gay‘. Não é isso que queremos, ou é???

Todo mundo faz piada sobre negros, judeus, gaúchos, são paulinos… porque não faríam conosco? Se queremos ser tratados como iguais, também podemos tirar nosso bom humor da bolsa [Gucci ou Prada por favor] e dar um pouco de risada, né???

O significado da palavra gay logo que foi ‘criada‘ é alegre e somos realmente pessoas alegres e de bem com a vida. Bom humor não faz mal a ninguém, ao contrário, faz bem para o coração!!!

Há personagens gays maravilhosos na história da televisão brasileira: Capitão Gay [que logo vira filme], Vera Verão, Valéria Vasquez, entre tantos outros. Interpretações incríveis, não é mesmo???

Vamos [re]lembrar deles???

Foto: Site Oficial do bar

F.P. divulgou há instantes em seu perfil do Facebook o caso de homofobia que sofreu por parte do funcionário do bar Mustang Sally, em Curitiba, e busca ajuda para uma manifestação em frente ao estabelecimento no dia 1 de junho, às 19h para mostrar que esse tipo de atitude não será mais aceita e que ninguém mais aguentará calado isso.

Segue texto extraído do perfil de Filipe:

Estou aqui para divulgar um revoltante episódio de homofobia praticado contra mim e meu namorado ontem a noite (27/05/2012) no bar e restaurante Mustang Sally em Curitiba.

Fui ao Mustang Sally com meu namorado onde bebemos durante o entardecer. Por volta das 21h da noite, fomos jantar a uma quadra dalí. Quando voltávamos de mãos dadas até carro, estacionado na frente do Mustang Sally, um garçom do mesmo estabelecimento, que já havia nos tratados com ares de deboche a 3 semanas atrás, gritou de dentro do estabelecimento “Olha o casalsinho de viados vindo aí!”, às gargalhadas. O sentimento de conforto do funcionário do estabelecimento foi tão grande, que a sua frase foi falada alta o bastante para ser ouvida perfeitamente por mim e pelo meu namorado que estávamos fora do bar, do outra lado da rua Dom Pedro II.

Esse episódio foi a quarta violência homofóbica que eu e meu namorado sofremos em três semanas, sendo duas delas praticas por esse mesmo garçom do Mustang Sally. Um dos outros casos ocorreu quando dois homens com por volta de 30 anos disseram um para o outro que nós dois merecíamos um tiro na testa, quando chegávamos à fila do Citra Bar de mãos dadas na noite do dia 19 de maio desse ano. Na mesma noite, quando entrávamos no carro do meu namorado de mão dadas, outros dois homens pararam o seu carro do nosso lado e começaram a nos xingar de diversos nomes em tom de ameça. Quando saímos de carro eles nos perseguiram ameaçando bater na traseira do carro durante algumas quadras até que conseguimos despistá-los.

Por mais que a situação de nos levantarmos contra isso seja extremamente desgastante e dolorosa, mais seria suportar calado enquanto perdemos até nossa coragem e tranquilidade de sair de casa para compartilharmos pequenos momentos com quem amamos.

Felizmente, conto com o apoio de muitos amigos e amigas para tentarmos mudar um pouco essa realidade de violência que passamos diariamente.

E para evitarmos que esse tipo de agressão homofóbica se repita, divulgo aqui um convite a todos, LGBTs e heteros, a nos reunirmos 6ª feira as 19h no Mustang Sally, expressando nossa homoafetividade, sem receio de entrar de mãos dadas com companheiros do mesmo sexo, e o apoio à causa. Para que nos atendam com respeito e educação, indiferentemente da nossa orientação ou identidade sexual e de gênero ou quanto demonstramos ou não nossa homoafetividade.

Peço que divulguem esse caso de todas as maneiras possíveis.

Mustang Sally fica na Rua: Cel. Dulcídio, 517 [esq. com D. Pedro II] em Batel – Curitiba/PR. Conto com todos os leitores de Curitiba e arredores para comparecer no dia 1º, hein??? Levem cartolinas, porque é sempre bom ter algumas frases de efeito, né??!!

O que não me conformo é que um funcionário de qualquer estabelecimento comercial trate assim o público. O dono desse bar não tem noção de que ao contratar sua equipe??? Até porque qualquer tipo de processo que Filipe queira abrir, será não apenas contra o funcionário???

Enquanto diversos locais aprenderam que tratar bem gays e lésbicas é ter um público fiel, de um nível sócio-econômico super a média, alguns locais ainda nos tratam dessa forma! DEPRIMENTE!!!

Ah, você tem twitter??? Que tal mandar uma mensagem para o pessoal do Mustang Sally??? Só mencionar

[Sugestão enviada por Nicollas Rudiner]

Reprodução: YouTube

A ABGLT [Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais] denunciou a propadanda da cerveja Nova Schin, onde uma transsexual é ‘objeto de escárnio, piada e deboche, ‘de noite era Maria e de dia era João’, palavras da própria associação.

Segue nota enviada:

Nossa consternação se dá pelo fato de que a população de travestis é entre as mais discriminadas no Brasil e que o comercial contribui para referendar e banalizar essa discriminação, ridicularizando a personagem travestida. Para ilustrar, em pesquisa feita na Parada LGBT de São Paulo em 2005, 77,% das pessoas travestis e transexuais afirmaram já ter sofrido agressão verbal/ameaça de agressão em virtude de sua sexualidade (www.clam.org.br).

Para entender nosso posicionamento, bastaria ridicularizar a personagem do comercial por causa da cor de sua pele ou por causa de sua raça, para perceber que o conteúdo é discriminatório.

Ao mesmo tempo em que entendemos que é preciso ter bom humor, não se deve utilizar-se da fragilidade de uma população para vender um produto. Isto não é condizente com o preceito constitucional da dignidade humana.

Reprodução: Youtube

Tem havido muito debate no Congresso Nacional e na sociedade brasileira sobre a discriminação por homofobia. Neste sentido, a fim de elucidar porque o comercial nos ofende, oferecemos uma definição bastante abrangente do conceito de homofobia que também demonstra a forma como o comercial está contribuindo para reforçar preconceitos baseados em estereótipos negativos:

[A homofobia é] um conjunto de emoções negativas (tais como aversão, desprezo, ódio, desconfiança, desconforto ou medo), que costumam produzir ou vincular-se a preconceitos e mecanismos de discriminação e violência contra pessoas homossexuais, bissexuais e transgêneros (em especial, travestis e transexuais) e, mais genericamente, contra pessoas cuja expressão de gênero não se enquadra nos modelos hegemônicos de masculinidade e feminilidade. A homofobia, portanto, transcende a hostilidade e a violência contra LGBT e associa-se a pensamentos e estruturas hierarquizantes relativas a padrões relacionais e identitários de gênero, a um só tempo sexistas e heteronormativos (JUNQUEIRA, 2007).

Assim sendo, vimos por meio deste solicitar a imediata retirada do ar do comercial “Festa de São João”, da empresa Nova Schin.

Na expectativa de sermos atendidos, estamos à disposição.

Sinceramente não curti muito essa brincadeira, achei de humor precário, ~levemente ofensivo~ e de uma falta de criatividade  imensa por parte da agência. Acho que pode-se abordar a homossexualidade e transsexualidade em um comercial, inclusive usar humor para falar sobre isso, mas de uma forma que ninguém se sinta ofendido com ‘brincadeira’. Espero que tirem do ar esse comercial, não por mim, mas pelazamiga transex que se sentiram ofendidas.

Homofobia Não - Do Que Os Gays Gostam

O Brasil deu mais um passo na luta contra a homofobia. Uma comissão de juristas que discute a reforma do Código Penal Brasileiro no Senado aprovou ontem a proposta que criminaliza o preconceito contra LGBTs. A única coisa que falta para ser efetiva a decisão é a aprovação por parte do Congresso, mas esperamos que tudo ocorra bem.

A lei não protegerá apenas gays, lésbicas e transgêneros, mas abre sua ação sobre mulheres e preconceitos baseados na origem regional, igualando ao crime de racismo que é imprescritível e inafiançável. Ponto para os gays!!! Explicando melhor: Se a lei for aprovada a pessoa não poderá pagar fiança para responder em liberdade e acima de tudo, poderá ser processada a qualquer tempo.

A pena prevista varia de dois a cinco anos de prisão, e pode ser aumentada de um terço até a metade se for cometida contra criança ou adolescente.

Entram nesse quesito: impedir o acesso em transporte público, estabelecimento comercial, instituição de ensino ou recusa de atendimento em restaurantes, hotéis e clubes. O lado trabalhista também foi visto, e não poderá impedir o ingresso de alguém em cargo público e empresa privaa. Demitir e exonerar alguém fundamentado em preconceito também dará cadeia!!!

A lei abrangerá também propaganda de símbolos preconceituosos [inclusive na internet], então fiquem ligados a qualquer atitude homofóbica pela internet, viu???

Tem como não comparar?

A solução para se ver livre de gays e lésbicas para o pastor evangélico norte-americano Charles L. Worley é simples, direta e INSANA:

Descobri uma forma de nos livrarmos de todas as gays e lésbicas. Construir uma cerca de 150 ou 200 quilômetros e colocar todas as lésbicas lá e atirar um pouco de comida por cima da cerca e fazer a mesma coisa com gays. Colocar uma cerca eletrificada de modo que eles não possam sair. E você sabe… em alguns anos, eles morrem‘.

Eu não vou votar em um assassino de bebês e amante de homossexuais‘, fala o pastor sobre o apoio do presidente Barack Obama.

Deus tenha misericórdia de mim. Tenho ânsia de vômito até pensar a respeito. Não sei nem se deveria falar isso no púlpito: Você pode imaginar um homem beijando outro homem?‘ completa.

Não tenho sangue de barata e primeiramente senti uma RAIVA ENORME por esse ser, mas ao passar minha repulsa a única coisa que posso sentir é PENA. Isso mesmo, pena!!!

Como uma ‘pessoa‘ pode desejar que outros humanos morram e se dizer um ‘servo de Deus‘, e pior de tudo, ainda ter fiéis que ovacionam seu frases insanas e nazistas? Não entendo tanto ódio numa pessoa que se julga seguidora dos planos divinos.

Aqui no Brasil temos o Pastor Malafaia, que fala durante um vídeo que é preciso descer o porrete em gays e lésbicas, incitam a população a agredir toda uma comunidade. Nós também temos familiares e amigos, ele não pensa no quanto deixa todos eles apreensivos e com medo de algo aconteça conosco? Ele não acha que sempre que saio na rua não tenho medo de ser atacado e morto por algum louco que escuta suas frases? Ou me preocupar com meus amigos e leitores que podem nunca mais voltar para casa???

Acho que tanto aqui no Brasil, quanto nos Estados Unidos, está na hora de rever o conceito de religiosidade e até que ponto eles podem pregar agressões e assassinatos a outros cidadãos.

[Sugestão enviada por @FeCampus]

Foto: Anatolii Stepanov/REUTERS

Svyatoslav Sheremet é o líder de uma organização LGBT da Ucrânia e após ir a uma coletiva de imprensa, onde cancelou a Parada Gay de sua cidade, Kiev, foi agredido covardemente por 3 rapazes que o esperavam do lado de fora. Os homens [todos encapuzados, fugiram ao perceber que eram fotografados e a polícia ainda não tem pistas de suas identidades.

Apesar da Ucrânia ser o primeiro país da ex-URSS a discriminalizar, sua constituição não menciona nada sobre homossexualidade ou transgêneros. Há muitas clausulas que falam sobre a igualdade de direitos, mas o poder judiciário evita usa-las para a luta de igualdade de direitos. Alguns índices apontam que mais de 82% da população não aceita a homossexualidade.

O pior de tudo é que um grupo chamado ‘Amor contra a homossexualidade’ tem apoio de maioria das celebridades, políticos e da grande população, sendo que os filmes com temática LGBT são taxados como pornografia.

Minha revolta é grande ao ver uma foto assim, tão covarde e tão triste. A que ponto chegou o ódio das pessoas contra o próximo, muitas vezes [o que é o caso da Ucrânia] apoiados pela própria população, que assiste inerte ao massacre de uma minoria.

Não pensem que esse é um caso isolado, aqui também acontece muito disso, mas poucos casos são noticiados como a agressão na Avenida Paulista. Dezenas de gays, lésbicas, travestis e transexuais são agredidos e mortos no Brasil e ao ue tudo indica o governo faz pouco para que isso mude, preso por uma políticos religiosos que pensam mais em agregar mais fiéis zumbis para encher seus cofres.

17 de maio - Dia Internacional de Combate a Homofobia

Durante muito tempo, a Organização Mundial de Saúde classificava a homossexualidade como transtorno mental, porém no Dia 17 de Maio de 1990, a Assembléia geral da OMS aprovou a retirada do código 302.0 [Homossexualidade] da Classificação Internacional de Doenças, declarando que ‘a homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão‘. A classificação só entrou em vigor nos países que pertencem a ONU em 93.

Essa decisão foi o primeiro passo na luta contra a homofobia, mas sabemos que só isso não é o bastante. Ainda presenciamos gays apanhando na principal avenida do Brasil ou fanáticos religiosos pregando que somos doentes e safados, isso se chama homofobia: medo , aversão ou ódio irracional à gays.

Nossa cultura machista também resulta, talvez numa das dos piores casos, a homofobia internalizada, onde a própria pessoa odeia a si mesma por ser gay. Há uma carga negativa enorme na palavra gay, que outrora significava alegria.

Hoje podemos perceber isso quando uma pessoa quer xingar alguém chama-o de ‘viado‘, ‘gay‘, ‘bicha‘… Pode não ser consciente, mas acabamos criando uma conotação ruim com essas palavras, e claro, com nós mesmos. Pode não parecer, mas mesmo nas brincadeiras assimilamos isso de uma forma pejorativa a homossexualidade.

Milhares de jovens como uma longa vida pela frente cometem suicídio diariamente por conta do preconceito e bullying homofóbico. Milhares são mortos em países onde a homossexualidade é considerada crime e sua pena a morte. Outros milhares são assassinados apenas por amarem diferente da maioria por pessoas que acham correto matar aquilo que é diferente… Mas não somos todos diferentes e únicos???

O dia 17 de maio é considerado como um marco, o  Dia Internacional de Combate a Homofobia e Transfobia.

Quer ajudar a galera do DQOGG a combater a homofobia? Ajude votando no debate Blogayros – Informação Sem Avacalhação, que é um dos temas finalistas do YouPix!!! Se joga bee!!!