MAXturbação Mental #43

Publicado: 14/07/2012 por Max Castro em MAXturbação Mental
Tags:, , , ,

Chovia muito e estávamos presos em uma farmácia até que a chuva diminuísse.  Eu estava ao telefone com uma amiga e ele ao meu lado, quase que invisível, não fosse ele ter me perguntado as horas logo depois que terminei a conversa.

Era um homem comum, nada demais, nenhum atrativo visual.  Quando digo “atrativo visual”, não quero dizer feio, mas sim, o um homem comum.  Por volta de 30 anos,  roupa casual, semblante sério, voz com timbre agradável… certamente era mais um fugitivo da chuva como eu.

Enquanto esperávamos, ficamos em silêncio.  Até que algum assunto sem importância surgiu e começamos a conversar.

Sinceramente, não esperava nada daquela conversa.  Estava passando o tempo falando sobre frivolidades.  Nada que merecesse muita importância.

A chuva passou, me despedi e fui para a minha casa.  Imagino que ele tenha feito o mesmo.

A semana transcorreu normalmente, sem grandes novidades.  Fazendo o de sempre, indo da casa para o trabalho e do trabalho para casa.

Como sempre, na companhia da minha cachorra, passei a semana, como todas as outras, sozinho em casa todas as noites até ir dormir e no dia seguinte recomeçar a rotina novamente.

Em mais um domingo solitário, resolvi que sairia de casa para comer fora, mesmo que fosse sozinho em algum lugar.  Tomei meu banho, me vesti e fui.

Escolhi um fast food, afinal de contas estava sozinho, e qualquer coisa pra matar a fome estava valendo.  Sem falar que sairia um pouco de casa e veria pessoas.

Fiz o meu pedido e esperei ser chamado para pegar o prato.  Para a minha surpresa, vejo o mesmo homem que havia se refugiado da chuva comigo,  sozinho, também fazendo o mesmo que eu.  Ele fez seu pedido e foi para uma mesa em frente a minha para esperar ser chamado.

Pensei comigo: “Bem, ele está sozinho, vou ser simpático e dizer um oi”.

Foi o que fiz.  Disse um oi e perguntei, brincando, se ele tinha conseguido chegar em casa depois do dilúvio daquele dia.

Resultado: sentamos na mesma mesa para esperar o pedido.

Conversa vai, conversa vem, descobrimos muitas coisas em comum.  Mas como se isso não bastasse, éramos praticamente vizinhos.  O que nos separava era um quarteirão.

Foi legal ter a companhia dele.   Simpático, inteligente e aos meus olhos começava a se tornar um homem bonito e atraente. Já não conseguia mais ver aquele homem sem “nenhum atrativo”.   Ele tinha muitos atrativos.  Sabia conversar, era simpático, tinha um excelente senso de humor… enfim… foram qualidades que descobri depois que o conheci um pouquinho melhor.

Na minha cabeça, era mais um amigo que havia feito por acaso.  Confesso que não faço amizades com estranhos assim tão facilmente.  Muito pelo contrário, aos olhos dos que me veem e não me conhecem, sou até antipático e esnobe.

Sem falar que eu não sabia qual era a dele.  Para todos os efeitos éramos dois heteros que se encontraram e rolou uma empatia.

Uma coisa me chamou a atenção enquanto conversávamos.  Havia uma aliança em sua mão direita.  Aquilo me fez ter mais certeza de que ele era hetero e que tinha uma namorada.

Enquanto comíamos e conversávamos, descansei uma das mãos sobre a mesa e ele também.  Em certo momento, nossos dedos se tocaram quase que se sem querer.   A minha reação foi de tirar a mão.  Não sabia onde me esconder de vergonha.  Senti-me invadindo o espaço dele em todos os sentidos.  Ele era um homem comprometido, com namorada e hetero!  Não havia sentado na mesma mesa que ele com outra intenção além da companhia.

[CONTINUA]

Super mega beijo a todos.

Max Castro.

comentários
  1. Ritinha Lima disse:

    Mega!
    Já estou curiosa..

  2. Junior disse:

    Afff…
    Vou ter que esperar mesmo???

    Castigo!

  3. Gui disse:

    serio que vou ter que esperar pelo final?! rsrsrsrssr…… curioso!!

  4. […] Vamos dar continuidade ao conto da semana passada?  Para quem perdeu, o link da primeira parte é esse [PARTE 1]. […]

  5. […] continuidade ao conto… [PARTE1] [PARTE2] […]

  6. […] o conto, aí vai a última parte.  Para quem ainda não leu o começo, é só clicar: [PARTE 1] [PARTE2] [PARTE3] […]

O que achou desse texto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s