TRANSformando: Mas ele não tem pau?

Publicado: 06/08/2012 por @BechaMa em TRANSformando
Tags:, , , , , , , , ,

     [+18] Imagens completas: 1 Sword Series 1997 Mister 2005autorretratos por Loren Cameron.

Estamos mais acostumados com a “transição” do masculino para o feminino. Pouco se fala, publicamente, sobre homens transexuais. Se pouco se fala sobre os transhomens, menos ainda sobre as cirurgias e como ficam seus genitais. Uma transmulher pode fazer cirurgia para a “construção” de uma vagina. Mas como é o processo inverso? É possível? Eficiente? Um homem precisa de pinto?

Existem diferentes tipos de cirurgias e procedimentos, desde a remoção das mamas, retirada dos ovários e do útero, construção do pênis, alargamento do clitóris…

Como toda cirurgia, elas também apresentam riscos. Todas as focadas no pênis possuem suas desvantagens quanto ao resultado final, seja um pênis pequeno e de uso sexual limitado, um pênis aparentemente realista e com função sexual nula. Ainda vamos falar das cirurgias com mais detalhes, mas como sei vocês são curiosos fica o link do FTM Brasil.

Repetindo a pergunta, um homem precisa de um pau pra ser homem? E o que é ser homem?  No fim do dia tudo é mais uma questão de identidade do que de definições alheias. Algumas pessoas nascem com pintos enormes e se sentem mulheres, transmulheres. Algumas pessoas nascem com clitóris e se sentem incrivelmente homens.

Certo que a maioria dos transhomens não faz as cirurgias por elas não estarem desenvolvidas o suficiente, mas a ausência do pinto não os torna “menos homens”. Se é que existe alguém mais ou menos homem. Talvez apenas mais ou menos humano, mas isso é questão de respeito, preconceito e etc…

Como bem disse João Nery em entrevista ao Jô Soares, “Sou um homem sem pau”. Talvez esse seja um momento oportuno para questionar nossos conceitos de masculinidade. O tal homem sem pau é a prova de que o binarismo de gênero é uma ilusão. Uma ilusão criada, cultiva e reforçada por nós. A tal hombridade, palavra feminina, destaca as boas qualidade do homem e não o tamanho da mala. Segundo o dicionário a expressão diz respeito à dignidade, nobreza de caráter, entre outras qualidades atribuídas ao homem.

Esse culto sem fim a masculinidade, reflexo de uma sociedade machista, que coloca o pau como centro de tudo que faz um homem, é um erro. Um erro não só pela existência de transexuais, mas sim por subestimar a capacidade humana, por atribuir certos valores a coisa errada. O pinto tem seu lugar na vida de muitos de nós, não me entendam errado. Mas ele não define a existência de ninguém.

Acho necessária a evolução das cirurgias, da mesma forma que acho importante fortalecer o movimento “homens sem pau”. Assim, quando for possível ter um neopênis completamente funcional, a cirurgia passará a ser uma opção e não uma pressão social. O ideal é poder escolher entre ser um transhomem com ou sem pau.

E se existir alguém mais homem que alguém, digo que os transhomens são alguns dos homens mais homens que tive o prazer de conhecer. Deixo aqui as palavras de um deles.

Comentários
  1. Muito bom o post.
    Eu nunca tinha ouvido nada sobre a transsexualidade masculina, só sabiam que existiam kkkk

  2. Alexiel disse:

    Querendo ou não ainda vivemos em uma sociedade falocêntrica…

O que achou desse texto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s